Dourado em Cativeiro

Técnicos do departamento do ‘Meio Ambiente da Itaipu Binadonal estão obtendo resultados bastante promissores com o cultivo experimental do Dourado em cativeiro. Com o nome científico de Salminus maxillosus, a espécie é muito procurada por pescadores da região Centro-Oeste, sua carne é de excelente qualidade e muito saborosa. As gaiolas de criação já ocupam uma superfície de 180 metros quadrados e permitem ao Departamento da Itaipu produzir 3,5 toneladas de peixes nesse sistema, inclusive o Pacu.

Animal muito comilão, o Dourado é alimentado seis vezes ao dia com uma ração especialmente preparada, contendo 52 por cento de proteína bruta.

A domesticação de espécies nativas, como o Dourado, é uma excelente e importante iniciativa para o melhor conhecimento da fauna nativa e sua preservação. Esse e outros trabalhos da mesma natureza precisam de estímulos e devem ser divulgados para que os conhecimentos da nossa grande biodiversidade íctica sejam ampliados.