Cresce o cultivo de camarões marinhos

Em 1992, com a chegada do Penaeus vannamei às fazendas brasileiras, o cultivo de camarões marinhos no Brasil tomou novos rumos. Após as várias tentativas sem êxito que tiveram início na década de 70, o país chegou a ter em 1991, um ano antes da introdução do P. vannamei, 1.800 ha de viveiros que usavam densidades de estocagem que iam de 1 a 4 camarões por m2. Na época, as produtividades variavam de 200 a 600 kg de camarões/ha/ano e apenas 8 laboratórios estavam em atividade no país, produzindo um total de 30.000.000 de pós-larvas/mês.

Atualmente, o quadro da carcinicultura marinha vive uma fase de crescimento assegurado pelos bons lucros que experimentam aqueles que nela investiram conscientemente.Os quadros abaixo, publicados no último boletim da ABCC – Associação Brasileira de Criadores de Camarões, revelam, segundo o engenheiro de pesca Enox de Paiva Maia, o panorama recente da carcinicultura marinha brasileira.

PARÁ

• A Camasa, após experiências com diferentes espécies (P. subtilis, P. schmitti e P. vannamei), escolheu o P. vannamei como a mais adequada às condições regionais e iniciou um policultivo com Tilápia Vermelha.

MARANHÃO

• Encontra-se em fase de implantação, a Marismar, que cultivará P.vannamei em uma área de 90 hectares, a partir de 1997.

PIAUI

• A Mariscos do Brasil encontra-se arrendada ao Sr. Tam e a previsão de produção é de 100 toneladas para 1997.

• A Secom, apesar de sua ampliação para 350 hectares, está operando apenas com 150 devido a problemas com o sistema de energia elétrica. Sua produção em 1995 foi de 90 toneladas, cultivando exclusivamente P. subtilis de maneira extensiva. Ÿ A Crusa deverá ser reativada em 1997. O projeto é da MCR Aquacultura.

• A Kep Aqüicultura iniciou produção de pós-larvas de P. vannamei.

CEARÁ

• A Compescal (antiga Jardimar) será ampliada para 210 hectares com previsão de produção de 800 ton. de P. vannamei em 1997.

• A Artemisa iniciou produção de pós-larvas de P. vannamei.

• A recém criada Associação de Pequenos Produtores de CUMBE em Aracati – CE, conseguiu financiamento para 30 hectares, devendo produzir em 1997, cerca de 30 toneladas de P. vannamei.

• A Pesqueira Capanema está com novo proprietário, e foi estocada em setembro com 8 milhões de pós-larvas de P.vannamei.

RIO GRANDE DO NORTE

• O RN sedia a ABCC – Associação Brasileira dos Criadores de Camarões com Roberto Carlos Barbieri Jr., da Plante Camarão, ocupando a presidência. O endereço da ABCC é: Rua Chile, 172, Ribeira, Natal – RN, cep 59012-250. Para contatos telefônicos (084) 502-2650 com Alexandre Wainberg ou (084) 502-2650 com Ana Carolina Guerrelhas.

• A Formosa retornou a administração ao seu proprietário Jackson. O povoamento foi feito com P. vannamei na densidade de 15 camarões / m2 .

• Foram inaugurados 9 hectares de viveiros de reprodutores da Aquatec, a principal empresa abastecedora de pós-larvas do país.

• Encontra-se em fase de implantação o laboratório da Luna. O mesmo tem capacidade para 30 milhões de pós-larvas/mês e a sua previsão de funcionamento é janeiro/fevereiro de 1997.

• A Agropecuária São Luis (Fazenda Curimataú de Camarões), na Barra do Cunhaú encontra-se em fase de construção, com projeto final de 127 hectares de engorda de P. vannamei.

• A Marine está operando o laboratório da Sibra, arrendado ao IPA, em Porto de Galinhas, produzindo P.vannamei .

PARAÍBA

• Sediada nesse estado, a MCR Aquacultura vem sendo a empresa mais atuante na elaboração e implantação de projetos de carcinicultura no Brasil. Atualmente, implanta 13 projetos totalizando 1673 hectares nos estados de PE, PB, RN, CE, PI e MA.

• Encontra-se em fase final de construção, a fazenda Luna. O projeto é de 122 ha de engorda com expectativas de produção de 300 toneladas/ano e a previsão de funcionamento é dezembro de 1996. O valor do investimento foi de 3,5 milhões de reais para a construção do laboratório e fazenda.

• A Aquamaris tem 170 hectares em operação com P. vannamei e aguarda financiamento para modernização e adequação física para intensificar a produção.

PERNAMBUCO

Ÿ Após longa paralisação e mudança de dono, a fazenda Campo Novo Ltda. fez o seu primeiro povoamento com pós-larvas de P. vannamei. A área inicial é de 5 ha devendo expandir breve para 20 hectares.

• A Atlantis Aquacultura, localizada em Goiana tem 200 hectares concluídos que serão povoados em dezembro deste ano, além de 100 ha em fase final de construção. A expectativa de produção é de 1.000 ton/ano e o projeto total terá 600 ha, com P. vannamei e P. stylirostris. Em parceria com a Aqualider Maricultura Ltda., iniciou a implantação de um laboratório com capacidade de 50 milhões de pós-larvas/mês. O projeto, que inclui planta de beneficiamento, totalizará investimentos de R$ 29 milhões.

BAHIA

• A Maricultura da Bahia foi vendida à Valença da Bahia Maricultura.

• Foi implantado no início deste ano na Ilha de Itaparica, o primeiro projeto privado brasileiro de cultivo de camarão marinho em gaiolas flutuantes, sob a responsabilidade do Sr. Eduardo Lemos. As densidades de povoamento variam de 50 a 100 camarões/m2. O período da fase de berçário é de 30 a 60 dias e o período de engorda varia de 4 a 6 meses. As primeiras despescas alcançaram a produtividade de 800 a 1100 g/m2/despesca.