Notícias & Negócios – edição 27

PRECISA-SE DE ROTÍFEROS – Guilherme Fulgêncio de Medeiros, professor e doutorando do Departamento de Oceanografia da UFRN e leitor da Panorama da AQÜICULTURA, está precisando de um kg de rotíferos, que poderão estar em formol, álcool ou mesmo congelados, para realizar análises bioquímicas de polissacarídeos sulfatados. Como os rotíferos algumas freqüentemente utilizados na aqüicultura, Guilherme solicita através dessa coluna, que aqueles que possam ajudá-lo nesta tarefa, entrem em contato com ele pelo tel (084) 231-6963, fax (084) 231-9587 ou e-mail [email protected]

ALTA PRODUTIVIDADE – A Marine – Maricultura do Nordeste, no Rio Grande do Norte acaba de concluir as obras que ampliaram seus viveiros para 210 ha. Em 1994, a empresa operando com 100 ha, obteve uma produtividade média de 1.120 kg/ha/ciclo em cultivo de 100 dias, sendo que em 40% dos cultivos realizados, a média de produtividade foi de 1.500 kg/ha/ciclo, enquanto que em 17%, essa média subiu para um patamar de 1.760 kg/ha/ciclo. Sem dúvida são resultados comparáveis aos das melhores empresas camaroneiras do mundo.

CABEÇA DE BAGRE – A fama de animais resistentes atribuída aos Clarias tem levado alguns criadores a abrirem mão do manejo adequado, desprezando princípios básicos como o da manutenção de uma boa qualidade de água nos viveiros de engorda. Piscicultores paranaenses de Rancho Alegre, cidade que possui um grande núcleo de criadores de Clarias, tomaram contato com um problema ocorrido com alguns criadores relacionado ao manejo inadequado, alta densidade de estocagem (acima de 10 m2), baixíssima qualidade da água e alimentação inadequada. Nessas condições os animais parecem sofrer uma descalcificação que leva ao avermelhamento da cabeça, culminando com rompimento da mesma.

QUALIDADE DE ÁGUA – Foi criado no último encontro Brasileiro de Ictiologia, realizado em Campinas, o grupo “Estudos de Qualidade das Águas para Organismos Aquáticos”. Visa reunir os pesquisadores da área ligados a ictiologia e aqüicultura para estabelecer projetos e planos para a melhor distribuição dos trabalhos referentes ao tema, bem como melhor programar a participação dos mesmos em simpósios e seminários. Contatos com o biólogo Helcias B. de Pádua pelo tel (011) 257-9203 e fax (011) 259-5882.

GRUPOS ÉTNICOS – O mercado de peixes vivos para grupos étnicos nos EUA se tornou o mais importante segmento para os produtores norte-americanos de tilápias e já absorve 85% da produção local. A produção de tilápias nos EUA em 1994 foi estimada em 7.470 t e espera-se que em 1995 alcance 10.500 t para atender o crescente aumento da demanda visto que as comunidades asiáticas crescem dia-a-dia nos EUA e Canadá.

PREÇOS DISPARAM – Os consumidores de Artemia estão assustados com o grande aumento nos preços do produto. Informações recentes mostram que o grande vilão foi de fato o mau tempo que se abateu sobre o Great Salt Lake, trazendo muito vento e tempestades. Para azar dos consumidores deste microcrustáceo, no período de 181 dias destinados a despescas (01/10/94 a 31/03/95), muitas companhias mal conseguiram pescar 83, tendo algumas pescado somente 61 dias devido aos temporais que trouxeram nevascas e muitas ondas no lago, o que torna a despesca impossível. Em novembro, um dos melhores meses para a coleta, as equipes das diversas companhias trabalharam em média cinco dias. Em janeiro as condições melhoraram, mas no início de fevereiro as tempestades paralisaram as tripulações e, para culminar, um estranho e repentino aumento de temperatura provocou o crescimento de algas na superfície do lago que contribuiu ainda mais para dificultar as despescas. Resultado: o cisto de Artemia está escasso no mercado, e os preços decolaram, aliás, como já havíamos previsto em edições anteriores.

TOCANTINS – Foi realizado em dezembro último em Palmas – TO, o I EPIETO – Encontro da Piscicultura do Estado de Tocantins. Do encontro surgiu o Proacqua – Comitê Tocantinense de Aqüicultura, uma entidade constituída por representantes de instituições públicas e privadas, que objetiva desenvolver a aqüicultura estadual em bases auto-suficientes para gerar excedentes na produção de pescado. A seu favor, o estado que possui sua economia centrada na pecuária, conta com excelentes condições ambientais associadas a vontade política do atual governador Siqueira Campos, que liderou pessoalmente uma comitiva de empresários à alguns países asiáticos, para conhecer de perto o papel da aqüicultura no abastecimento de proteína animal às populações. Os empresários locais já avaliaram a falta de capacitação da mão-de-obra local bem como o desconhecimento do assunto pela maior parte dos produtores rurais tocantinenses. Na prática deseja-se instalar um laboratório central em Palmas para abastecer de alevinos os oito pólos estrategicamente distribuídos no estado. Jair Correia, piscicultor de Palmas, não tem dúvida que a aqüicultura será uma importante arma para atacar os graves prejuízos decorrentes da fome no estado.

SHELL FREE – A INVE Aquaculture acaba de lançar um novo produto que visa trazer uma possibilidade alternativa para reduzir o consumo de náuplios de Artemia em unidades comerciais de larvicultura, sobretudo durante a atual escassez de cistos no mercado. Trata-se do Shell Free, constituído 100% de cistos Artemia já descapsulados. Segundo a empresa, na larvicultura de camarões, o Shell Free deve ser utilizado como substituto parcial de náuplios de Artemia a partir de PL2/PL4.

CORALLUS – A recém criada Sociedade Brasileira de Estudos de Recifes de Coral – CORALLUS recebeu como cortesia da editora Nova Fronteira 200 exemplares do livro “Corais do Sul da Bahia” de autoria do biólogo Clóvis Barreira e Castro e da fotógrafa e especialista em meio ambiente Bia Hetzel. São 189 páginas com textos sobre a biologia dos corais ilustradas com fotos de renomados fotógrafos submarinos, entre eles Carlos Secchin. Os fundos arrecadados com a venda desses exemplares (R$ 70,00 cada) serão utilizados nos projetos científicos da Sociedade e na publicação do Coralitho – boletim informativo da CORALLUS. Para comprar o livro ou para se filiar à Sociedade escrever para: Corallus a/c Dr. Roberto Villaça, UFF, Instituto de Biologia, C. Postal 100.436, CEP 24001-970 Niterói – RJ, Tel: (021) 719-3100 r. 225 e 235 e E-mail: GBGROCV@BRUFF .

DIAGNÓSTICO DA RANICULTURA – Foi lançado durante o Technofrog ’95, realizado em Viçosa de 3 a 8 de fevereiro último, o livro da ABETRA – Academia Brasileira de Estudos Técnicos em Ranicultura, “Diagnóstico da Ranicultura: Problemas, Propostas de Soluções e Pesquisas Prioritárias”. Contém o relatório de seis grupos de trabalho: Produção e produtividade; Instalações e manejo; Nutrição; Sanidade; Processamento; Comercialização e mercado e Reprodução e Genética, além das sínteses das atividades das instituições brasileiras que atuam na ranicultura e suas contribuições. O livro poderá ser adquirido na ARERJ tel: (021) 232-5318.

ALTOS PREÇOS – Desde novembro de 1994, o preço médio de camarão marinho produzido nas fazendas brasileiras vem se situando entre U$ 12,00 (12,0 g) e U$ 16,00 (15,0 g). Isso para camarão fresco, inteiro na fazenda, sem passar por qualquer beneficiamento. Vale ressaltar que o custo médio de produção gira em torno de U$ 4,00/kg.

NOVA DIRETORIA DA SBI – Durante o último Encontro da Sociedade Brasileira de Ictiologia – SBI, realizado de 6 a 10 de fevereiro último no Campus da PUC de Campinas – SP, foi eleita e empossada a nova diretoria da Sociedade. A presidência ficou a cargo de Yur Maria Tedesco da Universidade Mackenzie – SP, a secretaria continua a cargo de Paulo de Tarso Chaves da UFPR e Suzana Saccardo foi eleita a tesoureira. O encontro reuniu um número de 484 inscritos e nele foram apresentados um total de 292 trabalhos.

VITANUTRI – A Vitanutri Rações e Suplementos Ltda., fabricante da ração Nutravit, está de endereço e telefone novos: Rua Hilda Costa Prado, 380 – Sumaré – SP, cep: 13175-574 Tel: (0192) 73-3033 e Tel/fax: (0192) 73-6793. Em tempo, a Vitanutri está em fase final de teste de sua ração para reversão sexual de tilápias usando a metiltestosterona e, tão logo sejam avaliados os resultados dos testes, a Vitanutri estará colocando a disposição do mercado.

NOVOS RUMOS – Não mais pertence a Sibra o passe do engenheiro de pesca Itamar de Paiva Rocha. Após ter colaborado com sua experiência na estruturação da empresa no Brasil em sua embrionária, Itamar volta a ocupar a presidência de sua empresa MCR Aquacultura Ltda.

IMPOSTO ESQUISITO – Os exportadores brasileiros de camarões acabaram sendo beneficiados pela cobrança de uma imposto de 4,5% cobrado pela Comunidade Européia sobre o custo dos pescados exportados, incluindo o frete. Esta taxa, estranhamente, já vinha sendo paga pelos exportadores brasileiros e panamenhos, os únicos latino-americanos a terem o “privilégio” de “contribuir” para a CE até o final de 1994. Mas, a partir de 1995, todos os países da América latina passaram obrigatoriamente a pagar este tributo nas suas exportações. Como resultado, os preços internacionais dos camarões para a Europa, norteados pelo Equador, subiram em aproximadamente 5% como forma de compensar esta taxa e levaram a reboque os preços das exportações brasileiras. Resultado: como os exportadores brasileiros já incorporavam esse imposto nas suas planilhas de custo, acabaram ganhando 5% líquidos sobre toda a exportação que estão realizando. Por falar nisso, já existe um lobby para a derrubada deste imposto, que afinal só serviu para aumentar o preço do produto ao consumidor.