Aquaciência 2006 reuniu acadêmicos em Bento Gonçalves

 

foto_aquaciencia96

O frio prometido pelos organizadores do Aquaciência 2006, não decepcionou e foram bem gelados os dias em Bento Gonçalves-RS durante o evento, criando um clima bastante agradável para a degustação dos famosos vinhos da região.

O evento acadêmico reuniu mais de 500 cientistas, estudantes e pesquisadores, principalmente dos estados das Regiões Sul e Sudeste. Na abertura, foram saudados pelo ministro da Secretaria Especial de Aqüicultura e Pesca da Presidência da República (SEAP/PR), Altemir Gregolin, que defendeu a pesquisa como instrumento estratégico para o desenvolvimento da aqüicultura. Segundo Gregolin, a Seap liberou nos últimos meses, mais de 18 milhões de reais em editais específicos voltados à pesquisa científica em aqüicultura e pesca, tendo sido estabelecidas parcerias com o Ministério da Ciência e Tecnologia e com o CNPq. Esses projetos, segundo o ministro, garantem a realização de pesquisas com espécies importantes para o desenvolvimento da cadeia produtiva do setor, como o pintado e o pirarucu. Além de falar dos projetos com o apoio da Seap, Gregolin citou que o Governo Federal vem ampliando os investimentos em pesquisa, ciência e tecnologia em todas as áreas. Segundo ele, os valores saltaram de 6,5 bilhões de reais em 2002 para mais de 10 bilhões de reais em 2006. “A produtividade dos trabalhos científicos no Brasil também cresceu cerca de 15%, passando de 13 mil para mais de 15,7 mil em 2006”, comentou. Gregolin acrescentou que a FAO destaca o potencial do Brasil para a produção de pescados, ressaltando que o país tem condições de produzir mais de 10 milhões de toneladas de pescado para atender a demanda mundial. O ministro disse ainda, que é de grande importância o desenvolvimento de um projeto de longo prazo, que leve em conta questões como a inclusão social, a organização da cadeia produtiva e o fim da descontinuidade nas políticas públicas, além das questões ambientais.

Ainda na abertura do Aquaciência 2006, o público foi saudado com a palestra “Aqüicultura: uma solução ou um problema” proferida pelo professor Jorge Pablo Castello, da FURG, mostrando a importância da aqüicultura para o abastecimento futuro de pescados e os cuidados que deveremos ter para que os impactos sejam compatíveis com os benefícios que a atividade gera.

Mini-cursos, palestras e pôsteres sobre todos os temas da aqüicultura foram apresentados nos quatro dias do evento, com grande movimentação de estudantes e profissionais. A assembléia da AQUABIO – Sociedade Brasileira de Aqüicultura e Biologia Aquática, realizada durante o Aquaciência 2006, escolheu a cidade de Maringá para receber, em 2008, o próximo Congresso.