Carcinicultores participam de curso sobre o uso de probióticos

O Centro Tecnológico da Aqüicultura (CTA-RN) promoveu entre os dias 15 e 18 de fevereiro o Curso de Caracterização de Probióticos, em parceria com o capítulo brasileiro da Sociedade Latinoamericana para a Aqüicultura (SLA). Participaram cerca de 60 técnicos e empresários que atuam na engorda e na larvicultura de camarões, representantes de empresas fornecedoras de probióticos e das fábricas de rações, além de técnicos de órgãos públicos, divididos em duas turmas, com carga horária de 16 horas cada.

O curso foi ministrado pela bióloga equatoriana Sonnya Patricia Mendoza Lombana, especialista em fisiologia de invertebrados, atualmente atuando como diretora geral do CSA – Centro de Servicios para la Acuicultura, localizado em Guayaquil, no Equador.

Composto por aulas teóricas e práticas, o Curso de Caracterização de Probióticos vem sendo ministrado em diversos países depois da grande repercussão que teve no Equador, razão pela qual a SLA, coordenada no Brasil por Alfredo Freire, propôs ao CTA a parceria para a sua realização em Natal – RN. Na parte teórica do curso foram vistas as definições e as generalidades dos probióticos e os seus mecanismos de ação. A ecologia microbiana foi também apresentada através dos estudos das interações entre as populações e os habitats microbianos, com destaque para os ambientes aquáticos, onde a seleção de cepas probióticas para o uso na aqüicultura mereceu atenção. Na parte prática foram analisados os principais probióticos do mercado, seu uso, manejo e aplicação.

Segundo Ezequias Viana de Moura, Diretor Executivo do CTA, o evento constituiu na primeira atividade desenvolvida pelo CTA voltada para seu público externo e a avaliação do curso pelos participantes foi muito positiva, mostrando que iniciativas deste tipo são muito importantes, principalmente diante dos atuais problemas enfrentados pela carcinicultura nacional. Os planos apontam para a continuidade das ações não só na área de treinamento e de apropriação de tecnologias junto aos produtores, mas principalmente na área de pesquisa. Para discutir o rumo das ações foi criado o Conselho Consultivo do CTA, formado por representantes do setor produtivo e de órgãos públicos.