Cardume funcionando novamente

Empresa fechada desde dezembro de 2005, volta a operar de olho no crescente mercado internacional da tilápia

Após ter sido adquirida por um Fundo de Investimento Privado, composto por 10 empreendedores que já ocuparam cargos executivos em agroindústrias de Santa Catarina, a Cardume Indústria e Comércio de Peixes acaba de ser reinaugurada e pretende, além de abastecer o mercado interno, principalmente São Paulo, exportar em 2008, cerca de 2,5 mil toneladas de peixe.

A Cardume, fundada em 1999, foi uma das empresas pioneiras no processamento de pescados, trabalhando principalmente com carpas e tilápias provenientes dos cultivos consorciados da Região Oeste catarinense. Essa característica permitiu que a empresa pudesse confeccionar um leque variado de produtos com os mais diferentes cortes. Em dezembro passado, no entanto, problemas internos abalaram a estrutura da sociedade, tendo como conseqüência o fechamento da empresa.

Suas modernas instalações em Chapecó, capazes de abater 10 toneladas de pescado a cada dia, ocupam uma área de 15.000 m2 e são consideradas como uma das mais bem estruturadas para trabalhar com os produtos aqüícolas no País. A volta da Cardume ao mercado, significa a retomada do trabalho para pelo menos 50 trabalhadores, e traz novamente bons ventos para a comercialização da produção de cerca de 400 piscicultores da região.

O valor do negócio não foi revelado. Segundo Antônio Carlos Moschetta, um dos atuais sócios, o grupo comprador manterá o rol de produtos da Cardume, que inclui empanados, mas focará seus interesses principalmente nos filés de tilápia, que deverão representar 80% do total de pescados processados. O destino dos produtos será os Estados Unidos, França, Noruega e Rússia. A Cardume pretende já estar processando, a partir de março de 2007, 5 toneladas de peixes/dia e tem metas de aumentar esse volume gradativamente até atingir 20 toneladas. A indústria vai trabalhar com produtores integrados.