Informe Publicitário – Bass Tecnologia em Piscicultura

Sistema Modular

Possibilita Criação Super Intensiva Com Baixo Custo Operacional


 

foto12

Atualmente não se justifica mais a exaustão de recursos, sejam eles de quaisquer natureza, pois já é possível utilizar-se de tecnologia para a produção de alimento a baixo custo visando um “desenvolvimento sustentável”. Buscando uma otimização da relação custo-benefício, a BASS, empresa sediada em Pirassununga-SP, com filial na capital paulista, oferece um sistema de criação superintensiva, chamado “Granja de Peixes” que possibilita a criação de peixes em alta densidade e com baixa renovação de água, que pode ser utilizado durante todo o ano.

Com a instalação do sistema completo que dispõe de equipamentos para aclimatização, filtragem, esterilização e oxigenação do ambiente aquático, há possibilidade de se retirar, ao final do período de engorda que dura em torno de cinco meses no primeiro ciclo, aproximadamente duas toneladas de pescado com peso médio de 500 gramas, com uma densidade de estocagem em torno de 40 kg/ m3. Para alcançar uma produção de até duas toneladas de peixes por safra a “Granja de Peixes” da BASS, deve ser montada com volume total de 50 m3. No caso de se criar peixes redondos como o pacu e o tambaqui, ou Brycons como o matrinxã e a piracanjuba, essa capacidade cai para cerca de 1200 kg por safra a cada seis meses.

A Granja de Peixes possui um sistema da aclimatização cuja função é manter constante a temperatura da água evitando-se os problemas decorrentes das variações térmicas, além de permitir que se possa trabalhar durante o ano inteiro a uma temperatura adequada à manutenção em ambiente fechado. Com a temperatura do ambiente aquático controlada, é possível eliminar o fator sazonalidade, favorecendo muito a produção, que passa a ser constante. Tem ainda um sistema de filtragem cuja principal função é manter a boa qualidade da água, proporcionando um ambiente adequado à vida dos peixes, ao criar condições para um bom ganho de peso, além de reduzir a possibilidade de submeter estes animais a uma condição de estresse gerada pelo desconforto ambiental. A fim de eliminar agentes patogênicos que normalmente estão presentes na água, tais como fungos, protozoários, copépodos, algumas bactérias, entre outros causadores de doenças em peixes, que se manifestam apenas quando encontram condições favoráveis, foi incorporado também ao produto um sistema de esterilização. A aeração é possibilitada através da injeção de ar comprimido diretamente na coluna d’água, o que permite uma elevada densidade de peixes por m3 associado a um ganho de peso otimizado.

O produto ocupa uma área de apenas 7,0 x 18,0 metros, dispensa a escavação do terreno possibilitando de forma fácil a sua mudança de local e é composto por tanques pré-moldados de vinilona preta fabricada pela Sansuy. Neles, os peixes não têm contato direto com o solo e não tem acesso a outros tipos de alimentação além da ração, o que resulta numa melhoria na qualidade do pescado, principalmente no que tange ao sabor da carne.

Parceria

Segundo o engenheiro Victor De Carli, responsável pelo desenvolvimento dos produtos, a Bass mantém parcerias com a Universidade Estadual do Rio de Janeiro e Universidade Federal de São Carlos, que visam o intercâmbio entre o meio científico e o produtor através da difusão tecnológica. A empresa, que teve como ponto de partida o desenvolvimento de equipamentos para promover a pesca elétrica e a eletronarcose para transporte de peixes, detém hoje toda a tecnologia para a indução de campos eletromagnéticos visando a facilidade no manejo do pescado e a redução do estresse dos animais com baixo custo operacional. Hoje, após cinco anos da sua fundação a Bass dispõe de uma linha de modernos produtos e equipamentos para o controle do ambiente aquático desde aclimatizadores e filtragem automática para retenção de sólidos e amônia para volumes até 500 m3, além de esterilizadores de última geração e, a partir de fevereiro promete oferecer também difusores de ar inquebráveis confeccionados sinteticamente capazes de produzir microbolhas.

A empresa mantém a disposição dos interessados e aberto a visitação, um módulo da “Granja de Peixes” em funcionamento no Km 204 da Rodovia Anhanguera (sentido interior/capital) no município de Pirassununga. Mais informações podem ser adquiridas com Fabiana Grechi, veterinária responsável, pelo telefone (19) 561- 2591.