Catfish americano x basa vietnamita

Em meados de agosto, todo o pescado proveniente do Vietnã que iria ser comercializado pela empresa Piazza’s Seafood World do Estado da Louisiana – EUA, foi confiscado após ter sido detectada a presença de um antibiótico de uso restrito, em peixes que estavam sendo comercializados por um de seus revendedores. As amostras contaminadas eram do peixe conhecido como basa, um bagre vietnamita, primo distante do catfish americano. O departamento de agricultura da Louisiana rapidamente estendeu a proibição das vendas para todos os produtos provenientes do Vietnã, colocando em quarentena cerca de 400 t de pescados no estado.

Seguindo o exemplo, os estados do Alabama e Mississipi também impuseram restrições, levando um congressista do Arkansas a questionar o governo federal para estender a proibição a todos os estados do país, tendo o órgão responsável pela administração de alimentos e de drogas (FDA) considerado pertinente tal requisição.

Para os observadores, essa disputa reflete o empenho da indústria pesqueira norte-americana em recuperar o controle sobre o mercado interno de pescados, mesmo tendo as importações quase que dobrado na última década. Para muitos, a ação não passa de uma operação de “caça às bruxas”, a todos os pescados importados pelos EUA, visto existirem documentos mostrando que alguns dos produtos vietnamitas proibidos de serem comercializados já tinham sido desembaraçados pelo próprio FDA, para a sua comercialização nos EUA.

A quantidade de pescados realmente proibida de ser comercializada não é totalmente conhecida, e até o momento, nenhum pescado proveniente do Vietnã pode ser comercializado atualmente no Estado da Louisiana sem que tenha um atestado sanitário do Departamento de Agricultura e Silvicultura. Pesa também o fato de que, além da Louisiana, os estados de Arkansas, Mississipi e Alabama são os principais produtores do catfish, o que reforça a suspeita de que a ação dos americanos esteja voltada para impedir a concorrência dos peixes vietnamitas mais baratos. O Estado do Alabama anunciou que a proibição será mantida até que toda a carga seja testada para a presença de antibióticos, ao contrário da análise por amostras. De acordo com as autoridades, a medida visa proteger o consumidor norte-americano de infecções por vírus e de bioterrorismo, sugerindo que terroristas possam estar querendo envenenar a população por meio de peixes contaminados.

No entanto, curiosamente, o mesmo antibiótico responsável pela proibição das importações do bagre vietnamita pelos estados norte-americanos, vem há uma década sendo utilizado comumente e legalmente na criação de aves nos EUA, e com a autorização do FDA, órgão norte-americano responsável pelo controle de alimentos e do uso de drogas. O antibiótico, da família das fluorquinolonas, além de ser usado no tratamento da tuberculose, pneumonia e outras infecções em humanos, é também utilizado no combate a determinadas bactérias que atacam aves confinadas.