Notícias & Negócios – edição 52

CNPq – Em março foram indicados os nomes para compor o Comitê de Assessoramento de Aqüicultura do CNPq, cuja coordenação ficou a cargo de Geraldo Bernardino do CEPTA/IBAMA. Além de Bernardino, também são membros do Comitê Assessor Carlos Rogério Poli da UFSC, José Roberto Borguetti do MMA, Armando Augusto Vieira da UFSCar e Silvio de Almeida Toledo Filho da USP. Os Comitês de Assessoramento têm como objetivo prestar assessoria ao CNPq na avaliação de projetos e programas e, na apreciação das solicitações de apoio à pesquisa e formação de recursos humanos. A relação atual entre o número de pedidos de bolsas e o número de bolsas disponíveis é de 6:1 e, segundo Bernardino, seria interessante se um número maior de pesquisadores que trabalham com aqüicultura enviassem os seus trabalhos e suas solicitações para o CNPq, para que o órgão tenha uma idéia dessa demanda e, dessa forma, possa vir a aumentar o número de bolsas.

INVERNO – A chegada do inverno e as variações de temperatura podem trazer sérios problemas de doenças para os peixes, muitas vezes causadoras de elevadas mortalidades. Como o melhor remédio é sempre a prevenção, a Divisão Agropecuária da empresa Campical alerta para a importância do tratamento dos viveiros e da melhoria da alcalinidade e dureza da água. A Campical é responsável pelo Propeixe, um produto isento de qualquer resíduo tóxico, que segundo técnicos da empresa trata com economia os viveiros substituindo a calagem tradicional, atuando com eficiência na eliminação de fungos, bactérias, sanguessugas e Lernaea. Mais informações sobre o produto pelo fone: (019) 227-2033 e fax: (019)227-2396.

DOENÇAS – A ABRAPOA – Associação Brasileira de Patologistas de Organismos Aquáticos está relançando o livro “Doenças de Peixes: Profilaxia, Diagnóstico e Tratamento”, que aborda de maneira sistematizada as principais doenças causadas por agentes patogênicos como parasitas, fungos, bactérias e vírus, além das doenças de etiologia nutricional que comumente afetam os peixes cultivados em nosso país. Os principais aspectos ligados às características, ao diagnóstico e à sintomatologia das doenças, sua patogenia, profilaxia e manejo no tratamento, são alguns dos tópicos abordados nas 246 páginas de autoria de Gilberto Pavanelli, Jorge Eiras e Ricardo Takemoto e, ilustradas com fotografias, esquemas e desenhos. A publicação, que teve a sua primeira tiragem esgotada, se destina à todos que atuam na piscicultura, sejam pesquisadores, professores, técnicos ou alunos. Os interessados na publicação poderão contatar a ABRAPOA – UEM/Nupélia – Av. Colombo, 5790 – Bloco H90 – Maringá – PR, fones (044)972-1874 e 263-4839 e e-mail: [email protected]

CURSOS – Fernando Kubitza, especialista em nutrição e produção de peixes estará promovendo entre junho e outubro deste ano, diversos cursos avançados em piscicultura destinados a produtores, técnicos e consultores, bem como a fabricantes de equipamentos e rações, estudantes de biologia, zootecnia, agronomia e veterinária. Em todos os cursos será fornecido material didático específico, translado para aulas de campo e almoço self-service. As aulas acontecerão no Center Park Hotel em Jundiaí-SP. Mais detalhes podem ser obtidos através do fone/fax: (011) 7312-2064.

ANCONA – De 12 a 16 de maio a Saboral, empresa líder na comercialização de pescado congelado no Espírito Santo, Minas Gerais e Rio de Janeiro, estará participando da Feira de Ancona – Itália, um tradicional evento do mercado de pescados na Europa, que se repete há mais de 20 anos. A empresa dará a oportunidade ao público presente de degustar tilápias brasileiras de cultivo, traíras vindas da Argentina e surubim, dourada e piramutaba da Amazônia. Os peixes serão transportados congelados na forma que irão ser degustados, ou seja, postas, filés e porcionados. Essa será a primeira vez que um pescado brasileiro será degustado na feira italiana. Em 1998, a Saboral comercializou, em peso vivo, mais de 16.000 toneladas de pescados e prepara-se para inaugurar no final de junho um frigorífico para beneficiamento de peixes cultivados na Zona da Mata mineira, dando andamento ao seu projeto de integração com produtores da região.

ERRATA – A Piscicultura Águas Claras, que comercializa matrinchãs e piracanjubas teve o seu telefone publicado errado na última edição. O telefone correto da Águas Claras de Mococa – SP é: (019) 656-4838.

MASTERCARD- Para maior conforto dos leitores, além do cartão VISA, a Panorama da AQÜICULTURA agora está operando também com os cartões de crédito Mastercad e Dinners. Aqueles que desejarem fazer sua renovação ou uma nova assinatura usando um desses cartões de crédito, bastarão faze-lo pelo telefone (021) 553-1107, numa operação revestida de total segurança.

REVOLTA – A organização da Pesca Brasil, feira que aconteceu em março passado em São Paulo, cancelou, às vésperas do evento, o seminário programado para acontecer paralelamente a feira. A notícia do cancelamento surpreendeu as empresas de aqüicultura que se propuseram a participar e expor seus produtos, atraídas pela expectativa de público que visitaria o local em função das palestras. Teve gente que se deslocou de lugares distantes e se decepcionou com o que não viu. O descontentamento foi grande e fez com que muitas empresas se revoltassem, se recusando até a montar seus estandes e solicitando a devolução dos pagamentos previamente efetuados pelo espaço contratado. A briga ainda não acabou.

HOME PAGE I – O engenheiro de pesca Ricardo Newkirchner, leia-se Estação de Piscicultura Aquabel, pioneira na incubação artificial de tilápias tailandesas (nilótica pura) no Brasil, convida os leitores da Panorama da AQÜICULTURA a visitarem a sua recém criada homepage, que poderá ser acessada no endereço: www.aquabel.com.br

PANORAMA-L – Excepcionalmente não estaremos publicando nesta edição a seção “Notícias & Negócios On Line”, que voltará já na próxima edição, como sempre pinçando na internet informações e e-mails do interesse dos aqüicultores. Aproveitamos para lembrar que o fórum de discussão Panorama-L permanece gratuitamente aberta a todos que tenham acesso a internet e queiram dele participar. Para isso, basta enviar mensagem para o endereço <[email protected]>, deixando o assunto em branco, e escrevendo na primeira linha do corpo da mensagem: subscribe panorama-l <seu e-mail>. Não se esqueça que tudo deverá ser em letras minúsculas e que não se deve escrever os sinais < e >. Dúvidas para o e-mail: [email protected]

HOME PAGE II – A Alfatecnoquímica (leia-se J.L. Química da Água Ltda.), após 10 anos desenvolvendo kits – laboratórios portáteis – para análise de águas de viveiros, tanques, tanques-rede e efluentes, comemora essa conquista e compartilha sua empresa com todos através de uma home page na internet. Leo Oliveira, seu fundador, convida a todos para o endereço www.alfatecnoquimica.com.br

ACEAq- Acaba de ser criada do Estado do Ceará mais uma nova associação de aqüicultura congregando produtores, técnicos e empresários com o objetivo principal de desenvolver, de modo empresarial, a aqüicultura estadual de maneira sustentável e não agressora ao meio ambiente. Segundo Francisco Sabadia, presidente da associação, a ACEAq – Associação Cearense de Aqüicultores visa o incremento da produção e da produtividade no cultivo de peixes tropicais de valor comercial no estado e, consequentemente, favorecendo a geração de empregos na região. O endereço da ACEAq é Rua dos Maias, 297, Fortaleza- Ceará – CEP 60821-640, fone/fax: (085) 287-4639, e-mail: [email protected]

TRUTICULTORES EM ALERTA – Os produtores de trutas tem encontro marcado dia 29 e 30 de maio em Campos do Jordão – SP. Será o XIII Encontro de Salmonicultores promovido pela ABRAT – Associação Brasileira de Truticultores. Entre temas técnicos ligados a genética, nutrição e manejo de efluentes, será discutido o papel da ABRAT, que hoje conta com 47 sócios contribuintes, dos quais muitos somente se valem da associação sem cumprir com suas obrigações, levando a ABRAT a operar com déficit mensal. Além disso, segundo Claudio Schmidt, presidente da associação, o fundo de marketing patrocinado por dois fabricantes de rações foi esvaziado por novos fornecedores que entraram no mercado. Apesar dessas empresas se utilizarem de informações e estudos já existentes a um custo bem baixo, incluindo o acesso à lista de associados da ABRAT, não tiveram interesse em contribuir com o repasse de um percentual sobre o total das vendas de ração de truta e, com isso, o fundo praticamente acabou. A situação é delicada e merece a atenção de todo o setor pois é extensa a lista de contribuições da ABRAT para o desenvolvimento da truticultura brasileira.

E AGORA? – Em outubro de 1998, portanto antes da criação do DPA, o IBAMA publicou a Portaria 136 estabelecendo normas para o registro de aqüicultor e de pesque-pague. Um caso, no entanto não ficou claro: o do aqüicultor que reserva parte do seus viveiros para fazer seu próprio pesque-pague. Isto aconteceu com uma truticultura no Estado do Rio de Janeiro, registrada desde 1989 e desde então com sua documentação em dia. Seus proprietários, há alguns anos, reservam uma área de seus tanques para a atividade de pesque-pague, utilizando para isso as trutas produzidas na própria propriedade. A dúvida: continuam pagando o registro de aqüicultor? Ou de pesque-pague? Ou os dois? A fiscalização do IBAMA-RJ diz que, no caso, a atividade de pesque-pague é outra categoria e que deve ser registrada, inclusive com novo recolhimento. Sobrem perguntas: seria isso uma bi-tributação? Cabe ao IBAMA continuar fazendo o registro de aqüicultor? Ou seria o DPA?

MADE IN BRASIL – Já estão prontas as primeiras evisceradoras de peixes fabricadas pela Bernauer. Quem visitou o estande da empresa na Feipesca viu e gostou muito. A máquina já saiu de lá diretamente para trabalhar no Estado do Pará. Segundo a empresa o equipamento é muito fácil de ser manejado, utiliza vácuo para a sucção das vísceras e tem um rendimento espetacular. Para operar junto a evisceradora, a Bernauer está fazendo os últimos acertos de outra máquina para retirar a pele. Essa dobradinha parece que vai dar o que falar.

ESCOLAS TÉCNICAS – A produção aqüícola, o processamento de pescado, a construção para aqüicultura e outros temas aqüícolas, estarão em breve disponíveis à juventude através das Escolas Técnicas Federais. A inclusão do curso de aqüicultura na programação dessas escolas fica a critério de cada uma delas, bastando somente que a diretoria solicite a sua implantação entrando em contato com o biólogo Aldemir de Castro Barros, coordenador da implantação dos cursos de pesca e aqüicultura do convênio firmado em outubro passado entre Ministério da Agricultura e o Ministério da Educação. Aldemir Barros pode ser contactado pelo telefone (081) 453-3833 e e-mail: [email protected]

MADE IN JAPÃO – A FINEP acena com a possibilidade de financiamento na área de aqüicultura com recursos do Eximbank/Finep, provenientes do governo do Japão. Destinam-se, dessa forma, a aquisição somente de equipamentos e instrumentos de origem japonesa. As universidades, centros de pesquisas e ONG’s, devem enviar uma solicitação acompanhada de um levantamento de preços no mercado internacional em pelo menos dois países, juntamente da síntese do trabalho que realizam. O endereço da FINEP é: Praia do Flamengo 200 – 2 andar, CEP – 22210-030 – Rio de Janeiro – RJ, A/C de Gilberto Alves dos Santos.

EM ELABORAÇÃO – Está sendo preparado pelo NUPELIA/UEM – Universidade Estadual de Maringá um trabalho desejado há muito pela maioria dos piscicultores. Trata-se de um manual de identificação de ovos, larvas e alevinos de peixes brasileiros de água doce. Financiado pela Eletrobrás e coordenado pelo pesquisador Keshyiu Nakatoni, esta publicação trará desenhos em câmara clara e fotos dos diversos estágios do desenvolvimento inicial de inúmeras espécies.

HAJA PACIÊNCIA – Ainda deve demorar um bom tempo para ser publicado o conjunto de normas complementares ao Decreto Presidencial n. 2.869 que regulamenta o uso das águas públicas para fins de aqüicultura. Essa normatização já deveria estar pronta no prazo de 60 dias, contados a partir da data da assinatura do Decreto, em 9 de dezembro do ano passado, e até agora nada. A responsabilidade para agilizar isso, ficou a cargo de um grupo de trabalho composto por representantes do Ministério da Agricultura e Abastecimento, Ministério da Fazenda e Ministério do Meio Ambiente. O atraso agora se deve a uma solicitação dos representantes do Ministério do Meio Ambiente que insistem em se manifestar somente após a reestruturação deste órgão que, ao que parece, deve andar bem desestruturado mesmo. O fato é que isso é bastante desestimulante, principalmente para o DPA – Departamento de Pesca e Aqüicultura do MA, que vinha depositando todo o entusiasmo na questão. Fica a pergunta: quanto tempo ainda vai demorar? E mais: uma determinação presidencial manifestada através de um decreto é ou não é para ser cumprida dentro dos prazos?