Água – Utilização Eficiente

Por: Philip Scott – Biólogo


A pouca importância com o monitoramento ambiental explica alguns fracassos de aqüicultores nas criações de organismos aqüáticos. A qualidade da água significa qualidade de vida para os peixes, camarões, moluscos e outros animais.

Os resultados dos viveiros de criação dependem da observação e correta interpretação dos resultados dos diversos insumos como: ração, alevinos ou pós-larvas, adubos além da própria água. O conhecimento exato das características de cada um desses itens permite examinar a modificação de uma das variáveis, se as outras permanecerem constantes.

Quantidade e qualidade da água são fatores fundamentais para a escolha da área onde se pretende desenvolver qualquer projeto de aqüicultura. Enquanto nas condições naturais o relacionamento entre peixes, meio ambiente e organismos patológicos é de equilíbrio, nos criatórios confinados ocorrem freqüentes alterações. O desequilíbrio provocado pela má qualidade da água, altas densidades de estocagem, manuseio intenso ou inadequado, tratamento químico contra doenças e outros manejos costuma ser a causa mais comum de “stress” dos animais.

A resposta do organismo cultivado às alterações no meio ambiente pode variar e provocar prejuízos crescentes, na seguinte ordem:

• Mudança no comportamento ( falta de apetite);

• Crescimento reduzido ( despesca tardia);

•. Diminuição da eficiência na conversão alimentar ( menor produtividade );

• Baixa fecundidade e desovas fracassadas; . redução da tolerância ao “stress”; e morte.

CONTROLE DE QUALIDADE

Como a qualidade da água é fator fundamental, ela deve ser examinada desde a fonte, onde os fatores mais importantes são o pH, temperatura, alcalinidade, salinidade, presença de biocidas, metais e a dureza.

Enquanto os fatores anteriores não são significativamente alterados pela utilização de sistemas de aqüicultura, oxigênio dissolvido, amônia, nitrito, dióxido de carbono, sólidos em suspensão, fósforo e ainda demanda bioquímica de oxigênio estão em permanente alteração em função do próprio cultivo.

O conhecimento dos limites de tolerância dos animais cultivados a cada um desses parâmetros é de vital importância. Desta forma, medições freqüentes, monitorando esses fatores, permitem antecipar a ocorrência de problemas como a queda do teor de oxigênio ou intoxicação por nitrito.

Até há pouco tempo havia dificuldade do criador medir esses parâmetros 00 campo. As amostras eram coletadas e enviadas a laboratórios de órgãos do governo ou universidades. Atualmente existem kits de análise de água apropriados para os testes de campo, possibilitando um controle imediato. Esse tipo de equipamento permite eficiência no controle da qualidade da água e contribui para o aumento da produtividade.