AquaCiência 2010: Aquabio realiza seu quarto congresso

 

Teresa Cristina Koberstein, João Batista K. Fernandes, Maria Célia Scorvo e Ronaldo O. Cavalli, compondo a mesa da assembléia da Aquabio
Teresa Cristina Koberstein, João Batista K. Fernandes, Maria Célia Scorvo e Ronaldo O. Cavalli, compondo a mesa da assembléia da Aquabio

Depois de Vitória (ES) em 2004Bento Gonçalves (RS) em 2006 e Maringá (PR) em 2008, foi a vez de Recife receber, em 2010, o Congresso da Sociedade Brasileira de Aquicultura e Biologia Aquática (AQUABIO), conhecido como AquaCiência. Neste ano os organizadores do Aquaciência 2010 limitaram em 850 o número de inscritos, provocando uma fila de espera pelas desistências de última hora.

O evento contou com uma organização impecável da Universidade Federal Rural de Pernambuco, à frente os professores Eudes de Souza Correia, Ronaldo O. Cavalli, Roberta Borda Soares, Silvio Peixoto e Maria do Carmo F. Soares.

Foram oferecidos sete mini-cursos: Estatística aplicada a aquicultura; Cultivo de Bijupirá; Produção de camarão em sistema heterotrófico; Nutrição de tilápias; Melhoramento genético de peixes; Avanço em tecnologia do pescado e, Criação de camarões de água doce: sistemas alternativos de criação.

Em sua conferência, o professor da USP/ESALQ, José Eurico “Zico” Cyrino, mostrou que, entre 2004 e 2008, das 132 mil publicações sobre aquicultura em revistas indexadas de todo o mundo, 136 foram de brasileiros (0,27%). Já em 2009, até o mês de setembro, dos 34,5 mil trabalhos publicados, 64 foram de brasileiros (0,18%).

Zico mostrou também a evolução da produção científica brasileira a partir da análise dos eventos AquaCiência. Em 2004 (Vitória) foram submetidos 413 resumos e 21 trabalhos na íntegra. Em 2006 (Bento Gonçalves) foram submetidos 492 resumos e 32 trabalhos na íntegra. Em 2008 (Maringá) foram submetidos 482 resumos e 32 trabalhos na íntegra. Em 2010, em Recife, Zico contabilizou que foram submetidos 742 resumos, um salto bastante significativo. Entretanto, segundo Zico, estamos repetindo erros, duplicando esforços e investimentos, e fazendo uma ciência especulativa que não encontra eco no mercado editorial internacional. Sua explicação para esse fato é que temos um registro histórico muito ruim e uma memória muito difusa dos fatos ligados ao desenvolvimento da aquicultura brasileira.

A equipe da FURG – professores e alunos da pós-graduação – apesar de estarem no extremo sul do Brasil, portanto muito distante do Nordeste, principal pólo produtor de camarão marinho, mais uma vez surpreendeu com inovações, apresentando inúmeros trabalhos nesse AquaCiência. De longe essa é a equipe de pesquisa que, nos últimos anos, mais tem produzido novos conhecimentos para a carcinicultura brasileira, apesar de somente agora ter sido contemplada para receber recursos do Recarcine.

Para o professor Ronaldo Cavalli, mereceu destaque no AquaCiência 2010 a conferência do professor da Universidade de Ghent (Bélgica), Peter Bossier, fruto da sua pesquisa que estudou o mecanismo que faz com que uma bactéria patogênica presente em organismo, venha a se expressar.

A mesa-redonda mais concorrida do AquaCiência foi, sem dúvidas, a que tratou do estado atual e dificuldades na criação do bijupirá, com palestras de Ronaldo Cavalli, Ronaldo Barradas Peregrino Jr., Felipe Suplicy e Rodrigo Roubach.

Na reunião plenária da AQUABIO foi aprovada a realização do AquaCiência 2012 na cidade de Palmas, no Tocantins. O convite para sediar o evento partiu do Chefe Geral da Unidade de Pesca e Aquicultura da Embrapa, Carlos Magno Campos da Rocha. A idéia é que a realização do evento coincida com a inauguração das instalações da unidade de pesquisa.

A professora da UFSC Débora Machado Fracalossi, é a nova presidente da AQUABIO e tomará posse dia 22 de novembro. Sua gestão será no biênio 2011-2012. Débora, que é a supervisora do Laboratório de Nutrição do Departamento de Aquicultura da UFSC, também está à frente do projeto NutriAqua, que tem apoio financeiro do Ministério da Pesca e Aquicultura. O NutriAqua permitirá o desenvolvimento de um banco de dados sobre as exigências nutricionais e composição de alimentos, além de uma ferramenta específica para a formulação de rações para peixes.

A AQUABIO apoia também o III Congresso Brasileiro de Produção de Peixes Nativos, que será realizado de 13 a 15 de julho de 2011, na Universidade Federal de Lavras – MG. O evento acontecerá juntamente com a III Conferência Latinoamericana de Cultivo de Peixes Nativos, e terá como tema central “Ciência, Integração e Agronegócio”. Mais informações podem ser obtidas com a professora Priscila Logato pelo e-mail: [email protected]