Notícias & Negócios – edição 104

ENBRAPOA – Entre os dias 17 e 20 de novembro de 2008 a linda cidade de Búzios, na Região dos Lagos, no Estado do Rio de Janeiro, vai receber o X ENBRAPOA (Encontro Brasileiro de Patologistas de Organismos Aquáticos). O evento, que é realizado a cada dois anos pela ABRAPOA (Associação Brasileira de Organismos Aquáticos), tradicionalmente congrega os pesquisadores da área, quando são apresentados e discutidos os avanços e a situação atual da sanidade da aqüicultura brasileira. A ABRAPOA, fundada em 1989, possui atualmente cerca de 350 associados espalhados por todos os estados do Brasil e em vários países da América do Sul, Europa e Ásia. Mais informações podem ser obtidas pelo tel: (44) 3261-4642, ou pelo e-mail [email protected] a/c de Maria de los Angeles P. Lizama.

PAC – No dia 20 de novembro foi lançado pelo Presidente Lula e Sergio Machado Rezende, ministro de Ciência e Tecnologia (MCT), o “Plano de Ação 2007-2010: Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Nacional” que integra o conjunto de ações do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). A versão completa pode ser acessada em http://www.mct.gov.br/index.php/content/view/66226.html. A partir de uma articulação entre a SEAP/PR e o MCT, a aqüicultura foi contemplada junto com a área pesqueira com o programa “Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação em Aqüicultura e Pesca” que prevê a aplicação de R$ 33 milhões até 2010, destinados a projetos e editais de apoio ao desenvolvimento da aqüicultura continental e marinha. Os recursos deverão ser viabilizados pelo MCT e suas agências – CNPq e FINEP, à SEAP/PR e outros parceiros.

PRESIDENTE DA FAEP – Os engenheiros de pesca presentes ao XV Congresso Brasileiro de Engenharia de Pesca (CONBEP) realizado em outubro último em Manaus e promovido pela Federação dos Engenheiros de Pesca do Brasil (FAEP-BR) e pela Associação dos Engenheiros de Pesca do Amazonas, elegeram mais uma vez Augusto José Nogueira para a presidência da FAEP-BR, em substituição a Leonardo Teixeira de Sales. Os contatos com a FAEP-BR podem ser feitos através do e-mail: [email protected] ou do telefone (81) 3227-7511.

BRASIL-CUBA – Cerca de 800 alevinos de tilápia da linhagem GIFT (Genetically Improved Farmed Tilapia, ou Tilápia de Cultivo Geneticamente Melhorada) desenvolvidos no Brasil foram doados pelo governo brasileiro ao governo cubano. O objetivo da doação foi o de renovar o plantel de reprodutores, melhorando as criações cubanas através da introdução de peixes com maior qualidade genética. A criação de tilápia em Cuba é prejudicada pelo alto grau de consangüinidade, uma vez que a importação de alevinos é dificultada pelo embargo comercial imposto ao país. Os alevinos brasileiros foram produzidos pelo Centro de Ciências Agrárias da Universidade Estadual de Maringá (UEM) a partir de um convênio com a Secretaria Especial de Aqüicultura e Pesca (SEAP), que destinou à Universidade recursos e material genético para o desenvolvimento de projetos de pesquisa sobre melhoramento genético da tilápia. O projeto tem participação também do Instituto de Tecnologia Agropecuária de Maringá. Os alevinos foram destinados à Estação de Acuicultura de Manpostón, que espera formar milhares de reprodutores a partir das famílias de tilápias melhoradas. O Brasil também ganha com a cooperação, uma vez que poderá reforçar seus bancos genéticos de camarão a partir de bancos genéticos livres de enfermidades de que Cuba dispõe.

AQUACIÊNCIA EM MARINGÁ – A AQUABIO – Sociedade Brasileira de Aqüicultura e Biologia Aquática estará promovendo o AquaCiência 2008 na cidade de Maringá, Paraná, no período de 27 a 30 de Outubro de 2008. A programação inicial inclui a realização de, pelo menos, 10 mini-cursos, 12 sessões científicas e sete palestras de convidados brasileiros e estrangeiros. Também estão programadas algumas visitas técnicas a projetos de aqüicultura da região. A estimativa da comissão organizadora, coordenada pelo Prof. Ricardo Ribeiro da Universidade Estadual de Maringá (UEM), é de que mais de 1.200 pessoas comparecerão ao Centro de Convenções Araucária no Noroeste Paranaense. Nos eventos anteriores, realizados na cidade de Vitória (ES) em 2004, e em Bento Gonçalves, RS, em 2006, participaram cerca de 1000 e 700 congressistas, respectivamente, o que garantiu o sucesso das primeiras edições do principal evento científico da aqüicultura brasileira. Programe sua agenda!

CRESCER NO VAREJO – A Netuno Alimentos investirá R$ 1,2 milhão para ampliar sua marca Empório Netuno, sua rede de varejo próprio que leva o conceito de loja gourmet. Nas lojas, estabelecidas em shoppings do Nordeste, são comercializados, além dos tradicionais pescados, especiarias, massas, molhos e diversos rótulos de vinho. Algumas lojas dispõem de espaço para degustação e divulgação de receitas de chefs renomados. Em 2008, serão inauguradas três novas unidades, em Pernambuco, São Paulo e Bahia.

MARISCO EM PALHOÇA – A 3º edição da Festa Nacional do Marisco e da Cultura Açoriana (Marifest), realizada em novembro na localidade pesqueira de Enseada do Brito – SC, teve como objetivo alçar a cidade ao posto de capital nacional da maricultura. Nos quatro dias de evento, a cidade abrigou a cultura açoriana resgatando a importância do cultivo do marisco para a economia da região. Palhoça responde atualmente por 50% da produção nacional de mariscos. São 183 maricultores que produzem por ano seis mil toneladas de marisco (mexilhão) e dois milhões de ostras. As fazendas de maricultura vão da praia da Barra do Aririú até a da Ponta do Papagaio.

MUITA TRISTEZA – Faleceu o Professor Elpídio Beltrame, da Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC. Depois de desaparecido por alguns dias, seu corpo foi encontrado no dia 4 de novembro no interior do carro que dirigia, após ter caído num precipício. Elpídio fez uma brilhante carreira acadêmica, e foi um dos responsáveis pelo planejamento estratégico da carcinicultura catarinense, estando à frente de todas as ações para mitigar os efeitos da mancha branca no Estado. A aqüicultura perde, assim, um de seus melhores técnicos e, os mais próximos, um grande amigo.

PÃO COM PEIXE – Uma pesquisa desenvolvida na Faculdade de Engenharia de Alimentos da Fundação Universidade Federal do Rio Grande (FURG-RS) testou a fabricação de pães enriquecidos com proteína de pescado, a partir de filé de cabrinha (Prionotus punctatus). O objetivo do estudo publicado na revista Ciência e Tecnologia de Alimentos foi o de produzir um produto diferenciado, com a intenção de melhorar seu valor nutricional. De acordo com a doutoranda Graciela Salete Centenaro, a decisão de aproveitar essa biomassa, rica em nutrientes, se deu porque na cidade de Rio Grande existem várias indústrias pesqueiras que, devido ao baixo valor comercial, não aproveitam parte do pescado capturado. Foram desenvolvidas formulações de pão com 30%, 40% e 50% de polpa lavada úmida (PU) e 3% e 5% de polpa lavada seca (PS) à base de farinha. Na avaliação do produto os pães tiveram aceitação superior a 74%, de acordo com testes diários feitos com consumidores voluntários com idade entre 15 e 50 anos, de ambos os sexos, que não conheciam a composição das amostras. O pão com 3% de PS apresentou melhor qualidade, obteve as maiores notas e melhor volume específico em relação aos demais, uma vez que a polpa seca se incorporou melhor aos ingredientes da massa. Para ler o artigo “Enriquecimento de pão com proteínas de pescado”, de Graciela Salete Centenaro clique o link: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-20612007000300036&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

ALIMENTAÇÃO ESCOLAR – O Diretor de Ações Educacionais do FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação), Rafael Tourino, e o Ministro da SEAP, Altemir Gregolin, assinaram em 18 de dezembro no Palácio do Planalto, um acordo de cooperação técnica que prevê uma integração de ações entre as instituições para capacitação e melhoria das condições de aproveitamento do peixe na alimentação escolar dos alunos da educação básica. Hoje, aproximadamente 36 milhões de alunos são atendidos pelo Programa Nacional de Alimentação Escolar e, a partir de 2008, esse número subirá para 43 milhões com a inclusão do ensino médio. A idéia é incluir uma vez por semana, o peixe no cardápio dos alunos, o que representará um grande impulso para o setores aqüícola e pesqueiro. O FNDE e a SEAP irão atuar basicamente na capacitação de merendeiras para que elas saibam aproveitar melhor o peixe nos cardápios, de modo que os alunos aproveitem melhor e gostem da refeição, e também na capacitação dos pescadores e aqüicultores, afim de que haja um incentivo para o aproveitamento da economia local dentro do programa de alimentação escolar, já que há exigências técnicas e também sanitárias. Serão também treinados para que possam participar adequadamente das concorrências de aquisição de alimentos estipulados pelo Fundo. O programa de capacitação começa em março, inicialmente em Pernambuco, e será ampliado para os demais estados no Nordeste e outras regiões do país, totalizando 254 municípios de 14 estados. Mais informações sobre o acordo podem ser obtidas com Albaneide Maria Peixinho Campos, Coordenadora-geral de Programas de Alimentação Escolar (CGPAE) email: [email protected] e telefones: (61) 3966-4976/ 3966-4980.

AQÜICULTORES INDÍGENAS – Índios da Aldeia Avá-guarani, de Santa Rosa do Ocoy, estão entre os piscicultores que receberam a cessão das águas atendendo ao edital lançado pela SEAP para os interessados em cultivar peixes no lago da usina da Itaipu. A criação de pacu, iniciada com o objetivo de consumo, começou com dez tanques-redes e hoje são 40 unidades. A produção, que atingiu 3 toneladas no ano passado, foi distribuída entre as 136 famílias. A meta, porém, é ampliar a atividade para que, nos próximos anos, a piscicultura possa contribuir para a alimentação de 618 moradores da aldeia. Em cada tanque-rede são colocados alevinos de pacu com 100 gramas, que são coletados com peso médio de 1,5 kg. Os indígenas aproveitam o peixe, ao máximo, desde a gordura à cabeça. Até o final deste ano, a aldeia deverá aproveitar também o couro, na produção de artesanato.

BIOCOMBUSTÍVEL DE ALGAS – A gigante do petróleo anglo-holandesa Royal Dutch Shell vai construir, em parceria com a empresa americana HR Biopetroleum, uma usina-piloto no Havaí, que cultivará microalgas para a produção experimental de biocombustível. A Agência France Press, porém, não mencionou o nome da alga. A Shell e a HR Biopetroleum, formaram, para isso, uma co-empresa batizada Cellana, com maioria acionária para a companhia de petróleo. Assim que forem recolhidas, as algas serão tratadas para a extração de óleo, que será em seguida transformado em biocombustível. Este projeto inclui um programa de pesquisa com as universidades de Hawai, Mississippi e Dalhousie, da província canadense de Nova Escócia.

DIVERGÊNCIAS – Ao criticar algumas exigências do Ministério do Meio Ambiente (MMA) que afetam projetos de desenvolvimento do país, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva lembrou as divergência entre a Secretaria Especial de Aqüicultura e Pesca (Seap), ligada à Presidência da República, e o MMA, no que se refere ao uso das represas para a criação de peixes. “Eu acho impensável você ter um lago imenso guardando água para produzir energia e para ajudar a evaporação, e você tem gente próximo, precisando trabalhar e comer, e não permitir que crie peixe”, disse o presidente, em visita ao Rio de Janeiro para inaugurar a central do Programa Nacional de Rastreamento de Embarcações Pesqueiras por Satélite (Preps). “Vou dar um exemplo, em Itaipu, não pode criar tilápia. Alguém precisa me explicar o por quê. Vou levar as pessoas que proíbem para conhecer as tilápias que tenho no Alvorada e no Torto”, completou Lula.

SOBROU PARA A CARCINICULTURA – Quatro meses depois de um dos maiores desastres ambientais ocorridos no Rio Grande do Norte, com a mortandade de 40 toneladas de peixe no rio Potengi, o Ministério Público Estadual (MPE) entrou com ação civil e criminal contra o Instituto de Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente – Idema e a carcinicultura Veríssimo & Filhos Ltda., acusados pelo desastre. A promotora do Meio Ambiente, Gilka da Mata, entendeu que é uma responsabilidade mútua, tanto da carcinicultura Veríssimo, que não cumpriu o projeto apresentado, como do Idema que licenciou e não fez a fiscalização necessária para o cumprimento das normas estabelecidas. A carcinicultura sustenta a sua inocência no episódio da mortandade dos peixes. “Com maior respeito à dedicação da promotora Gilka da Mata ao assunto do meio ambiente, quero afirmar que ela errou. A Veríssimo e Filhos não é responsável pelo desastre no rio Potengi. As provas estão sendo coletadas e o verdadeiro culpado surgirá em breve”, disse o advogado da empresa, Esequias Pegado Cortez Neto, ao jornal Tribuna do Norte.

VALE DO RIBEIRA – Com a ajuda de instituições como a APTA Regional Vale do Ribeira, CATI, SAE-SEBRAE e MDA-Pronaf, um grupo de aqüicultores vem se reunindo periodicamente para discussão da piscicultura no Vale do Ribeira. Estas reuniões culminaram na formação de uma nova associação, que pretende auxiliar os piscicultores na compra conjunta de alevinos e ração e, na comercialização do peixe depois de pronto. A Associação de Aqüicultores do Vale do Ribeira tem como presidente o piscicultor Antônio de Pádua Nunes.

EMPREENDEDORISMO – Dois alunos da Unisul, Christian Jung e Guilherme Tafner, ambos do curso de Engenharia de Produção, em Palhoça, desenvolveram um projeto para o beneficiamento industrial das cascas de ostras e mexilhões. O trabalho orientado pelo prof. José Marcos Tesch, ganhou o Prêmio Santander de Empreendedorismo e de Ciência e Inovação, na Categoria Indústria, realizado pelo Santander Universidades e promovido e desenvolvido pelo Universia Brasil, com o objetivo de estimular a pesquisa científica. Em 2006 foram produzidas cerca de 14.000 toneladas de mexilhões e ostras em Santa Catarina, a maior parte comercializada fora da concha. O projeto visa solucionar o problema dos resíduos gerados pelo processo de desconchamento dos moluscos. A implantação de uma indústria de beneficiamento de cascas de moluscos em Palhoça, SC, vai possibilitar o destino correto deste resíduo mineral, além de movimentar toda uma cadeia produtiva local com a criação de novos empregos na região. O processo de beneficiamento será feito em escala industrial, obedecendo todas as normas de controle de qualidade e leis ambientais, e vai gerar um pó com mais de 80% de carbonato de cálcio para ser utilizado tanto pelas indústrias farmacêuticas como as do agronegócio. Outros segmentos também estão na mira dos envolvidos, tais como a fabricação de filtros de decantação para tratamento de efluentes industriais. Mais informações pelo e-mail: [email protected] ou (48) 8403-8188.