COTRIJUI planeja a piscicultura

A piscicultura ganhou local de destaque no recente elaborado – Programa para a Década de 90 da tradicional Cooperativa Tritícola Serrana – COTRIJUI, que atua em 19 municípios da Região Noroeste do estado do Rio Grande do Sul. Com o interesse social e objetivo primeiro de trazer o peixe para a mesa do agricultor e, conseqüentemente, melhorar a sua alimentação, na década de 70 foi iniciado o programa de piscicultura da COTRIJUI, que conta hoje com 910 produtores entre seus associados. São 1.221 açudes com uma área média de 4.919 m2/açude num total de 600 ha destinados à produção de peixes oriundos do aproveitamento de áreas impróprias para a agricultura, em função de serem muitas vezes úmidas em demasia.

POTENCIAL

Para os produtores gauchos, são boas as perspectivas de crescimento na década de 90, não só porque existe um grande potencial de produção, como também porque a quantidade de produtos aqüícolas disponíveis no mercado não satisfazem a procura, tanto na região, como no país, na América Latina e nos países desenvolvidos. Por outro lado, esse crescimento será ainda mais facilitado na medida que o produtor apresentar respostas positivas a incorporação de novas tecnologias que a eles serão apresentadas pelos técnicos da Cooperativa, cada vez mais especializados, através de cursos de atualização.

O fomento deverá selecionar propriedades com o objetivo de intensificar cada vez mais o sistema de produção, aumentando-se a densidade de estocagem.

Os resultados até então conquistados estimularam a elaboração de um programa para a década de 90 que mostra todo o interesse que a atividade desperta nos piscicultores da região.

Partindo dos atuais 600 ha que funcionam em sistema extensivo, a evolução esperada pelo Programa de Piscicultura da COTRIJUI prevê que, dos 2040 ha que deverão estar em operação no ano 2001, apenas 216 ha estarão funcionando em sistema extensivo (gerando 432 t/ano e 555 mil dólares), enquanto 454 ha funcionarão em sistema semi-intensivo (gerando 2.262 t/ano e 2,9 milhões de dólares) e, caracterizando a tendência, 1.370 ha funcionarão em sistema intensivo (gerando 11.436 t/ano e 14,7 milhões de dólares).

Além disso, também faz parte da estratégia da COTRIJUI para o crescimento da piscicultura nesta década, a inauguração, ainda em 1994, do Centro Regional de Piscicultura em Monte Alvão/Ajuricaba. Este centro atenderá os produtores com a produção de pós-larvas e distribuição de alevinos de todas espécies comercializadas pela Cooperativa e, como base para um pleno desenvolvimento, um amplo programa de pesquisas será conduzido quando o Centro entrar em atividade.