Genomar produz tilápia para o grande mercado chinês

A GenoMar Supreme Hatchery China (GSHC) é uma das filiais da GenoMar ASA, empresa Norueguesa atuante na área de biotecnologia de pescado. A empresa tem como objetivo a produção de alevinos de alta qualidade e geneticamente superiores. Todos os reprodutores são marcados geneticamente e com uma simples amostra de tecido em um Sushi bar é possível identificar de qual país ou até de que tanque ou viveiro aquele peixe é procedente. Atualmente a GenoMar possui filiais nas Filipinas, Singapura e China, além de parceiros espalhados pelos cinco continentes. Na América do Sul, a GenoMar possui parceiros no Brasil (Piscicultura Aquabel) e no Equador (Aquamar SA).

Por:
Thomas Olof Berg Hasper 
GenoMar Global Tilapia Operations [email protected]


A GSHC está localizada na Ilha de Hainan no extremo sul da China. Hainan é a mais nova província da China com 34.000 km2 e clima tropical. Com uma população de 7,7 milhões de habitantes, a maior parte concentrada na capital da Ilha Haikou, Hainan se localiza próximo à província de Canton (Guangdong) que detém 60% da produção de tilápia do país.

O objetivo principal da GSHC, é produzir alevinos machos GST (GenoMar Supreme Tilápia) de alta qualidade e performance, para o mercado Chinês e de exportação. No início de 2005 suas operações foram transferidas para uma nova área de 43 hectares, com 50 tanques escavados e 96 tanques de concreto. Possui 120 funcionários e, atualmente, produz 12 milhões de alevinos/mês, entretanto a produção prevista para o ano de 2006 é de 300 milhões de alevinos.

Todos os anos, a GSHC recebe a última geração de GST desenvolvida no núcleo de reprodução e melhoramento genético, nas Filipinas. Na GSP (GenoMar Supreme Phillipines) os futuros reprodutores passam por rigorosa seleção visando um rápido crescimento, melhor aproveitamento de filé, baixo FCA (fator de conversão alimentar) e resistência a doenças, entre outras características. Chegando na China, essa nova geração ainda passa por outra bateria de seleções para melhorar sua performance em relação ao ambiente local. A troca de informações entre as empresas filiais e parceiros é constante, assim o crescimento tecnológico desenvolve-se rapidamente proporcionando melhoras na qualidade do alevino produzido. No próximo ano, a GSHC estará colocando seus alevinos de tilápia tolerantes à salinidade ou STT – Salt Tolerant Tilápia, à disposição do mercado chinês e internacional. Essa linhagem está em sua terceira geração e possui resultados ótimos de crescimento em águas salobras (até 25 ppt).

Tanque de repordução com hapas de acasalamento
Tanque de repordução com hapas de acasalamento
Reprodutor GST com ovos
Reprodutor GST com ovos
Ovos em incubação artificial
Ovos em incubação artificial
Incubação de larvas
Incubação de larvas
Larvas recém eclodidas
Larvas recém eclodidas
Reversão sexual em tanques de concreto
Reversão sexual em tanques de concreto
Tanque de reversão sexual
Tanque de reversão sexual

Por Hainan localizar-se na faixa tropical, tem-se em média 300 dias de sol por ano, com invernos ensolarados e verões quentes e úmidos. No inverno, que vai de novembro a fevereiro, a temperatura da água pode ficar abaixo de 22oC. Nessa estação, estufas são erguidas na maioria dos tanques proporcionando uma estável produção anual de alevinos. Os reprodutores permanecem em hapas de acasalamento onde semanalmente são manuseados para retirada dos ovos das fêmeas. Esses ovos são rapidamente enviados para o novo laboratório de incubação, onde são artificialmente incubados e posteriormente destinados para a reversão sexual em tanques escavados ou de concreto.

O novo laboratório de incubação é formado pela união de quatro sistemas independentes de incubação. Cada sistema possui 100m3 de água em recirculação com filtragem mecânica e biológica, proporcionando maior segurança no processo de incubação e melhor qualidade das larvas eclodidas. O novo laboratório foi projetado para ter completa biossegurança. Assim, junto com as medidas de mesma natureza na fase de reversão sexual e no empacotamento, assegura a venda de alevinos resistentes e livres de doenças. A capacidade máxima de estocagem é de 100 milhões de ovos mensais produzindo 75 milhões de larvas para a reversão sexual. Entretanto, essa produção é limitada a períodos do ano em que ocorrem os picos de demanda de mercado.

As larvas que saem do laboratório de incubação são transferidas para hapas em tanques escavados, ou para tanques de concreto de produção intensiva. Ali, são alimentadas com ração de alta qualidade, contendo elevado teor de proteína, para assegurar um bom desenvolvimento do alevino nessa fase inicial e tão importante para o posterior desenvolvimento do peixe. Em todos os tanques a troca de água é mínima e somente o volume perdido por evaporação ou percolação é reposto. Todos os cuidados para não alterar e prejudicar o meio ambiente são tomados, e a GSHC tem como objetivo a obtenção do ISO 14000 em um futuro próximo. Durante todas as fases de produção é dada especial ênfase à qualidade da água nos sistemas. Fertilizantes inorgânicos e “sopas” de algas, são aplicadas diariamente ajudando na produtividade planctônica natural dos tanques.

O mercado chinês de tilápia cresce 15% ao ano, segundo estatísticas do governo local. Em 2004 a produção total foi de 680,000 toneladas, de acordo com autoridades da província de Canton, sendo essa província detentora de 55% a 60% da produção do país. Atualmente, cerca de 80% da tilápia produzida no país é consumida no mercado interno. Porém, esses números tendem a mudar, uma vez que novos canais de exportação são criados a cada ano. Em 2006, a GSHC espera ter uma significante fatia no suprimento de alevinos para esse mercado. Outros mercados como Vietnã, Indonésia e Malásia também estão sendo estudados.

O grupo GenoMar é, atualmente, a única empresa com superior material genético e alta tecnologia na produção de alevinos. Com o rápido processo de industrialização chinesa, cada vez mais empresas de processamento de pescado buscam por um produto superior, de alta qualidade e rendimento, para se diferenciarem na competição de mercado. Com seu time técnico mundial, constante monitoramento de seus produtos e trabalhando lado a lado com os produtores, monitorando a performance durante toda a engorda do peixe, a GSHC espera tornar ainda maior o mercado asiático e a qualidade da tilápia para o resto do mundo.

A inauguração da unidade de alevinos da GenoMar, em Hainan, na China, foi tema da lista de discussão Tilápia List da Yahoogroups e registrou, em 7 de julho passado, uma troca de e-mails que reproduzimos a seguir, gerada a partir da informação enviada para a lista por Vidar Lund, da Genomar, informando aos participantes a inauguração da nova unidade de produção de alevinos da empresa em Hanian, na China.
A inauguração da unidade de alevinos da GenoMar, em Hainan, na China, foi tema da lista de discussão Tilápia List da Yahoogroups e registrou, em 7 de julho passado, uma troca de e-mails que reproduzimos a seguir, gerada a partir da informação enviada para a lista por Vidar Lund, da Genomar, informando aos participantes a inauguração da nova unidade de produção de alevinos da empresa em Hanian, na China.

De: “vidar_genoma

r” [email protected]
Para: [email protected]
Assunto: [tilápia] O maior laboratório de larvicultura de tilápia é inaugurado na China

Eu estou feliz em informar que a GenoMar inaugurou uma nova unidade de produção de alevinos em Hainan. A primeira de quatro unidades já começou a operar e as restantes estão sendo concluídas no verão. Cada unidade tem capacidade para incubar 25 milhões de ovos por mês, o que permitirá uma produção máxima de 80-100 milhões de larvas por mês (previsto para os períodos de picos). Após a conclusão da unidade e da infra-estrutura de apoio, a unidade poderá fornecer cerca de 400-500 milhões de alevinos revertidos sexualmente e de alta qualidade, por ano. Esta produção atenderá uma significativa parcela da demanda chinesa e a GenoMar se firmará como um dos grandes grupos do setor na China.
Vidar Lund / GenoMar ASA

De: [email protected]
Para: [email protected]
Assunto: [tilápia] O maior laboratório de larvicultura de tilápia é inaugurado na China

…e ser capaz de cortar a garganta de todos os produtores de tilápias do resto do mundo, incluindo os USA. Me diga quem pode competir contra o “arroz” e a mão-de-obra escrava? Hoje eles são os maiores exportadores de filé de tilápia do mundo e estão em expansão. Vamos continuar a enterrar o mundo ocidental…não levará muito tempo para que a China vermelha dite as regras para o mundo. Então nós iremos ver como os que construíram (o laboratório) irão se sentir.
Jack Mandelblum

De: “Jérôme Lazard” [email protected]
Para: [email protected]
Assunto: [tilápia] O maior laboratório de larvicultura de tilápia é inaugurado na China

Você está feliz, mas eu não estou! Nestes tempos em que estamos falando e tentando trabalhar na diminuição da pobreza que implica, entre outras coisas, na produção de alevinos em pequenas unidades para disponibilizar a preços que os piscicultores possam pagar (os alevinos da GenoMar já são muito mais caros para os “pobres” piscicultores filipinos, quando comparados aos alevinos “tagalogs” nativos). Vocês estão construindo uma imensa unidade de produção e propagando que seus alevinos são de “alta qualidade”. O que tudo isto significa? Alevinos de alta qualidade para ser cultivado em viveiros adubados? Em viveiros de arroz? Em viveiros de policultivo? Você está é contribuindo para tornar este mundo ainda mais injusto do que já é.
Regards,Jérôme Lazard

De: “Greg Lutz” [email protected]
Para: [email protected]
Assunto: [tilápia] O maior laboratório de larvicultura de tilápia é inaugurado na China

O mundo está mudando. Eu falo para os meus filhos que se eles planejam ficar nos USA é melhor eles aprenderem o espanhol, mas se eles planejam morar no exterior é melhor que eles aprendam chinês. Tilápia ainda é tilápia e nós a estaremos cultivando em todo o mundo. Vamos focar neste aspecto.
C. Greg Lutz

De: Sergio Zimmermann
Para: [email protected]
Assunto: [tilápia] O maior laboratório de larvicultura de tilápia é inaugurado na China 

A agricultura industrial convencional é uma realidade no mundo todo, mas se você observar mais atenta e imparcialmente para este sistema, a agricultura industrial é também uma ferramenta poderosa para a diminuição da pobreza (naturalmente não para os pequenos produtores de tilápias), mas basicamente por disponibilizarem produtos a preços baixos para um grande número de pessoas (existem mais pessoas pobres do que pequenos produtores de tilápia). Considere que a maioria das pessoas pobres no mundo estão vivendo a partir da indústria e dos serviços, e não diretamente da agricultura e que eles não estão também nas áreas rurais. Não muito tempo atrás eu estava fazendo uma apresentação em uma área remota e pobre do Brasil e escutei de um velho agricultor sem-terra: “as grandes fazendas com suas margens e grandes volumes beneficiam as pessoas pobres (também pequenos salários e grandes volumes), então para o pequeno produtor rural a saída natural é vender pequenos volumes, mas com valor agregado para os mercados ricos. O nosso problema é que temos acesso limitado aos consumidores ricos, mas podemos entregar para eles produtos mais específicos”… Ele talvez estivesse se referindo à tilápia “tagalog seed” com selo de responsabilidade social. Existe espaço para diversos tipos de agricultura neste mundo. Como foi mostrado em uma mensagem anterior, é questão apenas de ser competente, desenvolvendo técnicas de produção, agregando valor, marketing e serviços. Eu tenho dificuldade em acreditar que alevinos de tilápia de certas linhagens possam ser tão caras para os produtores filipinos, mesmo cultivando peixes em sistemas baseados em adubação do viveiro com esterco, que também tem custo. Como pode um produtor não dispor de recursos para adquirir alevinos de qualidade se estes representam apenas 2-10% do custo total de produção (dependente do sistema de produção)? Se este produtor não consegue adquirir alevinos, também será difícil fazer a entrega dos peixes para o mercado. Por outro lado, alevinos de qualidade distribuirão qualidade e tecnologia por toda a cadeia de valores não somente do país (alevinos “tagalog “ podem ser cruzados com produtos de boa qualidade), mas também motivar nações competidoras e políticas de desenvolvimento para o setor. Como no caso do México, onde os alevinos de tilápia são subsidiados pelo governo (especialmente na forma de distribuição gratuita de alevinos que ocorre em muitos estados) e assim a iniciativa privada não é motivada para investir/produzir alevinos de qualidade (competição injusta). Talvez este seja o sonho real do Jérôme para os produtores de tilápias filipinos, mas se as Filipinas estiverem seguindo os mesmos passos  do México, eu tenho certeza de que estarão na mesma situação do México em termos de  alevinos de qualidade e processo de reversão sexual: não existe opção para os produtores que querem investir em qualidade e competitividade. Congratulações para todos os projetos de qualidade, eles estão nos ensinando a fazer o nosso trabalho ainda melhor.
Sergio Zimmermann
GenoMar ASA