Aqüicultura já representa 27% dos pescados no mundo

O futuro da aqüicultura tem boas perspectivas. A população do mundo está crescendo em cerca de 85 milhões de pessoas a cada ano e isso, associado ao crescimento do consumo per capta e a diminuição dos produtos provenientes dos oceanos, significa mais oportunidades para o desenvolvimento da aqüicultura, que não para de se expandir ao redor do mundo.

Um informe preliminar da FAO <http://www.fao.org/WAICENT/FAOINFO/FISHERY/fisheryf.htm>, indicou que 1996 foi outro ano recorde na produção de produtos pesqueiros, graças, evidentemente, a ajuda dos produtos cultivados.

Em 1996, mesmo com uma queda de 2,5% na produção mundial de camarões cultivados, a produção mundial total de pescados foi de 115,9 milhões de toneladas ou 2,57% a mais que as 113 milhões de toneladas produzidas em 1995.

A FAO destaca ainda que a China foi novamente o principal produtor de pescados no mundo ao gerar uma produção de 27,3 milhões de toneladas (em 1995 foram produzidas 24,4 milhões de toneladas e, em 1994, 20,6 milhões de toneladas), sendo mais de 50% providas pela indústria da aqüicultura.

Os dados de 1995 já revelavam que a produção total da aqüicultura mundial naquele ano, incluindo peixes, crustáceos e moluscos, geraram um valor de 42,3 bilhões de dólares, conquistando um recorde de 27,8 milhões de toneladas e um crescimento, em relação a 1994, em torno de 9,6% na produção e 5,2% no valor total gerado.

A inclusão da produçÃo de 7,8 milhões de toneladas de plantas aquáticas (algas) nas estatísticas, fizeram a produção da aqüicultura alcançar o patamar de 35,6 milhões de toneladas.

Os países asiáticos continuam dominando a produção global da aqüicultura, respondendo por cerca de 90% do total. China, Índia e Japão responderam por 63,4%, 5,8% e 5,1%, respectivamente, do total produzido pela aqüicultura no mundo.

Brasil

Após ter alcançado o recorde de suas pescarias em 1985, com 971 mil toneladas (pesca de águas costeiras e continentais), o Brasil manteve suas capturas nos últimos anos estagnada ao redor de 650 mil toneladas. Apesar de não se dispor de informações que possam compor um quadro preciso da produção da aqüicultura nacional, estima-se que em 1992 a aqüicultura brasileira tenha produzido 28.700 toneladas. As estimativas de produção em 1997, segundo os cálculos dos produtores de alevinos e de rações, apontam para algo em torno de 60.000 toneladas o que, se confirmados, mostrarão que a produção aqüícola nacional cresceu nos últimos cinco anos 109%, representando hoje cerca de 10% da produção da pesca brasileira. No resto do mundo, entretanto, a aqüicultura já produz 27% do total que a pesca comercial consegue capturar.