Contaminação Bacteriana de Tilápias

por Sergio Tadeu J. Tamassia

A revista Science da agosto de 1996, noticiou que a bactéria Streptococcus iniae, que pode causar meningite humana, está sendo transmitida ao homem pela tilápia. Coincidentemente, seis pessoas em Ontário no Canadá foram hospitalizadas, uma com meningite e outras cinco com infecções de pele e de sangue, apresentando quadro febril, tremores, etc. Estas seis pessoas tinham em comum o fato de terem sido feridas durante o processo de limpeza de tilápias e casos semelhantes foram reportados em Israel.

Através da Internet, foi possível acompanhar a grande repercussão e também o sensacionalismo que foi feito acerca do assunto, com alguns comparando a doença, de forma jocosa, com a “síndrome da vaca louca”. Outros, com preferências pessoais em outros ramos da piscicultura, aproveitaram a situação para questionar como era possível as pessoas na América do Norte quererem comer tilápias, se salmões de alta qualidade, provenientes de cultivos marinhos, são tão facilmente encontrados e com preços competitivos.

Apesar do sensacionalismo, algumas informações ou alertas emergem do episódio e poderão ser úteis nestes momentos iniciais de consolidação porque passa a piscicultura no Brasil, e onde um dos principais peixes é a tilápia:

a – a única semelhança entre a doença bacteriana das tilápias e a “síndrome da vaca louca”, é que podem afetar o cérebro do hospedeiro;

b – no caso das tilápias, pelo fato ser uma doença bacteriana, pode existir tratamentos pelos métodos quimioterapêuticos disponíveis;

c – uma vez que a rota de contaminação é conhecida, praticamente não existem riscos para o consumidor final. A doença não é transmitida de pessoa para pessoa, nem através do manuseio ou consumo de pescado cozido;

d – já é fato comprovado que as tilápias podem conter bactérias patogênicas em sua superfície, as quais podem se tornar um fator de grande risco para pessoas susceptíveis (imunologicamente debilitados devido a idade, convalescença de doença crônica, medicação, etc.)

e – e, finalmente, as tilápias, como as tartarugas e alguns outros animais de estimação devem ser manuseadas com cuidado.