Aqüicultura Brasil 98 – O Evento do Ano

Recife – PE recebeu em novembro último, o mais importante evento da Aqüicultura Brasileira de 1998

Quem lá esteve gostou muito, e nada melhor do que isso para resumir aquilo que foi o Aqüicultura Brasil’98. Mas o sucesso era previsível já que à frente da comissão organizadora estava Itamar de Paiva Rocha com sua MCR Aquacultura e seu talento realizador. Para ele, o evento de Recife cumpriu seu objetivo ao mostrar mais uma vez as potencialidades da aqüicultura brasileira, dessa vez ilustradas com o sucesso de inúmeros empreendimentos que já formam uma indústria aqüícola que não pára mais de atrair novas tecnologias e investimentos.

Como Presidente do Capítulo Latino-Americano da WAS – World Aquaculture Society, Itamar de Paiva Rocha preocupou-se também em atrair e integrar pesquisadores e aqüicultores estrangeiros através da realização do I Congresso Sul-Americano de Aqüicultura, um dos 4 eventos formadores do Aqüicultura Brasil’98. A troca de experiências entre países latinos já se mostrou eficaz quando se fala no cultivo do camarão marinho e, da mesma forma espera-se que ajude também na consolidação das criações de tilápia, tambaqui, pacu e carpas, organismos que fazem parte do rol das espécies criadas em comum por alguns desses países.

Camarões

O Simpósio Brasileiro sobre Cultivo de Camarões também fez parte do Aqüicultura Brasil’98 e, apesar de estar na sua quinta versão, teve pela primeira vez a definitiva participação das empresas nacionais envolvidas na atividade, que não mediram esforços para exibir o ótimo momento pelo qual passa a carcinicultura marinha brasileira.

A atural oferta de pós-larvas de P. vannamei gerou uma concorrência jamais vista no Brasil e já trouxe os benefícios óbvios para os criadores, que agora podem escolher um vasto leque de qualidade, preços e formas de pagamento. Mas, segundo alguns produtores, ao contrário das pós-larvas, a falta de concorrência entre os produtores de rações para camarões vem mantendo elevados os preços desse insumo, do qual não se ouviram queixas com relação a qualidade.

Feira

Entre as atrações do Aqüicultura Brasil’98 destaca-se também a realização da II Feira de Tecnologia e Produtos para a Aqüicultura, que contou com 97 expositores, de diversos países. Os tradicionais nomes da indústria brasileira estavam presentes e o que se viu foi na verdade a maior feira de produtos e serviços voltados para a aqüicultura, jamais realizada no país. A Feira atraiu também representantes de diversos países latinos, norte-americanos e asiáticos, que aproveitaram para mostrar suas recentes conquistas tecnológicas. Novamente a indústria de rações estava ausente, com exceção da Purina, com estande constantemente lotado e da norte-americana Ziegler, desta vez com Tom Ziegler à frente de diversas reuniões visando sua tão desejada joint venture com uma empresa nacional.

SIMBRAq

O X SIMBRAq – Simpósio Brasileiro de Aqüicultura, também realizado durante o Aqüicultura Brasil’98, levou a Recife os resultados e conclusões das pesquisas realizadas recentemente em nosso país. Os encontros da ABRAq, acontecem a cada dois anos e nesta sua décima versão foram inscritos 370 trabalhos abrangendo praticamente todos os setores da aqüicultura, com forte destaque para as pesquisas realizadas no meio acadêmico, já que as demais instituições parecem ser mais sensíveis aos males crônicos que se abatem sobre as instituições governamentais voltadas para a pesquisa.

Confraternização

Por estar na terra do frevo, o Aqüicultura Brasil’98 começou com um animado coquetel de confraternização, bem ao gosto nordestino com música ao vivo e muita dança movendo os congressistas e expositores, alguns dos quais já haviam se esbaldado nas vésperas no “Recifolia”, o carnaval fora de época de Pernambuco. A festa de confraternização realizada no Centro de Convenções não foi a base de produtos da aqüicultura como alguns desejavam que fosse, mas nem por isso perdeu o brilho e animação, levando muitos congressistas a darem uma esticadinha no simpático centro de Recife Antigo, outrora área de prostituição e hoje, um belo lugar restaurado pela prefeitura local, em convênio com empresas privadas, interessadas em incrementar o turismo da cidade.

FREVENDO

Homenagem – Mais uma vez o Brasil foi agraciado com uma visita do Dr. Elek Woynarovich, um homem que iniciou sua trajetória profissional em 1938 na Hungria onde nasceu, e que emprestou seus conhecimentos à mais de vinte países ao redor do mundo, ensinando técnicas de propagação artificial de peixes. Hoje com 83 anos e parecendo mais jovem e saudável do que quando aqui esteve pela última vez, Woynarovich passeou com sua simplicidade e desprendimento peculiares aos mestres e, foi saudado por todos os aqüicultores presentes ao Aqüicultura Brasil’98, onde recebeu uma justa homenagem por sua importante atuação na aqüicultura em diversas partes do planeta.

ABRAq – Por quase unanimidade foi eleita a chapa única da ABRAq – Associação Brasileira de Aqüicultura, encabeçada por Roberto Carlos Barbieri, ex-presidente da ABCC, tendo como vice Astor Grumann da EPAGRI-SC. O antigo presidente, José Augusto Ferraz de Lima, mal escondendo sua alegria ao transmitir o cargo, conseguiu aprovar uma alteração nos estatutos da ABRAq, fazendo com que o mandato das diretorias voltasse a ser dois anos, o que permitiu a sua saída antecipada. A diretoria eleita afastou as possíveis dificuldades operacionais advindas do fato de ser comporsta por representantes espalhados pelos diversos estados brasileiros e prometeu a realização do próximo Simbraq para Florianópolis – SC em outubro do ano 2000. O que se espera entretanto, é que a nova diretoria da Abraq não se concentre apenas em realizar um bom Simbraq e que aja com catalizadora dos interesses dos aqüicultores deste país, inclusive rediscutindo o papel que até hoje a instituição tem desempenhado.

Anais – Todos os participantes do Aqüicultura Brasil’98 já saíram de Recife levando embaixo do braço os Anais do X Simbraq. Para quem não pode ir, ainda se encontram disponíveis alguns exemplares. Os três livros (vol. 1 e 2 dos anais e livro de resumos) estão sendo vendidos por R$ 50,00, já incluídas as despesas de remessa pelo correio. Os interessados podem contactar-se com Eudes de Souza Correia no endereço R. Visconde de Barbacena 82/302 – CDU, 50740-460 – Recife – PE, ou pelo e-mail [email protected]. Após um período de vendas, se sobrarem exemplares (existem menos de cem) e havendo recursos, a comissão organizadora os enviarão gratuitamente para as bibliotecas das instituições que já os solicitaram.

Mar Doce – A Mar Doce do Nordeste estava no roteiro das visitas técnicas do evento. Estrategicamente localizada próximo ao centro de Recife e suas facilidades, a empresa, tradicional produtora de alevinos, toma fôlego para um emga empreendimento, também em Pernambuco, que deverá estar produzindo anualmente, após sua total implantação, 803 toneladas de filés de tilápia, 114 toneladas da sua pele e 800 toneladas de pacu. O projeto, que contou também com a colaboração de especialistas israelenses, deverá consumir nos seus primeiros três anos cerca de US$ 5 milhões.

DPA – Durante o evento o escritório da Coordenadoria de Aqüicultura do Departamento de Pesca e Aqüicultura do MA mudou-se de malas e bagagens para Recife. Com estande aberto a todos para troca de idéias e opiniões, André Brügger teve muito trabalho mas voltou para Brasília com a bagagem cheia de sugestões e votos de sucesso.

Segurança – Dentre as novidades expostas na feira haviam caixas térmicas (tipo isopor) da Polipac, com revestimento interno nas paredes garantindo maior segurança no transporte aéreo e terrestre de peixes e crustáceos. Com se sabe, as companhias aéreas têm estado cada vez mais exigentes e algumas cargas tem ficado no chão por não oferecerem segurança às demais.

Aqualider – A visita técnica mais disputada foi às instalações da Aqualider em Porto de Galinhas, ao sul de Pernambuco, que abriu suas portas durante todos os dias do evento para que os delegados pudessem conhecer seu moderno laboratório de larvicultura, capaz de produzir mensalmente até 300 milhões de náuplios e 60 milhões de pós-larvas, podendo chegar a 120 milhões de pós-larvas de Penaeus vannamei, se houver demanda.

COMBEP – A Associação dos Engenheiros de Pesca de Pernambuco e a Federação das Associações dos Engenheiros de Pesca do Brasil, organizadores do XI COMBEP – Congresso Brasileiro de Engenharia de Pesca que irá se realizar de 17 a 21 de outubro de 1999, aproveitaram o Aqüicultura Brasil’98 para o lançamento dos primeiros avisos e do poster de divulgação do evento. O COMBEP será realizado no mesmo amplo e confortável Centro de Convenções de Pernambuco e os interessados em receber mais informações bem como o material de divulgação, podem acessar a página www.combep.com.br ou e-mail [email protected]