Caunesp aprova projeto no programa H2020 da União Europeia

O consórcio multi-institucional Aqua Vitae, do qual o Centro de Aquicultura da Unesp (CAUNESP) faz parte com destaque, foi aprovado na chamada All Atlantic Ocean Alliance Flagship: Part C – New value chains for aquaculture production, edital internacional da União Europeia, dentro do programa Horizon 2020. Participam da mesma proposta instituições da Noruega, Suécia, Alemanha, Islandia, Portugal, Espanha, França e outros países da Europa, além da Africa do Sul, Canadá e EUA. O valor total é de 8 milhões de Euros, que deverão ser liberados a partir de abril de 2019.

O atuação do CAUNESP é coordenada pelo professor Wagner C. Valenti e conta com a participação dos docentes do Programa de Pós-Graduação em Aquicultura Sergio Batlouni, Guilherme Wolff Bueno, Patricia Moraes Valenti, além dos professores Alessandra Augusto, Tania Costa e Ivan Nunes. Os trabalhos serão desenvolvidos em fazendas de aquicultura e dependências do Caunesp localizadas nos campus de Jaboticabal, como os Setores de Reprodução de Peixes e de Carcinicultura, ambos envolvendo vários laboratórios, além do Laboratório de Aquicultura Sustentável, localizado no campus de São Vicente, que é o único do Brasil especializado em análises de sustentabilidade aquícola.

A participação da UNESP em um grande consórcio como este mostra a qualificação e prestígio de seus pesquisadores e a qualidade de suas instalações que estão dentro dos padrões das “facilities” internacionais. Além disso, mostra um nível elevado de maturidade científica e internacionalização das pesquisas desenvolvidas na UNESP. O intercâmbio e a integração com pesquisadores de várias partes do mundo contribuirão significativamente para aumentar a experiência de corpo docente e discente do Programa de Pós-Graduação em Aquicultura do próprio Caunesp.

O programa e o projeto
Na opinião dos pesquisadores que compõem o consórcio, o Oceano Atlântico é um recurso compartilhado inestimável. O valor social de sua economia azul é enorme para os países localizados em suas margens. No entanto, existem ainda lacunas consideráveis no nosso conhecimento e compreensão dos processos relacionados a este oceano, especialmente no que diz respeito à sua química, ecologia, biodiversidade, impactos do clima e potencial para a exploração sustentável dos seus recursos naturais, incluindo a aquicultura.

Dentro desse contexto, o Caunesp estará atuando no desenvolvimento de sistemas de produção mais sustentáveis e ambientalmente amigáveis, envolvendo espécies marinhas de baixo nível trófico. Também atuará no desenvolvimento de pesquisas visando aprimorar as técnicas de reprodução de espécies de água doce com potencial para aquicultura, como o pirarucu.

O objetivo dessa cooperação internacional entre pesquisadores e instituições é adotar uma abordagem sistêmica para enfrentar os desafios científicos e socioeconômicos e avançar para uma abordagem desde a Antártida até o Ártico por meio da cooperação com países que fazem fronteira com o Atlântico Sul, em especial o Brasil e a África do Sul. Além da formação de doutores e publicação de artigos de elevado impacto, o H2020 tem como meta a inovação. Portanto, pretende-se, ao final de quatro anos, gerar produtos e processos que serão transferidos para aquicultores de todo o mundo.

Fonte: Caunesp