Brasil tem sua segunda introdução oficial de Tilápias do Nilo

Com o objetivo de diminuir o grau de homozigose (consangüinidade) dos plantéis nacionais, o IBAMA autorizou a introdução de uma nova linhagem de nilóticas no Brasil – a Chitralada (ou Thai).

Para facilitar o processo de importação, foi recentemente criada no oeste do Paraná a ALEVINOPAR – Associação dos Larvicultores do Paraná, que financiou, junto com o governo daquele estado a ida de um grupo de técnicos e produtores do Paraná e Rio Grande do Sul, à Bangkok – Tailândia. A comitiva, que foi formada pelo eng.º de pesca Taciano Maranhão do IAP-PR, eng.º agrônomo Sérgio Zimmermann da ULBRA-RS e UFRGS, médico veterinário Roberto Moreira da Secretaria de Agricultura do Paraná e pelo produtor rural paranaense Carlos Matsubara, visitou produtores rurais e o AIT – Asian Institute of Techology, onde realizou convênios de intercâmbio de tecnologia no processo de reversão sexual da tilápia e acompanhou a importação dos 20.800 futuros reprodutores da linhagem tailandesa.

Após 45 horas de vôo, os alevinos passam bem com e estão sob rigorosa quarentena em três locais: Porto Alegre – RS, Cornélio Procópio – PR e Assis Chateubriand – PR. Os peixes serão destinados aos produtores da ALEVINOPAR, que financiaram a importação e o trabalho de mapeamento genético dos vários estoques de nilóticas do Paraná, Rio Grande do Sul e Tailândia.

O trabalho genético está sendo realizado pelo pesquisador Éden Marques Moreira do Departamento de Genética da UFRGS. Éden também será o responsável pelo planejamento dos bancos genéticos das diferentes linhagens e pelo programa de cruzamento a ser adotado pela ALEVINOPAR e UFRGS. A importância dessa nova associação está no objetivo de organizar a atividade de alevinagem local, utilizando um plantel de qualidade superior e capacitando seus associados para que realizem a incubação artificial de forma adequada, obtendo uma taxa de reversão sexual de tilápias superior a 99%.