Lançamento da Alfakit permite fazer o teste de balanço iônico

Os kits de análise de água em pisciculturas e carciniculturas, que a Alfakit produz há mais de 30 anos, estão adaptados para dois novos conceitos de avaliação da qualidade da água: salinidade absoluta e salinidade relativa. De acordo com Leo de Oliveira, sócio-proprietário e responsável pelo desenvolvimento dos kits, a empresa está sempre atenta ao foco de interesse do aquicultor, e esse está cada vez mais querendo entender sobre tudo aquilo que diz respeito ao seu negócio.

Leo explica que salinidade absoluta é aquela que, mesmo em níveis baixos até níveis altos, mantém a mesma composição iônica e a mesma proporção. Já a salinidade relativa é quando um equipamento lê uma salinidade e a composição iônica é diferente. “Na análise da água do mar, que é a proporção ideal para criação de camarão, dividindo o cloreto pela dureza, existe o fator 3,48 que é o fator Alfa.

Qualquer água que, dividindo o cloreto pela dureza, comece a diferir de 3,48, começa a dar problema, principalmente se ficar abaixo de 2,5 ou acima de 5,0. As pós-larvas sentem bastante a diferença entre a salinidade absoluta (quando saem dos laboratórios) e a relativa (medida nas propriedades), pelo impacto do choque osmótico. Muitos produtores usam equipamentos não certificados de medição, principalmente os que usam águas de poço ou outras águas interiores.

A salinidade  informada por esses equipamentos é a relativa, e não a absoluta, e isso terá reflexo na sobrevivência. Com o equipamento simples que a Alfakit está lançando, é possível fazer esse teste presuntivo de balanço. À medida em que este valor se afasta muito de 3,48 recomenda-se fazer uma avaliação do balanço completo” diz Leo.