Fiperj comemora 20 anos

A Fundação Instituto de Pesca do Estado do Rio de Janeiro – Fiperj, vinculada à Secretaria de Agricultura, Pecuária, Pesca e Abastecimento, comemorou no dia 24 de outubro, 20 anos de sua criação. Para festejar, a Fiperj realizou uma solenidade no auditório da Associação Comercial do Rio de Janeiro. Na ocasião, foram homenageados o idealizador da fundação, professor Olintho Silva e o representante da Marinha do Brasil, almirante Paulo Moreira, pesquisador que muito contribuiu para a implantação da maricultura no Estado. Autoridades e representantes de entidades ligadas ao setor também participaram da solenidade. Durante o evento foi apresentado um painel sobre o setor pesqueiro no Estado do Rio de Janeiro, destacando suas potencialidades e apontando os gargalos para o desenvolvimento do setor.

A Fiperj é responsável pela operacionalização das políticas públicas voltadas para o desenvolvimento da aqüicultura e da pesca no Estado do Rio de Janeiro, e para cumprir com seus objetivos, a entidade tem estabelecido parcerias com entidades públicas e privadas, em prol do desenvolvimento de ações que beneficiem as comunidades de pescadores.

A organização da FIPERJ envolve cerca de 65 profissionais efetivos, entre pesquisadores, técnicos e profissionais de apoio, que desenvolvem pesquisas e levam assistência técnica e extensão aos pescadores e aqüicultores, na produção comercial de organismos aquáticos, processamento e beneficiamento de pescado, educação ambiental, mecânica naval, pintura de embarcações, confecção e reparo de redes, associativismo e cooperativismo, créditos pesqueiro e aqüícola, dentre outros. Dessa forma, a Fundação acredita estar cumprindo efetivamente com a sua missão institucional de desenvolver em bases sustentáveis a atividade em todo o Estado do Rio de Janeiro.

Tecnologia do Pescado

A FIPERJ através da Unidade de Tecnologia do Pescado – UTPo, realiza também trabalhos de pesquisa relacionados à nutrição de organismos aquáticos. O objetivo principal dessas pesquisas é determinar as exigências de nutrientes essenciais de algumas das espécies de pescados com importância para a aqüicultura brasileira, em especial para o Rio de Janeiro. Os trabalhos desenvolvidos em cooperação com outras instituições brasileiras ou estrangeiras contam com financiamento de órgãos de fomento nacional, como a FAPERJ e o CNPq, e também internacional, como a JICA e a Comunidade Européia. Dentre as linhas de pesquisa desenvolvidas, uma grande ênfase é dada ao estudo das exigências de lipídios e ácidos graxos para peixes.