Codevasf apoia Pólo de Aqüicultura na região do Baixo Parnaíba

Para incrementar a produção de pescados, gerar empregos e atrair novos investimentos para o Estado do Piauí, foi lançado no último dia 16 de junho, no município de Parnaíba, o Pólo de Aqüicultura do Baixo Parnaíba. Durante a solenidade de lançamento do projeto, o presidente da Codevasf, Luiz Carlos Everton de Farias assinou um termo de cooperação técnica com o Banco do Nordeste e um convênio com o município, que permitirão o desenvolvimento de diversas ações de apoio à pesca, bem como a implantação de uma unidade de piscicultura.

Como forma de garantir a implantação desse projeto, a Codevasf entregou à Associação dos Criadores de Camarão do Piauí e do Baixo Parnaíba, um laboratório móvel, instalado em um microônibus, que possibilitará as análises da água e do solo. Vão dispor do laboratório móvel, os 34 sócios que compõem essa associação.

A população do Baixo Parnaíba acredita que o novo Pólo de Aqüicultura contribuirá para o aumento da oferta de pescado e para a otimização dos frigoríficos já existentes nas carciniculturas da região. Além disso, esperam que em decorrência do Pólo de Aqüicultura, cheguem ao município novos investimentos como por exemplo, a implantação de outras plantas processadoras, construção de fábricas de ração, etc.

Para os moradores da região do Baixo Parnaíba, a instalação do Pólo de Aqüicultura vai incrementar a produção de alevinos, fazendo com que cheguem na localidade as diversas empresas de prestação de produtos e serviços relacionados à aqüicultura, que gerarão novas possibilidades de trabalho para os jovens do Município e adjacências.

De acordo com a previsão das autoridades ligadas ao projeto, em 10 anos, serão criados cerca de 2.000 novos empregos diretos, e a produção atual de 3.350 toneladas de pescados, incluindo camarão, saltará para 9.500 toneladas.

Os investimentos da Codevasf no vale do rio Parnaíba, estão sendo feitos em parceria com o Governo do Piauí, Prefeitura Municipal de Parnaíba, Embrapa e MMA. Os recursos disponíveis são da ordem de R$ 4,6 milhões. Do projeto fazem parte a construção de um Centro de Referência em Aqüicultura do Parnaíba (Ceraqua); um Centro de Recepção e Comercialização de Caranguejo de Ilha Grande; o Laboratório Móvel para controle e monitoramento dos efluentes da carcinicultura; o zoneamento ecológico-econômico do território da planície litorânea do Parnaíba e, um Centro de Treinamento em Piscicultura de Parnaíba, com sala de aula, tanques e uma unidade-piloto de beneficiamento de pescado.