Notícias e Negócios On Line – Edição 40

De: João Luís Sauer Dias – [email protected]
Para: [email protected]
Assunto: Para divulgar entre os leitores
Caro Jomar, recebi carta do Dr. Alirio Borquez Ramirez, junto com a publicação FAO FIRI/C918 intitulada “Produción Alimentación de Salmónidos cultivados en America Latina y el Caribe”. Na carta ele informa que pretende continuar a busca de informações sobre nutrição e alimentação de salmonídeos mas, devido a dificuldade de se conseguir dados sobre este assunto na América Latina, está montando uma base de dados sobre pesquisadores e publicações dos últimos 10 anos. Está interessado em obter um registro completo de cada pesquisador (títulos, local de trabalho, área de interesse, trabalhos publicados, etc.). Neste banco de dados, pretende incluir pesquisadores envolvidos não somente com espécies cultivadas, como também os que trabalham com espécies de grande potencial em cultivos extensivos, semi-intensivos e áreas correlatas a nutrição e alimentação, como fisiologia da nutrição, anatomia digestiva, conteúdos gástricos, testes com novas rações, etc. Acredito que a Panorama da AQÜICULTURA é o local mais adequado para se difundir esta chamada. O endereço completo do Dr. Alirio Borquez Ramirez é: Dep. de Ciencias de la Acuicultura, Universidad Catolica de Temuco, Montt 056 – Temuco – Chile. Tel: 056 – 45 – 210773 Anexo 437, Fax: 056 – 45 – 270902. Abraços João Luis Sauer Dias


De: Alexandre Alter Wainberg – [email protected]
Para: Panorama da Aqüicultura – [email protected]
Assunto: Simpósio em Honduras
A viagem para Honduras foi ótima. Tinha 22 brasileiros, a segunda maior delegação após o México. O Itamar de Paiva Rocha participou da mesa, na solenidade de abertura, como presidente do Latin America Chapter da WAS. O Roberto Barbieri fez uma apresentação sobre o avanço da tecnologia de engorda de P. vannamei no Brasil. O congresso em si teve vários aspectos interessantes: 1- O policultivo de camarão com tilápia não causou boa impressão, devido as dificuldades de adaptação da tecnologia de cultivo das duas espécies no que concerne a: a) para que a tilápia (6 meses) possa ser despescada simultaneamente ao camarão (- 4 meses), é preciso uma fase anterior de berçário até 150 gramas; b) na despesca, as diferentes reotaxias, positiva para o camarão e negativa para tilápia, dificultam o processo de coleta e separação; c) a tilápia é muito voraz, comendo a ração de camarão, mais cara (R$ 0,20 contra R$ 0,70-1,10), necessitando aparatos exclusores. Foi aventada a possibilidade de educar as tilápias a comerem com alimentadores automáticos no berçário, mas acho que elas acharão rapidamente a ração dos camarões nas bandejas e farão o maior estrago; d) tilápia depois de 10 ‰ salinidade tem o crescimento retardado; 2- Para o pessoal dos laboratórios de P. vannamei, foi bom o nível da palestra sobre formação e melhoramento de plantel de reprodutores e síndrome de zoea; 3 – Para mim, a nível de meio ambiente x carcinocultura, estive com algumas feras que se comprometeram a dar uma ajuda; 4 – O pessoal da tilápia do Sul ficou decepcionado pois a produtividade deles é maior; 5 – Sobre tecnologia de engorda, estamos na frente, mas o volume de área cultivada é impressionante – 13.000 hectares coladinhos um no outro só em Honduras, mais Nicarágua e El Salvador, numa área do tamanho de uma Baia da Guanabara. Vai dar problema e não vai demorar muito!


De: Paulo de Paula Mendes – [email protected]
Para: [email protected]
Assunto: Home-page
Finalmente conseguimos colocar no ar a home-page do Departamento de Pesca da Universidade Federal Rural de Pernambuco. Aqui vai o endereço: para ver desde o início…www.ufrpe.br (veja em centros acadêmicos). Para ver diretamente….www. npde.ufrpe.br/portug.html


De: Sergio Tamassia – [email protected]
Para: Todos da lista AQUA-L – [email protected]
Assunto: Lernea x Dimilin
Alô leitores da Aqua-l. Alguém já teve alguma experiência com: 1) uso do DIMILIN (nome comercial) – [DIFLUBENZURON ou 1-(4-cloro-fenil)-3-(2,6-difluorobenzoil)-uréia], de forma rotineira para controle de Lernea em viveiros de peixes? 2) o uso desse produto aditivo na ração para controlar a Lernea? Gostaria de conhecer experiências, idéias ou opiniões. Obrigado


De: “servaas de kock” – [email protected]
Para: “Sergio Tamassia” – [email protected]
Assunto: Re: Lernea X Dimilin
Nós usamos o Dimilin a 1 mg/l como parte de nossa quarentena padrão, para todos os peixes que chegam a fazenda. O tratamento é repetido uma semana depois para assegurar a total erradicação de Lernea e Argulus. Nós achamos bastante efetivo mas não temos experiência do uso como suplemento de ração. (freqüentemente me pergunto se o Dipterex não faria o mesmo efeito). De acordo com uma fonte (Neville Marais, KOISA, No 46 Nov. 1992), o Dimilin interfere com a produção de quitina dos insetos sendo ideal no controle de muitas pragas na aqüicultura, especialmente durante o processo de mudas das larvas desses animais. Dimilin tem baixa toxidade para mamíferos (ratos LD50 de 10 g/kg) assim como em peixes. Em sete espécies de peixes testadas, nenhuma demonstrou reação a concentrações superiores a 300 mg/l. A luz do sol e o pH agem de forma importante na decomposição e na eliminação do Dimilin do sistema. Servaas de Kock Qkoi Fish Farm – Bonnievale, África do Sul.


De: Alfonso Silva – [email protected]
Para: Todos da lista AQUA-L – [email protected]
Assunto: Anais da A.L.A.
Queridos Aqualeitores, A Associação Latino-americana de Aqüicultura (A.L.A.) tem o prazer de anunciar a disponibilidade de duas publicações do IX Congresso Latino-americano de Aqüicultura. A primeira é um livro com 80 artigos selecionados das sessões e workshops. A referência completa é: “Acuicultura en Latinoamerica. Comunicaciones Cortas”, IX Congreso Latinoamericano de Acuicultura e II Simposio Avances y Perspectivas de la Acuicultura en Chile. Universidad Católica del Norte, Asociación Latinoamericana de Acuicultura (A.L.A.), Coquimbo, Chile, 1996, 373 pag. A segunda publicação contém 222 resumos cujos tópicos incluem engorda, nutrição, patologia, genética, etc… de peixes, moluscos, crustáceos e algas. O preço de cada um é US 40,00 mais o custo postal. Os interessados devem se dirigir a Isabel Varela, Biblioteca, Universidad Católica del Norte, Sede Coquimbo, Chile. P.O.Box 117; Fax 56-51-311938; E.mail: [email protected]


De: Panorama (off-line)
Para: Todos interessados em rãs
Assunto: Nova lista de discussão
Os interessados em participar de uma lista de discussão sobre rãs na internet, podem assinar a FROG-NET: Amphibian Researcher Mailing List. O endereço para submeter a assinatura é [email protected] e o endereço para enviar mensagens para a lista é [email protected]. A FROG-NET está instalada para facilitar a comunicação entre pesquisadores e interessados em aspectos de comportamento e mecanismos neurais nos anfíbios. O responsável pela Lista chama-se Jim Liaw – [email protected].