Notícias & Negócios – Edição 162

Pequenas notícias institucionais e/ou fotos de divulgação de produtos e empresas podem ser enviadas para publicação nessa seção, através do e-mail:  [email protected]


NÃO GUARDE NA GAVETA – Existem muitos resultados de experimentos, rascunhos inacabados, informações preciosas extraídas de levantamentos bibliográficos, resenhas ou até mesmo descobertas acidentais em meio a testes, que fazem parte de um enorme mundo de informações que habitam gavetas e HDs de computadores, sem que ninguém tome conhecimento dos benefícios que poderiam trazer para a prática da aquicultura. Desengavete. Mostre seus achados, seu talento e o talento da sua equipe. E conte conosco. Se você tem interesse em publicar na Panorama da AQÜICULTURA artigos técnicos de sua autoria ou de seu grupo de trabalho, submeta à nossa editoria. Seus conhecimentos merecem entrar na nossa pauta para serem divulgados em nossas páginas. Para isso, basta enviar o resumo ou a íntegra do seu artigo diretamente para o editor no e-mail [email protected]

BATATA QUENTE – O futuro da Secretaria de Aquicultura e Pesca será decidido antes de 10 de outubro. Como muitos previam, a sua permanência no MDIC – Ministério da Indústria e Comércio tem sido complicada porque a pasta não tem infraestrutura e a capilaridade que a Secretaria exige. A Medida Provisória colocando a Secretaria nas asas da Presidência da República, com status de ministério, foi a solução encontrada para acomodá-la. Mas Michel Temer está fugindo de mais críticas, e a criação de mais um novo ministério nunca foi bem visto pelo Planalto. O governo, no entanto, está pressionado por alguns segmentos interessados na aprovação da MP, liderados pela ABCC. Há quem diga, no entanto, que se der zebra, com Câmara e o Senado não aprovando a MP, será pouco provável que o MDIC aceite de volta a batata quente. E há também quem aposte, caso isso aconteça, no retorno da Secretaria ao MAPA.

FLASH SHRIMP – Cerca de 50 carcinicultores participaram, no Hotel Gran Marquise, em Fortaleza, do lançamento da linha de alimentos Flash Shrimp da Poli-Nutri. Os convidados foram recebidos por Aldo Barbugli, gerente nacional de venda, e Gilberto Marques, gerente nacional de aquicultura da Poli-Nutri. Santana Júnior, coordenador de vendas para as Regiões Nordeste e Norte, apresentou um painel da produção atual de camarão e os principais desafios enfrentados. Coube ao gerente técnico, André Vianna, apresentar aos produtores a nova linha Flash Shrimp, com duas soluções nutricionais baseadas em alimentos microextrusados – 0,8 e 1,3 mm, elaborados para as fases iniciais do camarão. Segundo Vianna, o objetivo da Poli-Nutri com a linha Flash Shrimp é permitir que o produtor acelere as fases iniciais com máxima sobrevivência, e assim povoar os tanques de engorda com animais mais robustos e resistentes.

CONBEP O Consulado da Noruega confirmou sua presença na Feira de Pesca e Aquicultura do XX CONBEP – Congresso Brasileiro de Engenharia de Pesca, que será realizado em Florianópolis de 8 a 11 de outubro. E a revista Panorama da AQÜICULTURA também confirma a sua presença. No dia 8 de outubro serão realizados nada menos que 11 cursos de um dia de duração. Merecem destaque Cultivo em sistema de bioflocos, que será ministrado pelo professor Moisés Poli; Construção de viveiros, pelo extensionista da Epagri Everton Della Giustina; Cultivo de Moluscos, por Rafael Luiz da Costa e Leonardo Cabral Costa; e, Cultivo de Polvo por Penélope Bastos. Mais informações no site do evento www.faep.eng.br

MAIS UM PROJETO – A Ferraz Máquinas concluiu mais um projeto no Estado de Rondônia. O evento oficial de inauguração do novo complexo da Zaltana Pescados, em Ariquemes, ocorreu em agosto passado. A nova fábrica de ração vai produzir não só ração para o consumo próprio de seus peixes, mas também, aproximadamente, 60% destinada à comercialização. A planta tem capacidade de 20 ton/hora na linha farelada e 12 ton/hora na linha de extrusada, com possibilidade de fabricar alimento também para alevinos. O complexo industrial contempla além da fábrica de ração para peixes, um frigorífico, laboratório de alevinagem, balança de pesagem, além de uma moderna estrutura para funcionários.

NOTA DA ACQUA SUPRE – Como noticiado na edição anterior, Fernando Kubitza retornou definitivamente ao Brasil depois de ter passado dois anos na Auburn University, EUA. No seu retorno se deparou com graves problemas na sua empresa Acqua Supre. Em razão disso divulgou nota, que aqui reproduzimos. “Prezados amigos e profissionais de aquicultura, comunico que a Acqua Supre Comércio de Suprimentos para Aquicultura (www.acquasupre.com.br), empresa a qual sou sócio fundador, foi vítima de um esquema criminoso operado por uma funcionária, que contratou créditos e firmou contratos em nome da empresa e de seus sócios, sem que tivesse qualquer autorização para isso. Uma auditoria apontou que as irregularidades tiveram início em dezembro de 2015, logo após minha família e eu termos nos mudado para os Estados Unidos, onde estive cooperando com projetos de pesquisa na Auburn University. Com o meu retorno, as fraudes foram descobertas e a funcionária desligada da empresa. Nesse momento, estamos trabalhando para identificar os clientes que foram ludibriados para que possamos reparar os danos que tiveram. Já conseguimos identificar e contatar todos os clientes que compraram via PagSeguro. Mas, como os nossos registros nos computadores da empresa foram todos deletados pela ex-funcionária, não tivemos como contatar os que realizaram compras diretamente com ela. Se esse é o seu caso, faça contato conosco – (11) 4587-5973, (11) 4587-2496, (11) 99640-1878 – para que possamos reparar o prejuízo e resgatar a sua confiança em nossa empresa. Desde já agradeço aos que se dispuserem a divulgar o ocorrido, e a todos peço as minhas mais sinceras desculpas. Certo da confiança adquirida ao longo de tantos anos junto ao setor aquícola brasileiro, conto com a compreensão de todos. Abraço, Fernando Kubitza – Sócio Fundador e Consultor Técnico da Acqua Supre”.

NOVO DESIGN – A Weemac (www.weemac.com.br), empresa catarinense, que fabrica máquinas e equipamentos para aquicultura, transformou o design do seu “Lançador de Ração Flutuante Automático”, um equipamento projetado para agilizar a mão de obra e diminuir os custos de produção do cultivo, com controle de horários de alimentação e tempo de trato A nova concepção do equipamento contempla a substituição das peças que anteriormente eram de metal, por outras de aço inox. Seus flutuadores e silo, no entanto se mantêm de polietileno de alta resistência. As recentes alterações na estrutura já repercutem no campo, aumentando a aceitação do produto por parte dos clientes. O lançador de Ração da Weemac possui ainda um moderno painel de segurança e pode ser adquirido com silos para capacidade 50kg, 150kg e 500kg de ração. Os produtos da Weemac são desenvolvidos por profissionais especializados para atingir o máximo de eficiência, também preparados para atender projetos específicos e customização dos produtos.

MAPA DO POTENCIAL GLOBAL DA AQUICULTURA – Estudos recentes realizados por pesquisadores da Universidade da Califórnia, em Los Angeles (UCLA), apontam a existência nos oceanos de mais de 11.400.000 km2 potencialmente adequados para a criação de peixes, e cerca de 1.500.000 km2 para a criação de moluscos bivalves. A aquicultura de peixes e bivalves tem mostrado um enorme potencial de expansão em todo o mundo, incluindo países tropicais e temperados. As áreas apontadas, além de serem adequadas para o metabolismo dos animais, não possuem nenhuma restrição econômica, ambiental ou social. Os pesquisadores estimam que aproximadamente 15 bilhões de toneladas de peixe podem ser cultivadas todos os anos, o que representa mais de 100 vezes o atual consumo mundial de pescado. Ainda segundo o estudo, uma área de apenas 0,025% dos oceanos do mundo poderia satisfazer a demanda global de peixe. Os pesquisadores assumiram que cada quilômetro quadrado conteria 249 mil metros cúbicos de gaiolas, cada uma com 20 juvenis por metro cúbico. Esta baixa densidade de estoque resultaria em uma densidade na colheita de aproximadamente 11 kg por metro cúbico, uma estimativa de produção bastante conservadora. Para se ter uma ideia do que isso representa, os pesquisadores usaram como referência a densidade máxima utilizada pelo padrão de peixe orgânico da UE, que é de 15 kg por metro cúbico para a maioria dos peixes marinhos. O fato é que aquicultura oceânica já é o setor de alimentos de mais rápido crescimento, apesar de ainda faltar muito para alcançar o seu vasto potencial.

LINHA AQUAVITALITY DA SUPERBAC A SuperBAC, fabricante do consagrado Organpesc, apresenta sua linha Aquavitality, composta por produtos especialmente direcionados para o desenvolvimento da aquicultura. A linha é composta pelo Aquavitality Bioboost, um blend biotecnológico desnitrificante, que promove a degradação de compostos orgânicos e a manutenção do ciclo biológico do nitrogênio. Além de reduzir o acúmulo de lodo no fundo dos viveiros, o produto também previne a turbidez da água. Já o Aquavitality Ammonia Reduction é um blend biotecnológico nitrificante altamente especializado, que possibilita a degradação de amônia em viveiros a partir de um processo biológico natural, denominado nitrificação. Quanto ao Organpesc, trata-se de uma solução biotecnológica para aplicação em viveiros de peixes e camarões, focada no gerenciamento ambiental e ambiência animal. Um produto de fácil aplicação e ativação natural, que minimiza as trocas de água. Seu sucesso junto aos produtores se dá por oferecer excelentes resultados na degradação do excesso de matéria orgânica e produção de fitoplâncton. Fundada em 1995, a SuperBAC é pioneira no mercado brasileiro de soluções em biotecnologia. Com a crescente preocupação ambiental e o iminente aumento da população, uma das principais necessidades da economia no século XXI é a criação de processos que permitam o aumento da produtividade sem abrir mão da sustentabilidade.

CAMARÃO DA MALÁSIA EM BREJINHO – Pedro Custório Braga, carinhosamente conhecido como Pedrinho, grande especialista em cultivo de camarões do gênero Macrobrachium, retornou ao Brasil após uma consultoria que prestou por vários anos no México, na montagem e funcionamento de um laboratório para produção de pós-larvas de Macrobrachium carcinus, fruto da parceria da empresa Larvi Aquicultura, de Macau, RN, e a Universidade Juarez Autônoma de Tabasco. De volta ao Rio Grande do Norte, Pedrinho está se dedicando a um novo laboratório, situado na piscicultura Lawrence, na cidade de Brejinho (RN). O laboratório opera com sistema de recirculação de água e iniciou sua operação com capacidade de 300.000 pls/ciclo de 35 dias, e já se prepara para ampliar para 700.000 pls/ciclo. Produtores do Rio grande do Norte, Ceará e Pernambuco estão entre os clientes, muitos deles criadores de tilápia que criam também o Macrobrachium rosenbergii e criadores de Vannamei que estão cultivando o camarão da Malásia como alternativa diante da mancha branca. O telefone de contato é (84) 99422-9201.

8º FÓRUM MUNDIAL DA ÁGUA – Brasília abrigará em março de 2018 o mais importante evento da agenda de água em todo o mundo. O evento, que acontece a cada três anos em diferentes países, costuma reunir cerca de 40 mil pessoas em cada edição. É a primeira vez que o Fórum Mundial da Água ocorrerá no Hemisfério Sul. O tema dessa edição será “Compartilhando Águas”. O encontro mundial no Brasil tem a expectativa de reunir cerca de 30 mil representantes de 170 países. O evento já passou por Daegu, na Coreia do Sul (2015); Marselha, na França (2012); Istambul, na Turquia (2009); Cidade do México, no México (2006); Kyoto, no Japão (2003); Haia, na Holanda (2000); e Marrakesh, no Marrocos (1997).

PEIXES E ORQUÍDEAS EM MARIPÁ – A 19ª Festa das Orquídeas e do Peixe, tradicional evento que celebra a importância econômica das flores e da tilápia para o município de Maripá, no oeste paranaense, mostrou o vigor da piscicultura, ao reunir mais de 600 produtores e técnicos no 160 Seminário Estadual de Piscicultura. Eduardo Ono, Presidente da Comissão de Aquicultura da CNA, falou da importância da organização na solução dos gargalos da piscicultura, ilustrando com exemplos reais de ganhos do setor; João Manoel Cordeiro Alves, Gerente de Produtos para Aquicultura da Guabi Nutrição e Saúde Animal, falou dos alimentos funcionais e as conquistas que a piscicultura pode alcançar com o uso desses alimentos (leia artigo nesta edição); José Dias Neto, Gestor de Programas Sanitários da Prevet Laboratório de Diagnóstico e Sanidade Aquícola, abordou os impactos e as soluções para as principais enfermidades bacteriológicas, além de dar esclarecimentos importantes sobro o TiLV, o vírus que se apresenta como uma ameaça à saúde da tilapicultura brasileira. O seminário também serviu para a despedida do extensionista Cesar Antonio Zillioto, principal organizador da festa, após 16 anos que permaneceu à frente do escritório local da Emater. Cesar foi justamente homenageado pelos serviços que prestou aos piscicultores de Maripá. A gastronomia foi o ponto alto da festa. Quase seis mil refeições a base de peixe foram servidas no Pavilhão Gastronômico e na Praça de Alimentação ao longo dos três dias da festa.

Gelson Hein e Danilo Muehlmann entregam uma orquídea e o troféu do 160 Seminário Estadual de Piscicultura a Eduardo Ono, Presidente da Comissão de Aquicultura da CNA
Gelson Hein e Danilo Muehlmann entregam uma orquídea e o troféu do 160 Seminário Estadual de Piscicultura a Eduardo Ono, Presidente da Comissão de Aquicultura da CNA
Palestra de João Manoel Cordeiro Alves, Gerente de Produtos para Aquicultura da Guabi Nutrição e Saúde Animal, durante o seminário de piscicultura em Maripá - PR
Palestra de João Manoel Cordeiro Alves, Gerente de Produtos para Aquicultura da Guabi Nutrição e Saúde Animal, durante o seminário de piscicultura em Maripá – PR