NOTÍCIAS & NEGÓCIOS | edição 140

NOVO FRIGORÍFICO EM RO – A empresa Mar & Terra anunciou que planeja instalar em 2014 seu terceiro frigorífico no país, no município de Cacoal, em Rondônia, de olho no pirarucu, cujo cultivo começa a ser sistematizado na região. A ideia é abastecer melhor o mercado interno e exportar com licença ambiental. O projeto da planta frigorífica de Rondônia já está pronto e custou R$ 100 mil, e a obra deverá ter um custo de R$ 15 milhões. Segundo a empresa a expectativa é de geração de 150 empregos diretos, dentro da planta industrial, e mais de 1.500 empregos indiretos, relacionados aos produtores. Por semana, a empresa exporta uma tonelada de filé de pirarucu para os EUA, Alemanha e Suíça. Mensalmente, a empresa processa 30 toneladas de pirarucu oriundas de Rondônia, em sua unidade de Itaporã (MS). Toda a carne exportada vem de produtores com licença ambiental e matrizes com chips eletrônicos.

IND.COM.BR – A Trevisan Equipamentos, de Palotina – PR, comemorando seu 25º aniversário, mudou o domínio da sua página na internet, e passa a usar o “ind.com.br”. Agora, para acessar a página use o endereço www.trevisan.ind.br. Da mesma forma todos os e-mails da empresa também foram modificados. Agora é [email protected]. E, para se comunicar com Nedyr Chiesa o e-mail agora é [email protected].

RECRUTAMENTO – Se você tem formação em aquicultura, agronomia, zootecnia, biologia, veterinária ou áreas afins e gostaria de trabalhar em empreendimentos de aquicultura na Região Norte do Brasil, atenção: a D’Anzicourt Advogados Associados está contratando profissionais por um período mínimo de dois anos. O prazo poderá ser prorrogado conforme o desempenho do profissional. Os interessados devem encaminhar seus currículos (link e pdf) e pretensão salarial (valor bruto mensal) para o e-mail: [email protected]. É exigida experiência prática na atividade.

AQUICULTURA NA ESCOLA – A Escola Estadual de Educação Profissional José Ivanilton Nocrato, de Guaiúba, região metropolitana de Fortaleza – CE comemora a formação da primeira turma do Curso técnico em Aquicultura, integrado ao ensino médio. Além das 1.020 horas dedicadas às disciplinas técnicas, os 31 alunos do curso cumpriram estágio nas fazendas da região, no Centro de Pesquisas do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS) e no Departamento de Engenharia de Pesca da Universidade Federal do Ceará (UFC). O Professor de Aquicultura Thiago Andrade, que coordena o curso desde sua criação em 2011, convida a uma visita ao blog aquiculturanoceara.blogspot.com.br onde estão postadas diversas atividades complementares.

PRÓ-AQUICULTURA – Dois financiamentos acabam de ser concedidos pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES) para projetos de investimento produtivo na área aquícola, na Região Centro-Oeste. Os recursos são provenientes do Programa BNDES Pró-Aquicultura, lançado em 2012, com orçamento de R$ 500 milhões e tem como objetivo o fomento da cadeia produtiva do pescado cultivado. Uma das empresas beneficiadas com o financiamento é a Geneseas Aquacultura, situada em Aparecida do Taboado, em Mato Grosso do Sul, que receberá R$ 15,8 milhões para a implantação de dois centros de engorda de peixes e uma unidade industrial de abate, com produção total de 13,3 mil toneladas/ano. A outra empresa contemplada é a Delicious Fish Agroindústria e Comércio de Pescados, do município de Sorriso – MT, que recebeu um financiamento R$ 18,5 milhões, que serão investidos na ampliação das suas instalações produtivas. De acordo com a nota da assessoria do BNDES, “a Delicious Fish desenvolve pesquisa controlada para o melhoramento genético e se tornou referência nacional em tecnologia relacionada à piscicultura”. O que se sabe é que a Delicious Fish tem a guarda das famílias de tambaqui pesquisadas na vigência do Programa Aquabrasil/Embrapa. E é de lá que devem sair os peixes melhorados que serão enviados aos parceiros do Aquabrasil que contribuíram com o material genético, conforme o acordo estabelecido no início do programa. Muitos ainda aguardam.

PIRAGUABA – A Bernauer Aquacultura está comercializando o distribuidor mecânico de ração Piraguaba, a mais recente tecnologia para a otimização de todo o processo de alimentação da piscicultura em pequenas, médias e grandes propriedades. O equipamento foi concebido para diminuir o tempo e o esforço  gastos com a alimentação manual, sendo que o tempo de alimentação é reduzido em 70%, se comparado com a alimentação manual. Este sistema garante total controle da quantidade de ração que deverá ser fornecida aos peixes, garantindo uma excelente taxa de conversão alimentar. A uniformidade do cardume é outra grande vantagem da alimentação com o Piraguaba, pois promove a distribuição da ração em toda a circunferência do viveiro, local onde comprovadamente os peixes mais se alimentam,  além de acabar com a competição e o estresse no ato da alimentação. É equipado com motor a gasolina de 4T com bloco de alumínio e refrigerado a ar, é fácil de operar e de ótimo desempenho o que garante baixo consumo de combustível e de ruído. O processo de geração de ar é realizado por um ventilador centrífugo com alta curva de rendimento e de fácil manutenção. O Piraguaba é projetado para ser utilizado em qualquer tipo de plataforma, como as de micro-tratores, reboques de automóveis, carroças com tração animal, carriolas ou outro meio de transporte. Vale ver o equipamento funcionando no link: http://www.youtube.com/watch?v=yPzBqBB2b54

ROUBO DE SALMÃO – Segundo a SalmonChile, pelo menos 80% do salmão que se consome no Chile é proveniente de roubo, o que gera perdas anuais para a indústria de US$ 45 milhões, equivalente a 1,5% da produção anual. O gerente geral da SalmonChile, Cristián Moreno, declarou que o roubo de salmões é uma grande perda para todos, incluindo o fisco, já que, além da perda de impostos, se desviam recursos públicos para combater as ações ilegais. Além disso, diminui a capacidade de geração de novos empregos e investimentos no setor. As denúncias dão conta de que os roubos ocorrem nos centros de engorda, no mar, nos transportes e nas beneficiadoras. Segundo o advogado da SalmonChile, Gonzalo Méndes, os roubos de salmões continuam porque existe demanda suficiente. Vários desses roubos se efetuam por meio de subornos aos encarregados de segurança dos centros, que movimentam valores que podem chegar a US$ 1,5 milhão. Com respeito aos principais lugares onde são comercializados, Méndes assegura que, segundo a fiscalização, geralmente são vendidos em pontos de distribuição como feiras do centro e sul do Chile. Os salmões roubados chegam sem nenhum documento de respaldo porque não existe um controle obrigatório nas estradas, tampouco nos terminais pesqueiros ou seus arredores, lugares habituais de comercialização de pescado de origem ilegal ou em estado não apto para o consumo humano, disse.

SEM ICMS – Foi publicado no dia 28/12/2013 no Diário Oficial do Estado do Rio Grande do Norte, o Decreto que prorroga o incentivo concedido aos produtores de camarões que atuam no ramo de atacado. A intenção do Estado esclareceu o secretário estadual de Tributação, José Aírton da Silva, é manter a competitividade do setor e preservar os empregos gerados pela atividade. Com a prorrogação, criadores de camarão continuarão isentos da cobrança de ICMS (Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços). Sem o incentivo, os produtores teriam que pagar 17% de imposto em cada operação realizada. Ou seja, precisam repassar R$ 17 em impostos para o governo a cada R$ 100 comercializados. Pagando menos impostos, observa Aírton, os produtores podem cobrar menos pelos produtos, e assim, se manter competitivos.

KIT DETECTA SEM – O site focustaiwan.tw divulgou em 6 de janeiro, que uma universidade taiwanesa revelou ter desenvolvido uma tecnologia que permitirá aos criadores de camarão identificar de maneira mais rápida, a bactéria que causa a Síndrome da Mortalidade Precoce (EMS na sigla em inglês ) entre os camarões cultivados em muitos países. Esta tecnologia, desenvolvida pela Universidade Nacional Cheng Kung, em Tainan, no sul de Taiwan, permite que os produtores descubram com apenas um teste, ao final de um dia, se os seus camarões foram infectados ou não pela bactéria que vem causando altas taxas de mortalidade em vários países asiáticos desde 2009, provocando sérios prejuízos econômicos. A tecnologia ajuda a evitar a propagação da doença em seus estágios iniciais, reduzindo assim as perdas. Os pequenos camarões atacados pela doença apresentam os sintomas cerca de 10 dias após terem sido colocados nos tanques e morrem em massa, segundo Grace Low, que liderou a equipe de pesquisa. Mortalidades em massa de camarões, causadas por esta doença, têm sido reportadas na China, Vietnã e Tailândia, levando a perdas anuais avaliadas em US$ 1 bilhão, de acordo com Low. A doença é chamada oficialmente de Síndrome da Necrose Hepatopancreática Aguda (AHPNS) e a equipe de pesquisa está oferecendo acesso gratuito à tecnologia para todos os criadores de camarão em todo o mundo.

EPAGRI DIVULGA PRODUÇÃO DE SC – Todos os anos, a Epagri (Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina) divulga os dados de produção da piscicultura catarinense. Em 15 de dezembro de 2013 as informações da EPAGRI, referentes à produção de 2012, foram divulgadas em primeira mão para os assinantes da Lista de Discussões Panorama-L. Os dados também podem ser acessados entrando no site do Cedap (Centro de Desenvolvimento em Aquicultura e Pesca) www.cedap.epagri.sc.gov.br no item “Estatísticas da Aquicultura”. O Estado de Santa Catarina sempre se destacou pela importância de ter em mãos esses dados, o que permite uma gestão mais eficiente da atividade e mais objetividade na formulação das políticas públicas voltadas para a aquicultura. Segundo Fernando Silveira, pesquisador da Epagri/Cedap, a Epagri conta com 292 Escritórios Locais distribuídos pelos 293 municípios catarinenses, todos unidos aos 23 Escritórios Regionais existentes, os quais se reportam ao Escritório Central. Essa permeabilidade permite obter dados praticamente de todo o estado. Esses dados são solicitados a cada Escritório Local, que os envia ao Regional que, finalmente, envia ao Cedap (Centro de Desenvolvimento em Aquicultura e Pesca), em Florianópolis, onde as informações são sistematizadas e divulgadas. Além disso, dentro desse universo de extensionistas e pequisadores, a Epagri conta com um grupo de técnicos específicos em piscicultura (chamados de “referência”), para fazer a triagem dos dados antes de chegarem ao Cedap, bem como a correção dos textos de divulgação. Quanto aos recursos para fazer o levantamento, Fernando Silveira explicou que são recursos próprios da Epagri. Os custos, nesse caso, se atêm aos gastos envolvidos nas visitas dos extensionistas/pesquisadores aos produtores onde aproveitam para fazer o levantamento. Isto é, são gastos que a empresa normalmente já tem no seu trabalho diário de extensão/pesquisa.

EM RESUMO – Em 2012, a aquicultura catarinense produziu 58.381 toneladas de pescado. Um total de 28.152 piscicultores produziram 34.609 toneladas de peixes, um aumento de 7,8% em relação a 2011. A maricultura produziu um total de 23.771 toneladas – 21.026 de mexilhões, 2.468 de ostras, 5,6 de vieiras e 272,1 de camarões. A tilápia foi a espécie mais produzida (21.199 toneladas) seguida das carpas (9.370 toneladas).