Notícias & Negócios Online – edição 50

De: “Cristininha”
[email protected]
Para: Lista Panorama-L
[email protected]
Assunto: dicas

Saindo da lista de discussões, gostaria de passar a vocês um endereço interessante onde podemos encontrar coisas boas sobre tilápia. O endereço é: http://ag.arizona.edu./azaqua/ata.html

De: “Nicolas Garcia Romero”
[email protected]
Para: Lista Panorama-L
[email protected]
Assunto: Ovas carpa capim

Tenho um sério problema com desovas de carpa capim, já que com 23 horas de incubação as cascas dos ovos se rompem, morrendo quase 90% da desova. A temperatura da água gira ao redor de 22-23ºC, mantendo iguais os demais parâmetros físico-químicos dos anos anteriores onde obtivemos êxito. Os reprodutores pesam cerca de 10 kg, as desovas e fecundações são naturais sobre coletores, após receberem extrato de hipófise. Temos feito amostras sistemáticas a cada 3 horas para realizar estudos ictiopatológicos mas seria muito bom se algum colega pudesse ajudar. Estamos apontando para problemas derivados de dieta inadequada, agentes bacterianos ou virais. Os problemas genéticos estão descartados já que o plantel é o mesmo utilizado em anos anteriores. (Lic. Nicolas Garcia Romero Fac. de Cs. Veterinárias. Catedra de Patologia General Univ. Nacional de La Plata. – Argentina)

De: José Eurico Possebon Cyrino
[email protected]
Para: Lista Panorama-L
[email protected]
Assunto: Re: Ovas carpa capim

Isso parece ser o que a literatura internacional chama de “soft shell”. Em geral, este problema é relacionado à baixa alcalinidade/dureza da água, que não possibilita o endurecimento da casca dos ovos (“egg hardening). Para que o “egg hardening” seja completo, a água de incubação deve ter uma alcalinidade/dureza mínima de 50 ppm e um teor de cálcio (Ca) mínimo de 10 ppm. Creio que aí esteja o seu problema. Faça uma análise desta água para estes dois parâmetros e corrija como necessário. Gostaria de recomendar a seguinte literatura: Piper, R.G.; I.B. McElwain, L.O. Orme, J.P. McCraren, L.G. Fowler and J.R. Leonard. 1982. Fish Hatchery Management. US Fish and Wildlife Service. Washington, DC, USA. Existem alguns outros bons livros na área, mas acho este o mais completo. O livro está disponível através da American Fisheries Society ou qualquer livraria técnica que trabalhe através da Internet.

De “Sergio Tamassia”
[email protected]
Para: Lista Panorama-L
[email protected]
Assunto: Re: Ovas carpa capim

Em trabalhos de propagação de carpas chinesas (capim, cabeça grande e prateada) tivemos uma ocorrência de problema similar ao que você descreve. A causa por nós identificada foi uma grande ocorrência de bactérias que atacavam as cascas (muito delicadas) dos ovos. O problema foi causado por acúmulo de sedimentos nos canos que abasteciam as incubadoras pois o nosso sistema de abastecimento corria ao nível do chão, e as derivações para as incubadoras eram pela parte superior do cano, o que permitia a formação do referido acúmulo na parte inferior da tubulação, e era aí que as bactérias se proliferavam. Adicionalmente, durante a incubação das desovas das carpas chinesas, aplicávamos a cada 4 horas 1-3 ppm de formol. Um outro problema que ocorreu durante a incubação deste tipo de ovo foi o do rompimento devido a elevada agitação mecânica em função de grande fluxo de água pelo equipamento.

De: “Rene C. de Castro”
[email protected]
Para: Lista Panorama-L
[email protected]
Assunto: Alevinos predados

Há poucos dias atrás compramos alevinos de pacu com média de 4 cm. Logo após o peixamento começamos a notar que alguns deles morriam (o que penso ser normal pela viagem…).Não foram tantos nessa condição, mas o problema é que agora muitos deles aparecem mortos e com características de predados. Descontada a possibilidade de peixes predadores no tanque (já que o mesmo foi completamente seco e calado) e de aves (se bem que nesse caso sem 100% de certeza, apesar do uso de rede contra pássaros), gostaria de poder contar com a ajuda e experiência de alguém que já tenha passado por isso. Obs.: os alevinos encontrados pareciam cortados (sem rabo ou outra parte do corpo), como se fosse por uma tesoura…

De: Alexandre Oliveira
[email protected]
Para: Lista Panorama-L
[email protected]
Assunto: Re: Alevinos predados

   Pela descrição do seu problema parece-me que o “”ataque” foi de bem-te-vi. Verifique com atenção o tamanho da malha de proteção dos viveiros ou tanques. Dependendo do tamanho da malha, estes pássaros não respeitam nada. Aproveitam-se de qualquer descuido para predar. Sugiro-lhe utilizar sombrite para proteção.

De: “João Campos”
[email protected]
Para: Lista Panorama-L
p
[email protected]
Assunto: Re: Alevinos predados

Eu já presenciei um problema semelhante ao que você descreveu, alevinos ( pacu no meu caso) apareceram mortos e aparentemente cortados, principalmente na parte inferior do corpo. Estes peixes tinham tamanho entre 2-4 cm (estocados há cerca de 25-30 dias) e era comum encontrar até 40 peixes mortos/dia. No nosso caso ficou bastante óbvio que o problema era uma severa infestação por odonatas que estava fazendo o estrago pois chegamos a ver várias delas se agarrando aos alevinos e os comendo ainda vivos. Não sei qual espécie de odonata, mas as ninfas eram realmente grandes. Passe uma rede pelo fundo do tanque (um canto) e verifique se você tem o mesmo problema. Se aparecer um grande número de ninfas, minha sugestão seria controlá-las, pois sua capacidade em dizimar alevinos é grande. Se por acaso você não souber como, procure um técnico especializado na sua região para te orientar.