Notícias & Negócios_edição 04

CAMARÃO MARINHO – A produção semi-extensiva de camarões no Nordeste é uma opção racional. Ricardo M. Castro da JARDIMAR AQUICULTURA LTDA., em Aracati – CE, está estabilizando sua produção, cuja meta é de 30 ton/ano. O sistema é totalmente artesanal contando com 7 viveiros de 75 hectares e dispensando a utilização de ração ou fertilização.

PÓS-LARVAS – Em maio, a Aqüicultura Mumbaba Ltda. na Paraíba, deverá iniciar sua produção de pós-larvas de M. rosenbergii. As pós-larvas deverão atender a demanda de seus viveiros e o excedente de produção estará disponível para outros criadores.

WAS’91– A vigésima-segunda reunião da WORLD AQUACULTURE SOCIETY será em San Juan – Porto Rico entre os dias 16 a 20 de junho próximo. O tema principal será “Novas Oportunidades em Aqüicultura para a Década de 90”. Segundo William Hershberger – presidente da WAS – o programa incluirá mais de 70 palestras de renomados especialistas da área com as últimas novidades da pesquisa. Um dos grandes atrativos do congresso é a feira de equipamentos e materiais próprios parda o ramo que conta com mais de 120 stands. Entre as personalidades presentes estará Michael New, conhecido por seu pioneirismo no desenvolvimento dos cultivos comerciais do camarão Macrobrachium rosenbergii. Michael agora está coordenando um programa de US $13,5 milhões e congrega interesses de institutos de aquicultura na Ásia e CEE. Nos cinco dias de palestras os assuntos estarão agrupados em sessões especiais cujos temas são: Melhoramento dos Estoques Pesqueiros pela Aqüicultura, Iniciação Comercial ( Marketing/ Informações/ Administração ), Uso de Computadores e Software para a administração de cultivos, Engenharia em Sistemas de Aqüicultura, Educação e Impactos da Legislação no Desenvolvimento da atividade Os interessados em participar deverão procurar a Crest Organization que fica 940 Emmet Ave.#14 Belomont, CA 94002, EUA, ou ligar para o telefone (415) 595-2704. A organização do evento avisa que não recebe pagamento durante o congresso, por isso todas inscrições devem ser feitas com antecedência.

PEIXES ORNAMENTAIS MARINHOS – As espécies Amphiprion ocelaris, A. frenatus, e A. clarkii, originárias da região Indo-Pacífica, estão mais fortes e resistentes. É que o biólogo Alceu Roberto Cataldo de Castro da CLOWNFISH – única firma produtora de peixes ornamentais marinhos no Brasil – acaba de instalar sistemas DRY-WET para a engorda dos “palhacinhos”. Alceu pode ser contactado no Codomínio Enseada Nuvem Azul L.5 Q.A., Aratuba – Vera Cruz – BA, CEP 44.470, ou pelo tel: (075) 759-1044

NUTRICIONISTA VISITA O BRASIL – A convite do Dr. Sylvio Romero de C. Coelho, diretor da Mogiana Alimentos S/A, esteve recentemente no País o Dr. Samuel P. Meyers da Louisiana State University, Baton Rouge especialista em nutrição de camarões que, entre outras atividades, participou de encontro com representantes da Associação Brasileira de Criadores de Camarões – ABCC e pesquisadores de Universidades nordestinas que estão conduzindo trabalhos com dietas. Neste encontro foram avaliados os resultados obtidos com as rações disponíveis em nosso mercado.

CICLÍDEOS AFRICANOS – Agradecemos ao nosso colaborador Odair Fernandes pela informação solicitada por um leitor quanto a uma fonte de obtenção. Várias espécies estão disponíveis na Mania de Peixes, situada na Av. Frederico Santoni, Inhaúma, Rio de Janeiro – RJ CEP 20.761 tel: (021) 591-4068.

ARTEMIA – Onde anda a Artemia salina produzida no Brasil? Os aqüicultores brasileiros querem saber. Com a palavra os produtores… Panorama da Aqüicultura – Fique sempre atualizado com tudo que está acontecendo no setor – produção, pesquisa e desenvolvimento, mercado, eventos, insumos, equipamentos, tecnologias apropriadas e a opinião dos melhores especialistas nacionais que atuam nesta área. Assine já.

CULTIVO MONOSEXO DO CAMARÃO DA MÁLASIA – É uma realidade no País. A Capiatã Aqüicultura Com. e Expot. Ltda. localizada em Alagoas, já investe na produção a partir de resultados concretos de pesquisa. A técnica visa a produção de população com 100% de machos, com rendimento bastante superior ao cultivo tradicional onde a população é mista.

PADDLE-WHEEL – A Yakult vem obtendo excelentes resultados na produção de camarões marinhos com a utilização de aeradores tipo “paddle-wheel”. Fica comprovado, mais uma vez, que a oxigenação suplementar é imprescindível nos cultivos comerciais.

PESCANDO E PAGANDO – Diversas fazendas estão reservando parte da sua área cultivada à atividade de “pesque e pague”. Abre-se assim mais uma maneira de se obter mais lucros com a piscicultura. Nestes locais os visitantes encontram viveiros ou açudes rodeados de quiosques onde podem desfrutar com a família de um dia de lazer agradável e pescar pacus, tambaquis, carpas e curimatãs. Encontram também serviços de bar e sanitários. Em Macaé-RJ, os irmãos Rogério e Ricardo Salgado proprietários do Pesqueiro da fazenda estão recompensados com o negócio que tem aumentado ainda mais a receita de sua suíno piscicultura.

DUAS TONELADAS/SEMANA – Corresponde ao volume de peixe vivo comercializado pela setor de piscicultura da Agropecuária Sendas. Os peixes são enviados vivos para o sofisticado mercado oriental e israelita da cidade de São Paulo. O peixe vivo também já aparece em alguns supermercados do Espirito Santo, Rio de Janeiro e Paraná onde atrai os consumidores pela alta qualidade representada pelo produto cultivado em fazendas, sem contar com o belo espetáculo proporcionado pelo aquários gigantes.

DEFESO INDEFESO – Em plena vigência do defeso do camarão marinho é possível encontrar camarões protegidos em todas as peixarias do Rio de Janeiro e em todos os restaurantes. Será que o IBAMA acabou e não fomos avisados? Onde andam os responsáveis pela fiscalização?

ENTRAVE AOS PRODUTOS CULTIVADOS – Em cada balcão de embarque de cada companhia aérea de todos os aeroportos brasileiros encontra-se um telex proibindo o embarque de produtos que não tenham o Certificado de Inspeção do Serviço de Inspeção de Produtos de Origem Animal do MINAGRA. Até aí tudo bem. Entretanto sabemos que 99% dos aqüicultores brasileiros não têm porte para construir as instalações exigidas pelo órgão para obtenção do SIF. Assim, é claro, estão proibidos de embarcarem seus produtos para mercados melhores e mais distantes. Sabemos que muitos aquacultores “compram” notas fiscais de empresas de pesca inspecionadas para poderem embarcar seus produtos. Infelizmente tal prática ilegal atende as regras do jogo. Pois bem, já passou da hora de se buscar a solução para esta situação. Afinal, os aqüicultores se registram como tal para que? Será que a simples apresentação de um documento comprovando a origem do produto cultivado não poderia, pelo menos a curto prazo, solucionar o problema enquanto se discute uma solução definitiva? Ou será melhor continuar comprando notas “inspecionadas”? Com a palavra o Serviço de Inspeção Federal.

EUROPEUS E NORTE AMERICANOS – Continuam buscando fornecedores confiáveis para peixes ornamentais sul-americanos. Com a crescente conscientização sobre os danos causados à natureza pela extração predativa da fauna silvestre e aquática, a solução é o fornecimento de peixes ornamentais pela criação racional. Alguns exemplares raros como o filhote de Pirarara conseguem atingir o preço de US$ 200 ao consumidor final, o aquarista.

RANICULTORES – Como resultado de encontros anteriores, pesquisadores e técnicos em ranicultura já têm marcada para junho, em Viçosa – MG, uma reunião para a criação de entidade institucional destinada a agrupar pessoas envolvidas na atividade e, com isso, estimular e facilitar o intercâmbio de conhecimentos. A iniciativa, surgida durante o II Seminário de Ranicultura do Rio de Janeiro, demonstra a seriedade e o interesse pelo aprimoramento da ranicultura no País.

BNDES FINANCIA AQÜICULTURA – Para quem dispõe de algum capital e precisa complementá-lo, o BNDES oferece linhas de crédito específicas para aqüicultura em condições razoáveis. Ainda é o dinheiro mais barato do mercado a prazos adequados. Para levantá-lo basta procurar o agente do BNDES (quase todos os bancos do país) no ‘Subprograma Agrícola Automático’. Se o projeto exigir grande volume de recursos, a aprovação se dá após análises de viabilidade econômica realizada pelo BNDES. O limite das operações é de 1 milhão de BTNs. O BNDES pode financiar entre 50 e 60 % do empreendimento. As atividades financiadas incluem a ranicultura, piscicultura e carcinicultura (cultivo de camarões). A carência é de 36 meses e a liquidação das operações em 60 meses com juros de 9-10% ao ano.

CONTRIBUIÇÕES – O Panorama aceita na forma de artigos e notas, informações nas áreas de criação de peixes, moluscos, crustáceos, rãs e outros cultivos aquáticos, além de equipamentos e insumos. O recebimento das contribuições não gera obrigação de publicação.

SALMO SALAR – Os ovos embrionados de Salmo Salar (salmão do Atlântico ) trazidos em janeiro por Peter e Lis Gottschalk já são alevinos e estão muito bem. Foram mantidos em tanques sem controle de temperatura. Após à devida adaptação ( são bem diferentes da truta quanto aos hábitos comportamentais e alimentares ) conseguiram uma sobrevivência de 55%.

ESCOLA DO MAR – A cidade de Angra dos Reis abriga esta extensão do Colégio Objetivo para que seus alunos de 1ª e 2ª grau possam participar de cursos de ciências ligadas ao mar, como extensão curricular. No momento, esta em implantação o projeto piloto de uma “Fazenda Marinha” de ostreicultura e mitilicultura. Como vemos, a aqüicultura já esta chegando aos bancos escolares das escolas de 1º e 2º grau. Já não era sem tempo.