Espírito Santo e o futuro na maricultura

O bijupirá é nova aposta do Estado na maricultura. O projeto está na sua fase inicial, ou seja, há cerca de um ano, mas com resultados animadores que sinalizam um futuro promissor. Agora em novembro já ocorreram duas desovas no município de São Mateus, no laboratório do Pandini na localidade de Urussuquara, quando foram coletadas dois milhões de ovas. As matrizes em número de 15, que chegaram em outubro de 2006, foram oriundas da Bahia Pesca, fruto de um convênio de cooperação técnica, assinado em maio de 2003, entre os Governos dos dois estados, a Fundação PROMAR, a SESOM – Serviços & Comércio e o INCAPER – Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural, com o objetivo de desenvolver a aqüicultura e pesca do Espírito Santo.

Reprodutores de bijupirá e os primeiros alevinos produzidos no Espírito Santo
Primeiros alevinos produzidos no Espírito Santo

Outro fato importante para o setor da aqüicultura e pesca do Espírito Santo, é a futura implantação da Agência de Fomento com cunho público e privado, com a finalidade de promover, executar e fomentar a política de desenvolvimento da aqüicultura e pesca no âmbito estadual, conforme orientação do Governo do Estado.