Notícias & Negócios_edição 01

CULTIVO DE MEXILHÕES – A Base de Mitilicultura do Instituto de Pesca de São Paulo desenvolve um projeto de cultivo de mexilhões. Maiores informações podem ser obtidas com Hélio Marques pelo telefone (0124) 32-1254 ou escrevendo para Estrada Cais do Porto, 1167 – CP 28 Ubatuba, SP – CEP 11680.

UNIVERSIDADE RURAL – O novo diretor do Posto de Aqüicultura da UFRRJ é o professor Jailson Barbosa Coelho.

M. rosenbergii – A UNESP, por intermédio do Setor de Carcinocultura do Centro de Aqüicultura, desenvolve pesquisas com a espécie Macrobrachlum rosenbergii, visando otimizar o cultivo e a larvicultura em sistema fechado. O trabalho envolve também estudos dos espécies nativas. Interessados em receber folheto informativo devem escrever . para: Prof. Wagner Cotroni Valenti – Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias – Campus de Jaboticabal- Rod. Carlos Tonnanni, 5 – Jaboticabal – SP -14870.

CULTIVO TRÍPLICE – O cultivo do tambaqui, ou pirapitinga, com carpa e tilápia foi considerado ideal em trabalho realizado por Ferraz de Lima e Eva Chabalin, por não afetar o crescimento de nenhuma das três espécies e ainda proporcionar maior rentabilidade. O retorno econômico sobre as despesas operacionais do sistema foi de US$8 mil/ha/ ano.

“JOINT – VENTURE” – Procura -se parceiro para fazenda de camarões marinhos, situada em Conceição da Barra, no Espírito Santo. A propriedade dispõe de 80 hectares utilizáveis para a construção de viveiros, facilidades de adução de água doce e salgada e já conta com um viveiro piloto, onde foram realizados testes que demonstram a viabilidade da instalação de cultivo semi-intensivo. Informações com José Augusto Teixeira de Freitas pelo telefone (021) 253-7817, no horário comercial.

ABRADOCE – Criada recentemente, a Associação Brasileira de Produtores de Camarão de Agua Doce (Abradoce) está lutando pela redução da tarifa de frete aéreo para crustáceos. Com a redução almejada, o custo do transporte aéreo de crustáceos, como camarões, Artemia salina e e pós larvas, poderá ser reduzido em 54%. Parabéns! Maiores informações podem ser obtidas pelo telefone (021) 2327589 ou por correspondência endereçada para a Rua Sete de Setembro, 99 – ‘J2 – Rio de Janeiro – 20050.

A Dt Consultores Engl, empresa responsável por alguns estudos e projetos de porte destinados ao cultivo de camarão marinho como: BCN, YAKULT, ANDRADE GUTIERREZ, MAKPESCA NORTE, dentre outros, está investindo cerca de US$ 150.000 na implantação da indústria “GDO Tecnologia,” destinada à fabricação de equipamentos para aquacultura como aeradores, comportas pré-fabricadas, sistemas automáticos para limpeza de telas, alimentador automático etc. O aerador, já em fase de lançamento, conforme catálogo recebido .em primeira mão por este boletim, promete ser revolucionário, altamente eficiente, de baixo custo, demonstrando muitas vantagens se comparado aos melhores estrangeiros.

A YAKULT S.A. caminha a passos largos na implantação de seu projeto em Araquari-SC para “penaeus paulenses”. Acaba de instalar uma tomada d’água ao mar com características muito peculiares.

O empresário Fernando Raposo da Serv-Sub Engl. está entusiasmado com a Fazenda Marinha (ostra e camarão) que pretende implantar em Bertioga-SP. A tecnologia para o cultivo de camarão em sistema hiper-intensivo (Shlgueno) foi confiada à Dt. Consultores. Confiante no sucesso do empreendimento o empresário seguiu dia 24/08 para o Japão a fim de adquirir equipamentos e visitar projetos semelhantes.

A MAKPESCA NORTE está concluindo o projeto de reaproveitamento de sua área nos campos de Perises-MA, criando o Pólo Carcinicultor do Maranhão, dispondo de 5 áreas de 600 ha cada, com localização privilegiada escolhida a dedo, à época, por Peter Shayne. Consta que empresas de grande porte já estão reservando suas áreas.

FOMENTO A CARCINOCULTURA -‘ A secretaria de’ Agricultura do Pará criou uma Estação de Pesquisa e Fomento à Carcinicultura no município de Curaçá.

INCENTIVO À AQÜICULTURA – O Bamerindus, através de um programa específico de apoio, vem beneficiando minifúndios em Santa Catarina, para o desenvolvimento da piscicultura. Estima-se que cerca de 100 hectares já estão implantados, proporcionando uma produção de 350 toneladas de carpas, obtidas de propriedades com uma área média alagada de 0,5 hectare.