Mais da metade dos espanhóis não alcançam a ingestão semanal recomendada de peixe

A Espanha sempre foi vista como um país que possui um alto índice de consumo de pescado. No entanto, um estudo de mercado realizado em dezembro no pais da “paella” para descobrir o perfil do consumidor “de peixe fresco”, detectou que mais da metade dos cidadãos não consome as porções de pescado recomendadas pelas autoridades de saúde, que estabeleceram uma ingestão de pelo menos 3 a 4 porções semanais, para que se possa desfrutar plenamente de hábitos alimentares saudáveis.

Este estudo foi realizado para analisar a notoriedade do rótulo “Crianza de Nuestros Mares” (Criações dos nossos mares) na Espanha. A pesquisa foi realizada em um total de 513 moradores das 17 comunidades autônomas espanholas com diferentes idades e níveis socioeconômicos.

A pesquisa revelou que existem três grupos em que o consumo de peixe é especialmente baixo. Um deles é composto por jovens de até 24 anos, que registram um consumo de 1,38 vezes por semana. Outro caso é o das classes média, baixa média e baixa, onde a ingestão média também é menor, ao redor de 1,7 porções de peixe fresco por semana. As famílias sem filhos também estão entre os grupos que estão mais longe das recomendações de saúde, já que mantêm um consumo de 1,46 vezes por semana.

Sobre a pergunta “Como você prefere comprar peixe fresco?”, 72,4% responderam que preferem inteiro, um percentual um pouco menor que o de 2018. No entanto, as pessoas que preferem cortado, limpo e em uma bandeja cresceu ligeiramente, 6,9%  (5,1% em 2018), da mesma forma que aqueles que preferem adquirir cortados, limpos e expostos na peixaria, 20,7% (20,1% em 2018).

Fonte: Myspeces