Notícias & Negócios – edição 28

FESTA – Foi um sucesso a Festa do Peixe realizada em Juquiá-SP de 5 a 10 de abril último. O evento contou com palestras técnicas e grande exposição com os principais representantes do comércio de equipamentos e insumos para a aqüicultura. A região conta com o apoio do Instituto de Pesca de Pariquera-Açu e já possui 3 associações de suporte ao produtor: a AQUAJU de Juquiá, a AQUAVALE de Registro e a APAQ de Pariquera-Açu. Em 93/94, foram produzidos 2 milhões de alevinos e espera-se chegar a 5 milhões em 1995, onde cerca de 60 % deverão ser engordados nos municípios da região do Vale do Ribeira. Com uma produtividade média de 1,2 toneladas, a região espera produzir 500 t de peixes esse ano, compostas 80 % pelos chamados peixes redondos (pacu, tambacu, etc.) e carpas. Desse total, 60 % são comercializados nos pesque-pagues do estado de São Paulo. O preço do peixe vivo na região está ao redor de R$ 3,00 e, se enviado para pesque-pagues num raio de 170 km, sobe para R$ 3,50, podendo chegar até a R$ 4,50 se as distâncias forem maiores, o que está estimulando os produtores a investir em veículos especialmente preparados para transportar peixes vivos.

VANGUARDA – Os criadores brasileiros de trutas vem mantendo no seu dia-a-dia o mesmo espírito de vanguarda que moveu o Dr. Ascânio de Faria, quando se empenhou nas primeiras importações desse peixe. A criatividade do Fundo de Pesquisa e Marketing – uma das melhores, senão a melhor idéia já surgida para desenvolver um setor da aqüicultura – aliás, boicotada por um grupo de truticultores míopes, ou a análise bromatológica constante das principais rações de trutas do mercado, forçando um rigoroso controle de qualidade pelas empresas fabricantes, são exemplos que merecem a atenção de outros setores da aqüicultura nacional. Esse espírito de vanguarda fez com que, recentemente, cerca de 15 truticultores fossem beneficiados com a importação de ovos embrionados para um povoamento de verão, quando as matrizes brasileiras ainda estão muito longe de estarem preparadas. Desta forma, o aproveitamento das instalações fica otimizado, sem falar nos lucros decorrentes. Os truticultores, encabeçados pelo casal Peter e Liz Gottschalk, importaram os ovos da Ilha de Man, um paraíso Escocês onde há mais de 25 anos não se tem notícias de doenças nas trutas.

ERRATA – Já está circulando o Anuário Pesca e Pescado, uma publicação voltada para o setor pesqueiro, editada por Maria Teresa de Oliveira. Na edição, o endereço da Panorama da AQÜICULTURA está desatualizado. O correto é Rua Mundo Novo, 822 # 101, Botafogo, RJ cep 22251-020, onde funcionamos há mais de 3 anos.

ABCC – Eduardo Vieira, proprietário da Marine do Nordeste, foi reeleito presidente da Associação Brasileira dos Criadores de Camarões – ABCC, em reunião realizada no dia 24 de abril, em Natal – RN, que contou com pou-quíssima participação dos criadores de camarões de água doce. Para vice-presidente e diretoria técnica foram eleitos Itamar de Paiva Rocha (MCR) e Roberto Barbieri (Tecnarão). Os criadores de camarões marinhos sofrem nesse momento com o preço do produto no mercado interno, que despencou de R$ 11,00 para os atuais R$ 6,50. O consolo é que, mesmo baixo, continua sendo mais vantajoso vender no mercado interno do que exportar.

CAPIATÃ – Os bons ventos que embalam o mercado de camarões de água doce estão obrigando a Capiatã, empresa alagoana produtora de camarões e peixes (tilápias), a aumentar em mais 1 milhão de pós-larvas por mês a sua produção atual de 3 milhões/mês. Para isso, já foi acionado outro laboratório de larvicultura da empresa, junto ao mar e distante 10 km da fazenda, para alcançar essa meta. A Capiatã pretende, já no inicio de 1996, aumentar sua produção mensal atual de 20 toneladas de Macrobrachium rosenbergii, por mês. Os novos telefones da Fazenda Coruripe, onde está instalada a Capiatã, são: (082) 274-1178 e tel/fax (011) 274-1100.

SAPINHO – Faleceu em 21/3/95 o Dr. Sebastião Luiz de Oliveira, carinhosamente chamado de Prof. Sapinho por seus inúmeros alunos quando era responsável pela cadeira de piscicultura na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro – UFRRJ. Sempre defendendo a necessidade de se desenvolver cada vez mais as pesquisas no setor, Dr. Sebastião em muito colaborou para o desenvolvimento da aqüicultura brasileira tendo sido, inclusive, um dos colaboradores próximos do Dr. Ascânio de Faria.

AGRIL – A Agricultura Riacho Ltda. – AGRIL, cuja fazenda fica localizada na Vila do Riacho – ES, acaba de contratar o passe de José Nailton Canuto (ex-Capiatã) que agora ficará a frente do laboratório e dos viveiros de engorda da empresa, que hoje ocupa o segundo lugar na produção nacional de camarões de água doce Macrobrachium rosenbergii.

LITERATURA – Os leitores interessados em adquirir os anais do TECHNOFROG ’95 e o material pro-duzido pela ABETRA – Academia Brasileira de Estudos Técnicos em Ranicultura, além de outras obras sobre o assunto, poderão adquirí-las diretamente na COOPASUL em Viçosa pelo telefone (031) 899-2381, na ABCR – Associação Brasileira dos Criadores de Rãs em São Paulo (011) 864-7177 e na ARERJ – Associação dos Ranicultores do Estado do Rio de Janeiro (021) 232-5318.

E-MAIL – É cada vez maior o número de usuários das redes de informações, sejam elas através da Internet ou BBS locais. Com o intúito de melhor agilizar e expandir o intercâmbio de conhecimentos e experiências, a revista Panorama da AQÜICULTURA pretende publicar em edição próxima, uma lista das pessoas envolvidas na aqüicultura brasileira que podem ser contactadas através de seus endereços eletrônicos. Essa lista, conterá, além do E-mail, um breve resumo sobre a atividade exercida e palavras-chave que identifiquem a área de interesse do remetente. Além de publicarmos em nossas páginas, enviaremos os dados para a AquaNIC, o principal centro de informações informatizadas sobre aqüicultura, facilmente acessável através da Internet por pesquisadores de todo o mundo. Para tal, solicitamos aos leitores interessados neste intercâmbio e que possuem endereço eletrônico, que os enviem, o mais breve possível para [email protected]