BahiaPesca faz diagnóstico do potencial da Bahia para a carcinicultura marinha

Por: Max Magalhães Stern
Presidente da Empresa Bahia Pesca


A consolidação da tecnologia da reprodução e engorda de camarão da espécie Litopenaeus vannamei, o mercado e a atratividade econômica do setor, vêm estimulando novos investimentos. A carcinicultura no Brasil teve um crescimento acentuado nos últimos anos. Em 1997, segundo a ABCC, a área de produção era de 3.548 ha, e no ano 2.000 chegou a 6.250 ha, com produção anual de 3.600 toneladas, e 25.000 toneladas, respectivamente.

O estado da Bahia com cerca de 1.180 km de litoral, apresenta condições ambientais favoráveis à carcinicultura marinha, como também a infra-estrutura necessária para o desenvolvimento da atividade. A existência de boas rodovias, portos e aeroportos ao longo do litoral baiano, proporcionam aos investidores melhores condições para a implantação e operação de suas empresas. Estas condições favoráveis e a freqüente busca de informações para implantação de novos projetos no Estado, levaram a Bahia Pesca a elaborar um estudo mais detalhado para o mapeamento das áreas potenciais para a carcinicultura marinha na Bahia. Foi desenvolvido e implantado um “Sistema de Informação Georeferenciado para Gerenciamento e Fomento a Carcinicultura do Estado”, com a utilização do software ArcView, integrando dados do mapeamento das áreas potenciais realizado em 1982 (Programa Camarão), a base digital de informações do Departamento de Defesa Florestal (DDF/ SEAGRI), imagens de satélite, informações resultantes do levantamento de campo, áreas de proteção ambiental (APAS) e dados de relevo, solo, cotas, pluviometria, temperatura e salinidade do mar (realizado no período de inverno), rodovias, estações e linhas de transmissão de energia, fotos, dentre outras informações ambientais e de infra-estrutura do litoral baiano.

O sistema desenvolvido teve como objetivos classificar e mapear na escala de 1:100.000 as áreas potenciais para carcinicultura marinha e detalhar na escala 1:25.000 uma área piloto selecionada. O trabalho foi realizado seguindo as especificações e etapas de desenvolvimento: 1- Integração e geração de base de dados em GIS na escala de 1:100.000; 2- Geração de base de dados alfa-numéricas em banco de dados; 3- Interpretação de imagens de satélite e análises em GIS. 4- Reconhecimento expedito de campo das áreas pré selecionadas na base de 1:100.000. 5- Levantamento de campo de área piloto priorizada na etapa anterior e detalhamento na escala 1:25.000. 6- Avaliação das áreas de interesse para carcinicultura marinha e estudo para detalhamento das informações; 7- Fotografia aérea das áreas. 8- Desenvolvimento de aplicativo de visualização de dados georeferenciados e elaboração de CD-ROM.

Para elaboração do macrodiagnóstico do potencial da Bahia para a carcinicultura marinha, as áreas litorâneas foram classificadas em função do seu potencial como: Excelente, Bom, Regular, Impróprio e Inapto, de acordo com as condições ambientais e de infra-estrutura.

Foram gerados dois produtos: um “Sistema de Informação Georeferenciado para Gerenciamento e Fomento a Carcinicultura do Estado”, e um CD-ROM interativo, “Macrodiagnóstico do Potencial da Bahia para a Carcinicultura Marinha”, com recursos de consulta às áreas potenciais, e visualização de mapas temáticos georeferenciados, fotos, imagens de satélite e textos explicativos.

No “Macrodiagnóstico do Potencial da Bahia para a Carcinicultura Marinha”, foram avaliadas cerca de 460 mil hectares, resultando em 31 mil hectares de áreas com potencial excelente e 85 mil hectares de áreas com potencial bom. Estes bons resultados, somados a consciência de preservação do meio ambiente para o desenvolvimento da carcinicultura sustentável, projetam a Bahia como o estado com grande potencial para os empreendimentos do setor. Os interessados em maiores informações técnicas sobre o trabalho desenvolvido poderão entrar em contato direto com Bahia Pesca através do e-mail: [email protected]