Aqualider assina contrato com a União e primeiros tanques-rede com bijupirás vão pra água em outubro

Após ter ganho, em fevereiro passado, a licitação da SEAP para ocupar com tanques-rede de bijupirás uma área distante 11 quilômetros da praia da Boa Viagem e 15 quilômetros do Porto de Recife, a Aqualider, tradicional empresa pernambucana de aqüicultura, assinou em 14 de agosto último o seu contrato com a União, pelo qual pagará pelo uso R$ 60 mil reais anuais, nos próximos vinte anos.

O projeto, localizado em águas com 30 metros de profundidade, prevê a instalação de 48 tanques-rede (também conhecidos como gaiolas) que serão distribuídos em quatro módulos, contendo, cada um deles, 12 tanques-rede de 1.500 m3 (25 metros de diâmetro por 11 metros de profundidade). A área total que será ocupada pelos 48 tanques-redes é de 2,36 hectares. Entretanto, por conta da distância entre cada um dos tanques-redes e entre cada um dos quatro módulos, além da área necessária para a adequada ancoragem de todo o sistema, se faz necessário que a área total reservada ao projeto da Aqualider seja de 169 hectares.

O projeto será implantado segundo um cronograma que prevê a colocação no mar dos primeiros três tanques-rede a partir de outubro, e os demais 45 até o final de 2011. Desde 2007 os alevinos já estão sendo produzidos pela própria empresa, no laboratório de Porto de Galinhas, com resultados de sobrevivência que já alcançaram 10%, dependendo da fêmea. Os peixes que serão utilizados na primeira engorda, hoje com 60 gramas de peso, já estão preparados. Num primeiro momento cada gaiola vai receber 15.000 alevinos, e a expectativa é a de que 10 meses depois, estejam pesando em média seis quilos. A estimativa do oceanógrafo e gerente do projeto, Santiago Hamilton, é de que cada tanque-rede produza 100 toneladas anuais de bijupirá. Em plena operação, a primeira fazenda de peixes marinhos brasileira deverá produzir 5.000 toneladas anuais de bijupirá.

 

O investimento da Aqualider no primeiro ano será de R$ 1,5 milhões, de um total estimado de R$ 10 milhões após os quatro primeiros anos de operação, quando todos os 48 tanques-rede estiverem em produção. Nos dois primeiros anos a empresa pretende focar no mercado interno para escoar a sua produção, vendendo filés e peixes inteiros e eviscerados.

A produção brasileira de bijupirá é de 1.100 toneladas anuais, com as capturas concentradas no Pará e no Ceará. A captura do bijupirá nas águas pernambucanas é de apenas 500 quilos anuais. A Aqualider, em seu pleno funcionamento, deverá produzir, sozinha, o equivalente a cinco vezes a produção nacional desse peixe.