NOTÍCIAS & NEGÓCIOS – edição 148

WHATSAPP – A Panorama da AQÜICULTURA conta com uma nova e ágil ferramenta para você interagir com a revista: o WhatsApp, aplicativo de mensagens gratuitas por celular. Você pode sugerir uma pauta de matéria ou mesmo, se estiver diante de uma notícia, poderá enviá-la direto para a nossa redação. Fotos, vídeos e textos podem ser mandados. Basta instalar o aplicativo no celular e adicionar o número (21) 97252-5595 (VIVO) à sua agenda de contatos.

SEMENTES DE OSTRA NATIVA – A PRIMAR construiu um laboratório piloto para P&D em produção de sementes de ostras e conseguiu desenvolver um protocolo para produção massiva da ostra nativa Crassostrea gasar. Segundo o biólogo Alexandre Wainberg, proprietário da PRIMAR, foi uma luta de pouco mais de um ano até afinar o protocolo. A ostra nativa difere em alguns pontos fundamentais da ostra japonesa e a tecnologia teve que ser adaptada. A tecnologia utilizada é considerada “o estado da arte” em cultivo larval de moluscos bivalves e utiliza o sistema super intensivo de fluxo contínuo, berçários primários em garrafas (spat bottles) e berçário secundário em upwheller. Mas o coração de tudo é o seu sistema de produção de microalgas em sistema semi contínuo em sacos plásticos de 300 litros, onde oito espécies de microalgas são cultivadas, cada uma adequada a uma fase do cultivo larval. O laboratório localiza-se na própria fazenda da PRIMAR e utiliza água estuarina que passa por 19 processos de físicos, biológicos e químicos até alcançar o nível de pureza necessário. Pouco mais de 1,2 milhões de sementes já foram produzidas e já estão em processo de engorda. A PRIMAR está estabelecendo uma parceria com o SEBRAE para apoiar os projetos de ostreicultura nas comunidades costeiras do nordeste.

CONBEP 2015 – Foi muito feliz a escolha dos organizadores do CONBEP 2015, que buscaram nos azulejos dos casarios da capital Maranhense, a inspiração para a bela logomarca do evento. Uma justa homenagem a cidade de São Luís, que irá receber de 4 a 8 de outubro o XIX Congresso Brasileiro de Engenharia de Pesca na Universidade Federal do Maranhão – UFMA. O CONBEP ocorre a cada dois anos e o tema escolhido para o evento desse ano é: “Engenharia de Pesca: transformando os recursos aquáticos em benefícios para a humanidade”. A coordenação do CONBEP 2015 lembra que a data limite para a submissão de trabalhos é 15 de junho. Já estão confirmados os 10 minicursos. Anote aí: Enzimologia e Biomoléculas de Organismos Aquáticos (Talita Espósito – UFMA); Aquicultura Marinha (José Iglesias – Instituto Espanhol de Oceanografia); Empreendedorismo na Pesca e Aquicultura (Sílvia Dellorto – Seta Aquicultura Ltda.); Estatística aplicada à pesca e aquicultura (Paulo de Paula Mendes – UFRPE); Piscicultura Ornamental (Leopoldo Melo Barreto – UFRB); Noções de Construção de Embarcações de Pesca (Luiz Phelipe Andrés – Estaleiro Escola); Curtimento de Pele de Peixe (Susana Luz – UNEB); Uso de bioflocos e recirculação na aquicultura (Maurício Emerenciano – UDESC); Instrumentos de apoio a pesca e Navegação (Marcelo Tubarão – UFERSA); e, Microparasitas em organismos aquáticos (Carlos Azevedo – Universidade do Porto/Portugal). Mais informações no http://xix-conbep.webnode.com/. As inscrições para o evento já estão abertas e com preços bem diferenciados para quem se antecipar.

XII FENACAM – Em 2015 a WAS, em representação de seu capítulo Latino Americano e do Caribe (LACC/WAS), novamente se juntará a ABCC para realizar a Feira Nacional do Camarão (FENACAM’15), a Reunião Anual do Capítulo da América Latina e do Caribe (LACQUA’15), bem como o primeiro Encontro Regional de Aquicultura da WAS (SARA’15). Os encontros acontecerão no Centro de Eventos de Fortaleza (Ceará). A capital cearense reunirá a comunidade Latino Americana e mundial da aquicultura em torno do tema: “Ciência e Indústria unindo forças para atender a demanda de produtos aquícolas”. O programa vai explorar os diversos aspectos deste tema, bem como abordará as mudanças técnicas e práticas que estão norteando o desenvolvimento da aquicultura, incluindo os fundamentos para a superação dos seus desafios. A data limite para submissão de resumos é 1 de junho de 2015, via www.was.org. As inscrições e outras informações podem ser obtidas no site da FENACAM – www.fenacam.com.br. Atividades especiais para estudantes também estão sendo preparadas, fiquem atentos!

DESAFIOS DA INDÚSTRIA DO PESCADO – Nos dias 24 e 25 de junho de 2015 acontecerá em Piracicaba – SP o workshop “CEU! Cooperação entre Empresas e Universidade: Desafios da indústria do pescado”, no qual pesquisadores e empresários poderão expor suas ideias, experiências e objetivos. A primeira edição deste evento a ser realizado pelo Instituto Pecege, pretende debater os entraves da aproximação entre empresas e universidades, e as possibilidades e benefícios que projetos de pesquisa e desenvolvimento podem trazer para o setor. Uma ampla programação de palestras foi montada com o intuito de unir esforços direcionados à pesquisa, desenvolvimento e inovação no setor pesqueiro. O evento contará também com uma Rodada de Negócios, uma iniciativa de integração dos organizadores que favorecerá a identificação e aproximação dos participantes, possibilitando negociações e até parcerias. O CEU será realizado no Espaço Beira Rio Eventos. Mais informações: PECEGE | [email protected] | Tel: (19) 3377-0937.

LABORATÓRIO I – O Ministério da Pesca e Aquicultura quer estender para outros estados o trabalho desenvolvido pelo Laboratório Oficial de Análise de Resíduos e Contaminantes em Recursos Pesqueiros – LAQUA-Itajaí/SC, o único do país habilitado pelo MPA para realizar ensaios de biotoxinas marinhas em moluscos bivalves cultivados em Santa Catarina. O LAQUA-Itajaí funciona no Campus Itajaí do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC), e realizou mais de 3 mil ensaios desde sua inauguração em maio de 2012. O laboratório recebe semanalmente água e moluscos coletados nos cultivos de todo litoral catarinense. A coleta das amostras é feita pela Companhia Integrada de Desenvolvimento da Agricultura de Santa Catarina (CIDASC), órgão oficial de controle sanitário animal do estado. Quando são detectadas as presenças de algas nocivas e ficotoxinas em concentrações acima da permitida, a CIDASC fecha temporariamente as áreas de cultivo onde as toxinas foram encontradas, evitado assim o consumo desses moluscos contaminados e a intoxicação da população consumidora. No segundo semestre de 2015 o LAQUA já deve começar a receber amostras de vários estados e ampliar a rede de controle do MPA aumentando a segurança no consumo de moluscos bivalves em todo o país.

LABORATÓRIO II – O AQUACEN, laboratório central da Rede de Laboratórios do Ministério da Pesca e Aquicultura (RENAQUA) sediado na Escola de Veterinária da Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG foi, pela segunda vez, aprovado com 100% de acertos no Teste de Proficiência coordenado pelo Laboratório de Referência da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) para enfermidades de camarões. Além disso, o laboratório foi capaz de emitir os resultados em apenas quatro dias úteis, o menor prazo entre os 21 laboratórios participantes.

ESTAÇÃO DE TRUTICULTURA – A Base Avançada de Pesquisa do IBAMA, instalada em Painel, há poucos quilômetros de Lages (SC), está sem atividade específica há 10 anos. O local serviu por muitos anos como fonte de produção e distribuição de alevinos de truta para toda a região. Para torná-la novamente produtiva a Associação Catarinense de Truticultores (ACATRUTA) propõe que o IBAMA transfira o seu controle para a Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina – EPAGRI. A ideia é que seja transformada num centro tecnológico na produção de alevinos de truta e outras espécies, para atender a demanda dos três estados da Região Sul.

OS REFLEXOS DA ESTIAGEM – O lago do reservatório da usina hidrelétrica de Furnas, que banha 34 municípios do sul de Minas Gerais, ainda está com baixo volume de água e os peixes estão sofrendo. Nos últimos dois anos a produção da região caiu pela metade. Atualmente, o lago de Furnas está com apenas 20% do volume útil de armazenamento. Segundo estimativa do setor, cerca de 350 criadores dos municípios banhados pelo lago de Furnas já abandonaram a atividade por causa do baixo nível da água.

NUTRIÇÃO E SAÚDE – A GUABI participou em março último da VIV Asia 2015, um dos mais importantes eventos destinados à produção de alimentos para animais, realizada em Bangkok (Tailândia) com a presença de 700 expositores de diversos países. Na VIV Asia 2015, a GUABI apostou nos seus produtos para peixes e camarões – as linhas Poti Pirá e a recém-lançada solução QS GUABI. A linha Poti é composta de rações próprias para a alimentação de camarões, em todas as fases de crescimento e cultivados em sistemas intensivos. Já a linha Pirá Ideal – nas versões tilápias e redondos – é formulada sob o conceito de proteína ideal, pois “imitam” a proteína do corpo do peixe que está sendo alimentado. São rações que possuem alta digestibilidade, além de serem formuladas para não haver falta ou excesso de nutrientes – estes são ingeridos na quantidade exata para cada espécie. Desta forma, a quantidade de excretas será menor, reduzindo os impactos ambientais. As rações Pirá Alevino, Mirim e Potimar Juvenil foram formuladas para peixes em fase inicial e variam de 1mm a 1,7mm de diâmetro. Com ingredientes altamente digestíveis e altos níveis de enriquecimento nutricional, a linha promove crescimento rápido e uniforme dos alevinos. A linha QS GUABI – QuorumSensing – visa a nutrição funcional de peixes e camarões em fase inicial. Os produtos QS GUABI interferem na comunicação entre as bactérias para inibir a multiplicação das que são nocivas e favorecer o estabelecimento das benéficas, minimizando a ocorrência e o impacto de doenças, ao mesmo tempo em que fornecem todos os nutrientes necessários para o melhor desenvolvimento em cada fase. A GUABI Nutrição e Saúde Animal conta hoje com seis unidades fabris localizadas nos estados de São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso e Pernambuco, além do Escritório Nacional em Campinas/SP e dois Centros de Distribuição, em Natal/RN e Pecém/CE.

GIA/UFPR – Uma equipe de pesquisadores do GIA – Grupo Integrado de Aquicultura e Estudos Ambientais da UFPR, coordenado pelo professor Antonio Ostrensky, desenvolveu o portal virtual sobre aquicultura, com especial ênfase na aquicultura paranaense, denominado INFOAQ – Centro de Análise e Informação Estratégica da Aquicultura que pode ser acessado através do endereço http://www.infoaq.net/site/. Segundo a pesquisadora Francis Mara Vieira, a proposta é que seja um canal multicolaborativo de pesquisa, estruturação e disponibilização de dados e informações relacionadas aos mais diversos campos da aquicultura.

INTERCÂMBIO – Três maricultores catarinenses foram sorteados para um intercâmbio na Europa numa experiência profissional e sócio-cultural sobre atividades de cultivo, extração e comércio legal de moluscos bivalves. Os aquicultores Nei Leonardo Nolli, Ruy Avila Wolf e Klaus Nelson Ferreira viajam em maio para Bourcefranc-le-chapus, uma das principais regiões produtoras de ostras do litoral francês, onde conhecerão novas técnicas. Os maricultores franceses costumam produzir na região 140 mil toneladas do molusco/ano. O intercâmbio é resultado de um termo de cooperação técnico firmado entre a Prefeitura e a Escola Liceu do Mar e do Litoral. Um total de 12 maricultores deve passar pelo intercâmbio até o final de 2016. Para ser selecionado o produtor precisa ter registro de aquicultor e apresentar seu contrato de cessão de uso de águas públicas da União para fins de aquicultura.

USO EXCESSIVO DE ANTIBIÓTICOS – O “Consejo para la Transparencia” do Chile, um órgão público autônomo, cuja principal função é garantir a correta aplicação da lei, está sendo acusado de negar acesso à informação sobre as quantidades e tipos de antibióticos utilizados por cada empresa salmonicultora no Chile, solicitadas pela organização de conservação marinha Oceana. O Consejo para la Transparencia declarou que o Serviço Nacional de Pesca não é obrigado a fornecer tais informações porque isso poderia afetar a competitividade no mercado. A Oceana apresentou então uma declaração de ilegalidade contra a decisão tomada pelo Consejo perante a Corte de Apelações de Santiago. Para o diretor-executivo da Oceana, Alex Muñoz, a transparência é a única forma dos cidadãos saberem se as práticas adotadas pelas salmoniculturas afetam ou não a saúde e o meio ambiente. Um relatório emitido pelo Servicio Nacional de Pesca (Sernapesca) revelou que, em 2013, as salmoniculturas chilenas usaram em conjunto 450.700 quilos de antibióticos, enquanto que a Noruega, o maior produtor de salmão de cativeiro do mundo, usou apenas mil quilos.

FERRAZ REFORMULA FÁBRICA DA NUTRIRE – A FERRAZ MÁQUINAS está fornecendo todos os equipamentos para a nova fábrica da Nutrire, na cidade de Poços de Caldas – MG. Com sede em Garibaldi, na Serra Gaúcha, a Nutrire produz, desde 2001, alimentos balanceados com rígidos padrões de qualidade para pets e, desde 2003, inaugurou sua primeira fábrica voltada para a elaboração de alimentos para cães, gatos e também peixes. Na ocasião a fábrica foi projetada, construída e montada pela FERRAZ MÁQUINAS. Atualmente, tal fábrica está sendo reformulada também pela FERRAZ, para funcionar com uma capacidade de produção de 30 toneladas/hora de ração farelada e 16 toneladas/hora de ração extrusada. Além da parte mecânica, a FERRAZ MÁQUINAS fornecerá também os paineis e sistemas elétricos e de automação, com a tecnologia mais avançada existente no mercado.