Notícias & Negócios – edição 92

CESTA DE NATAL – De olho no público paulista e em empresas locais que entregaram cestas aos funcionários, para presenteá-los no Natal, a empresa Pescados Santa Catarina Indústria e Comércio (PESC), localizada em Itajaí (SC), criou kits especiais para as festas de final de ano. Os kits, que contêm pescados como linguado, pescada, camarões e lula, ao invés dos tradicionais peru e tender, foram concebidos em caixas térmicas de isopor e embaladas com motivos decorativos, e apresentados nas versões platinum e aureum, que variam na quantidade e variedade dos pescados. Esse é o segundo ano que a PESC usa essa alternativa para a comercialização de seus produtos.


CIVA 2006 – Já está agendado para o período de 15 de novembro a 15 de dezembro de 2006, a quarta edição do Congresso Iberoamericano Virtual de Aqüicultura 2006, recomendado pelo Capítulo Latino-americano e Caribenho da Sociedade Mundial de Aqüicultura e pela Sociedade Espanhola de Aqüicultura (que participa da organização do CIVA 2006). As inscrições para participação no evento da internet são gratuitas e a entrega de trabalhos técnicos e científicos será possível até o dia 15 de julho. Informações sobre o CIVA 2006 já podem ser obtidas na página http://www.civa2006.org/parts/normas.asp


WAS 2005 ONLINE
 – Estão disponíveis em formato de arquivo PDF na página eletrônica da World Aquaculture Society – WAS, http://www.was.org/Meetings/SessionsByDay.asp?Meetingcode=WA2005 os resumos e também a íntegra de muitas conferências (não todas) apresentadas no último encontro anual da WAS, realizado em Bali, na Indonésia.


FENACAM 2006 – Para o presidente da Comissão Científica da Fenacam 2006, Walter M. Maia Jr, o próximo evento que se realizará entre os dias 22 e 24 de março, novamente no Centro de Convenções de Natal – RN, terá como seu maior desafio a superação das versões realizadas em 2004 e 2005. Segundo Walter, os trabalhos dedicados à cadeia produtiva do camarão marinho, representarão uma grande oportunidade para que a comunidade científica possa apresentar suas pesquisas e trocar conhecimentos sobre os avanços tecnológicos, os entraves e as perspectivas para expansão do setor. Walter Maia espera contar com a participação de todos os envolvidos com o desenvolvimento tecnológico da carcinicultura, através da apresentação de trabalhos técnico-científicos em forma de pôsteres ou apresentação oral. A entrega dos resumos deve ser feita até 1º de fevereiro e os trabalhos na íntegra deverão ser enviados até 15 de março de 2006. Mais informações: [email protected]

EPAGRI/FUNDAGRO – Foi aprovado o projeto “Implementação da Produção de Sementes da Vieira “Pata de Leão”, Nodipecten nodosus (Linnaeus,1758) em Santa Catarina”, submetido pela Fundação de Apoio à Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina – Fundagro, e que tem como executor a Epagri e co-executor a UFSC. Para o pesquisador Guilherme Rupp, da Epagri/Cedap, esse projeto será um importante impulso para subsidiar a ampliação da produção de sementes de vieiras em laboratório. Estas sementes poderão ser repassadas para os produtores, viabilizando a implantação do cultivo de vieiras em escala comercial em Santa Catarina. O valor solicitado para o projeto foi de R$ 340 mil. Além desse, um outro projeto também foi aprovado dentro da chamada pública de aqüicultura, comunicada pela FINEP: “Caracterização Genética e Melhoramento de Ostras Nativas do Gênero Crassostrea”, que foi submetido pela UFSC/FAPEU e tem a Epagri como instituição parceira, juntamente com outras oito instituições nacionais.


BIBLIOTECA DIGITAL
 – A US National Sea Grant Library, biblioteca que faz parte do Sea Grant, programa de apoio e concessão de bolsas às pesquisas marinhas (uma espécie de CNPq norte-americano) organizou recentemente a Biblioteca Digital de Aqüicultura, que pode ser acessada pela Internet. A biblioteca digital possui um arquivo de trabalhos que inclui a aqüicultura em geral, a aqüicultura em mar aberto, cultivos em tanques-rede e cercados, sistemas de recirculação, intensificação de cultivos, leis e regulamentações e, projetos e construção. Os trabalhos estão disponíveis em sua íntegra e muitos deles não constam de publicações. A biblioteca digital parece ser uma boa fonte de informações para quem não tem acesso ao portal Capes, do governo federal. A biblioteca digital pode ser acessada na página http://nsgl.gso.uri.edu/aquadig.html.


PRÊMIOS 
– Além de bons lucros, uma boa parceria pode também gerar bons prêmios. A empresa catarinense Bluefish Piscicultura, que produz o catfish americano (Ictalurus punctatus) para a exportação através da sua parceria com a Leardini Pescados, está comemorando o recebimento de dois troféus na entrega do 11º Prêmio Talentos Empreendedores, promovido pelo SEBRAE. O evento incentiva o desenvolvimento de micros e pequenas empresas, premiando as melhores de Santa Catarina nos setores de serviço, comércio, base tecnológica e turismo. Mais de 1.400 empresas concorreram aos oito prêmios, cabendo a Bluefish Piscicultura o Prêmio Especial Exportação além de ter sido a vencedora na Categoria Agronegócio. A parceria da Bluefish Piscicultura com a Indústria Leardini Pescados, permite o processamento mensal 45.000 kg de catfish com média de 600 gramas, o que resulta na carga de 18 toneladas de filés que seguem mensalmente para os EUA. A Bluefish foi a primeira empresa do Brasil a exportar filés de catfish para os EUA, fato que aconteceu em 2003. Segundo o diretor da empresa, André Luiz Theiss, esta parceria da piscicultura com a indústria de processamento e o agente importador tem sido fundamental para a excelente qualidade final do produto, quesito da maior importância para o comércio com esse exigente mercado norte-americano.


CATFISH DO MEKONG 
– Em breve as lojas da cadeia norte-americana de fast food Mc Donald’s de todo o mundo, poderão ser abastecidas com o catfish proveniente do Vietnã (basa). Representantes da empresa Mazzetta, maior fornecedora de pescados para o Mc Donald’s, estiveram na região do delta do rio Mekong visitando a Agifish, grande produtora de pescados, de olho na possibilidade de negociação com a cadeia de fast food, que planeja oferecer, tanto filés de catfish quanto de tilápia, em seus sanduíches Mc Fishes.


EMBUTIDOS DE TILÁPIA – A Produção de embutidos à base da carne de peixe foi o tema escolhido por Ricardo Targino Moreira, da Universidade Federal da Paraíba, para a sua tese de doutorado na Faculdade de Engenharia de Alimentos (FEA) da Unicamp – SP. A idéia beneficia também produtores que, com isso, ganham uma alternativa para agregar valor à tilápia e, à população de regiões distantes dos centros produtores, permitindo que tenham acesso à proteína animal com alto valor nutricional. O processamento dos embutidos de peixe é similar aos praticados com carnes bovina, suína ou de frango. Contudo, por conta da consistência da carne, que possui uma maior quantidade de água, foram feitas pequenas modificações no preparo da mortadela e salsicha de peixe. Deu-se também preferência à gordura vegetal, ao invés da animal, além de proteína de soja, visto que um dos objetivos do preparo desse produto foi a obtenção de um alimento mais saudável. O pesquisador realizou, ainda, testes de aparência, cor, sabor, aroma e textura dos embutidos de tilápia, além de uma pesquisa sobre intenção de compra, onde se concluiu que os produtos obtiveram uma aceitação acima de 80% e que poderão ser vendidos por R$10,00 o quilo.


TRUTAS SALMONADAS
 – Pesquisadores da Estação Experimental de Salmonicultura de Campos do Jordão (SP) apresentaram para produtores e compradores uma truta que recebeu uma pigmentação alaranjada, semelhante à do salmão, como uma alternativa para os restaurantes que trabalham com a culinária japonesa. De acordo com a bióloga Yara Aiko Tabata, pesquisadora da Estação de Salmonicultura, que é ligada à Apta (Agência Paulista de Tecnologia Agropecuária), utilizando-se o processo de tripoidização, a truta salmonada pode chegar a dois ou três quilos em dois anos de engorda, com boa qualidade da carne. No Brasil, a truta vem sendo comercializada com no máximo 300 gramas de peso médio, após um ano de engorda. A salmonização é obtida com a utilização de pigmento à base de lecitina de soja acrescentada à ração, cerca de 60 dias antes do abate. O produto final é um peixe ideal para o consumo na forma de filés crus ou cozidos.


CONSUMO NOS EUA – Uma pesquisa autorizada pela Red Lobster, maior cadeia norte-americana de restaurantes de frutos do mar, com 679 restaurantes nos EUA e no Canadá, mostrou que quase a metade dos consumidores habituais de pescados está, hoje, consumindo mais pescados que há cinco anos atrás. Os resultados da pesquisa indicam também que três entre quatro entrevistados consomem pescados pelo menos uma vez por mês. Dois terços disseram que consomem pescados por ser uma melhor alternativa e um alimento mais saudável que a carne de boi ou de frango. Dentre os pescados, o camarão foi apontado como o item mais consumido, seguido do atum enlatado, salmão, caranguejo, catfish, atum fresco, bacalhau e moluscos. Isso explica o porquê que muitos países, mesmo pagando tarifas antidumping, insistem em ter os EUA como mercado preferencial.


TECNOLOGIA PARA A INDÚSTRIA 
– A 3ª edição da Seafood Expo Latin América – Feira Internacional de pescados, frutos do mar e tecnologia para a indústria da aqüicultura e pesca acontecerá entre os dias 24 a 26 de maio de 2006, no Pavilhão Amarelo do Expo Center Norte, em São Paulo. O evento, organizado pela VNU Business Media do Brasil, terá este ano, dentro da feira, uma área exclusiva de Tecnologia para a Indústria da Aqüicultura e Pesca, focado em ração, ingredientes alimentícios, insumos, equipamentos e máquinas para processamento, embalagens, transporte e armazenagem, tanques e aeradores e produtos e serviços para a indústria naval. Na última edição da feira a visitação de aqüicultores e fazendeiros de água doce e marinha foi muito grande, daí a razão de segmentar o evento criando-se esta área exclusiva que terá o nome de Seafood Tech. Em 2005 a feira recebeu a visitação de 5.125 profissionais do setor, sendo que 12% foram compradores internacionais de mais de 20 países, entre os quais Estados Unidos, França, Itália, Alemanha e Espanha. Simultaneamente acontecerá o 3° Congresso Seafood que abordará as tendências e novas tecnologias para o setor. A Seafood Expo tem o apoio da ABCC, Conepe, Abracoa, Instituto de Pesca, Seap, Univali, Sindipi, GI Pescado, MRE, Acapesp , Abrasel-SP, Acapesp e ACNielsen. Mais informações: (11) 4613-2000 – e-mail: [email protected] – www.seafood.com.br


NÚMERO TRÊS – Se você tenta e não consegue completar a sua ligação telefônica para algumas cidades do Brasil, experimente colocar o 3 (três) na frente do número que pretende falar. Muitas cidades adotaram essa mudança, mas nem sempre as companhias telefônicas disponibilizam essa informação quando tentamos completar a discagem. Isso tem dificultado importantes contatos comerciais e pessoais. Assim, se você está tentando se comunicar e não está conseguindo, lembre-se de colocar o 3 na frente do número. Pode ser esse o motivo.


MEDICAMENTOS – A Schering-Plough do Brasil, uma das principais indústrias de medicamentos veterinários do país, deverá iniciar a importação de medicamentos voltados para a piscicultura e à carcinicultura, a partir do primeiro trimestre de 2006. Para isso, a empresa está investindo cerca de R$1 milhão, com a expectativa de que esta linha de produtos venha a representar algo próximo de 3% do faturamento anual da empresa. Deverão ser trazidos dos EUA e da Europa, antiinflamatórios, antibióticos e antiparasitários para tilápia, camarão e salmonídeos.


MEDIDA PROTECIONISTA?
 – A Associação Catarinense dos Criadores de Camarão (ACCC), divulgou um comunicado alertando para o comércio de camarões suspeitos de serem portadores de enfermidades, provenientes de Estados das Regiões Sudeste, Norte e Nordeste, o que contraria a portaria estadual Nº 026/2003, que proíbe a entrada de camarões in natura no Estado. Para entrar no mercado catarinense, os camarões precisam estar cozidos e embalados. Para a Associação Brasileira de Criadores de Camarão (ABCC), a medida é uma barreira comercial contra o produto proveniente do Nordeste. Na opinião da Bahia Pesca, trata-se de uma retaliação comercial e não sanitária, uma vez que o Brasil exporta camarão in natura para diversos países sem nenhuma restrição.


CAMARÃO DE ÁGUA DOCE 
– Desde 1999 que o camarão de água doce Macrobrachium rosenbergii vem sendo uma das principais espécies alvo para o desenvolvimento das atividades de aqüicultura, para o ministério da pesca do Vietnã. Recentemente, o governo deste país implementou uma política que irá permitir a conversão de áreas improdutivas para o plantio de arroz em fazendas de cultivo de camarões de água doce. A produção atual dessa espécie é de pouco mais de 10.000 toneladas anuais, mas com os novos incentivos do governo vietnamita, espera-se que a produção alcance 60.000 toneladas no ano de 2010. No Brasil, na região do Baixo São Francisco, também existem muitas áreas outrora utilizadas para o plantio de arroz que, por conta da baixa competividade do produto, se encontram agora desativadas. A CODEVASF vem há muito tempo incentivando o uso dessas áreas para a piscicultura e, a exemplo do Vietnã, o M. rosenbergii também se mostra como uma boa opção.


CÂMARA DOS DEPUTADOS 
– Itamar de Paiva Rocha, presidente da ABCC filiado ao PMDB-RN, está se candidatando a Deputado Federal. Segundo Itamar a Aqüicultura vem há muito cogitando e necessitando de uma representação comprometida com a defesa dos direitos e interesses setoriais na Câmara dos Deputados, tema esse, que vem sendo discutido no âmbito da ABCC, ANCC(RN) ACCC(CE) e ACCP (PI), especialmente em épocas de acirramento de conflitos com o IBAMA, MMA, MPF. Para Itamar, que acredita ter chances reais de sucesso, essa candidatura apesar de ter uma base estadual, tem uma conotação muito mais ampla, porém só se viabilizará se tiver o apoio de todos os segmentos envolvidos com a Aqüicultura e Pesca no Brasil. O Rio Grande do Norte conta atualmente com 8 (oito) vagas para Deputado Federal. O Estado possui 33 Municípios onde se desenvolve a carcinicultura, cujo número de eleitores (1.200.000) representa 55% do total de votos do Estado, sendo que cerca de 450.000 se encontram no município de Natal. A candidatura conta com o apoio do Sindicato das Empresas de Pesca do Rio Grande do Norte, bem como dos pescadores, representados por Colônias e pela própria Federação. Contatos com o comitê poderão ser feitos através do e-mail [email protected]


PEIXES NATIVOS
 – Será realizada na cidade colonial de Morélia, no México, em novembro de 2006, a 1ª Conferência Latino-americana sobre Cultivo de Peixes Nativos e 3ª Conferência Mexicana sobre Cultivo de Peixes Nativos, onde deverão ser discutidas a situação atual e o futuro potencial da maioria das espécies e dos importantes grupos para o desenvolvimento da aqüicultura na América Latina. A conferência, que terá a duração de três dias, tem o apoio da Fundação Darwin dentre outras importantes instituições. Mais informações e detalhes sobre a conferência, podem ser obtidos na página http://www.aqua.stir.ac.uk/GISAP/conference/index.htm.


CUBA LANÇA ESTIMULANTE – Um novo produto desenvolvido em Cuba, denominado Acuabio 1, demonstrou grande eficácia como estimulante do crescimento, bem como fortalecedor do sistema imunológico de espécies utilizadas na aqüicultura. Testes realizados em laboratório comprovaram que o uso desse novo produto, aumentou a sobrevivência de larvas de camarão que durante os experimentos, tiveram um crescimento em peso e tamanho de cerca de 130%, conforme foi apresentado no Congresso Internacional de Biotecnologia Habana 2005, realizado na capital cubana de 27 de novembro a 2 de dezembro. Já os camarões adultos tratados com o mesmo produto tiveram um aumento de peso e tamanho de 40%. Os resultados comprovam a eficiência do produto, que já se encontra em processo de introdução no programa nacional cubano de aqüicultura, que é patrocinado pelo Ministério da Indústria Pesqueira. Dentre as vantagens da utilização do novo produto, ressalta-se sua ação no reforço do sistema imunológico, além da visível homogeneidade no tamanho dos animais, que é alcançada com a sua utilização, informou Mario Pablo Estrada, pesquisador do Centro de Ingeniaría Genética y Biotecnología (CIGB), situado en la capital cubana. O Acuabio 1 também está sendo testado em tilápias, carpas e outras espécies de peixes. A grande novidade deste produto está no fato de que os seus princípios ativos não se baseiam no emprego tradicional de fungicidas e antibióticos, mas numa combinação de proteínas.


ANÁLISES DE SOLOS – A produtividade na aqüicultura, está intimamente ligada à saúde do meio ambiente de cultivo. As condições predominantes para o bom desenvolvimento de espécies aquáticas incluem essencialmente a qualidade da água e também a dos solos subjacentes. Enquanto a água dos viveiros de criação normalmente pode ser renovada regularmente e aerada quando necessário, os solos permanecem com a história e herança dos cultivos anteriores. Além da granulometria, que pode auxiliar a calcular as taxas de percolação e o tempo de residência da água, outras análises do solo, como o teor de matéria orgânica, o pH, o potencial redox, porosidade, densidade real e densidade aparente, são importantes para apoiar a decisão de escolha de terras apropriadas para o desenvolvimento da atividade, além de orientar a melhor gestão do próximo ciclo de cultivo. Para tanto, os interessados em realizar avaliações desta natureza em solos de viveiros de criação de peixes e camarões podem agora contar com o LAQUASIG – Laboratório de Aqüicultura e Sistemas de Informação Geográfica da Universidade Santa Úrsula, no Rio de Janeiro, sob coordenação dos professores Philip C. Scott e Ricardo G. Pollery pelos emails: [email protected] e [email protected]


ENGENHARIA DE PESCA –
 Será realizado em fevereiro de 2006, o vestibular para o curso de engenharia de pesca na Fundação Educacional da Região dos Lagos (FERLAGOS), localizada em Cabo Frio, no Rio de Janeiro. Os interessados podem obter informações a respeito pelo telefone (22) 2645-6100, ou diretamente com o responsável pelo curso, o engenheiro de pesca Modesto Guedes Ferreira Junior, pelo e-mail [email protected]. Da mesma forma, informações ainda não confirmadas indicam que a Universidade Federal de São Paulo também está criando o curso de engenharia de pesca, que deverá ser ministrado na cidade paulista de Santos.


DOMÍNIO CHINÊS
 – De acordo com os mais recentes números da FAO (The State of Food and Agriculture 2005 – SOFA 2005), a produção mundial de pescados provenientes da aqüicultura representou em 2003, 32% da produção total mundial de pescados (considerando pesca e aqüicultura), ou seja, das 132,5 milhões de toneladas de pescados produzidas em todo o mundo em 2003, 42,3 milhões de toneladas foram provenientes da aqüicultura marinha e de água doce. Grande parte do crescimento da participação da aqüicultura no contexto mundial da produção de pescados, se deve à China, que segundo o documento da FAO, foi responsável no ano de 2003, por 2/3 de toda a produção mundial de pescados proveniente da aqüicultura, ou o equivalente à 28,9 milhões de toneladas de pescados.


EMBAIXADORA DA ONU
 – A princesa Máxima, da Holanda, embaixadora da ONU na área de microcrédito, esteve no final do mês de novembro visitando pequenos maricultores de Santa Catarina. Formada em economia, a esposa do príncipe herdeiro da Holanda, teve encontros com autoridades, representantes de instituições financeiras e ONG’s, visando ampliar o acesso de pequenos empreendedores aos microfinanciamentos.


CAMARÃO NA EUROPA
 – A redução das taxas de importação dos países da União Européia para camarões frescos de 12% para 4,2% e, para camarão processado de 20% para 7%, deverá desviar parte do camarão do mercado norte-americano para o mercado europeu. Por outro lado, a devastação causada pelos vários furacões que atingiram a costa norte-americana nos últimos meses, também poderá causar impactos no abastecimento interno de camarões nos EUA, decorrendo na elevação dos preços no mercado norte-americano. A oferta de camarões na maioria dos países produtores é considerada de moderada à boa. Em 2005 ocorreram algumas alterações na composição dos fornecedores de camarão para os países da União Européia, com a China se tornando o principal fornecedor para a Espanha, seguido do Brasil, que perdeu espaço em função dos problemas com enfermidades. Apesar da redução do volume das importações, a Espanha, continuou a ser o principal importador de camarões da União Européia. De toda forma, as importações européias provenientes de países asiáticos, principalmente China e Vietnã, aumentaram. As importações de camarão da França, na primeira metade do ano, foram similares aos níveis recordes alcançados em 2004 e o Brasil foi o principal fornecedor de camarões congelados para este país. A França passou a importar também de outros países como Equador, Indonésia e Índia. Na Itália, o volume de camarões importados cresceu cerca de 5% na primeira metade de 2005 e as estatísticas indicam que o Equador consolidou sua posição como principal fornecedor de camarões congelados para este país. A Alemanha aumentou as suas importações de camarão em 16% no mesmo período, tendo a Índia como seu principal fornecedor. De acordo com a a Globefish /FAO, durante 2005, na Espanha, França e Reino Unido, os preços de importação se mantiveram estáveis, enquanto na Itália e Alemanha, ocorreu uma queda nos preços unitários médios para o camarão importado pelos países membros da União Européia.