Pará vai sediar evento internacional inédito sobre pesca e aquicultura

O International Fish Congress & Fish Expo Brasil, com apoio do governo do Estado, terá a participação de representantes da cadeia do pescado e especialistas nacionais e internacionais

A primeira edição no Pará do International Fish Congress & Fish Expo Brasil (IFC Brasil) será realizada em novembro deste ano no Hangar – Centro de Convenções da Amazônia. Em contato mantido nesta semana por representantes da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap) e da organização do IFC Brasil foi fechada parceria para a realização da programação, inédita no Estado.

Reunião na sede da Sedap sobre a realização da primeira edição do IFC Brasil no Estado do Pará

A comissão organizadora, composta por representantes do Governo do Pará, por meio da Sedap, e do IFC Brasil, estão acertando o período exato da programação, mas a previsão é que ocorra entre os dias 07 e 09 de novembro.

Leia também: Programas de vacinação na tilapicultura nacional: do zero à automação em uma década

A reunião inicial foi realizada na última segunda-feira (08), na sede da Sedap, em Belém, com a participação do titular da Secretaria, Giovanni Queiroz, acompanhado de representantes da Diretoria de Pesca e da Coordenadoria de Aquicultura. Também participaram do encontro o presidente do IFC Brasil e da Expomar, Altemir Gregolin, ex-ministro da Pesca no Governo de Luiz Inácio Lula da Silva, de 2006 a 2011; a CEO da Fish Expo, Eliana Panty; Felipe Matias, que foi secretário de Planejamento e Ordenamento da Aquicultura do Ministério da Pesca e Aquicultura e atua nas áreas de Gestão Estratégica, Sustentabilidade e Inovações Tecnológicas voltadas para a aquicultura, e o piscicultor Fernando Cruz, do município de Curuçá, no nordeste paraense.

O Pará, ressaltou o titular da Sedap, é um dos grandes expoentes do setor pesqueiro e aquícola, e tem tudo para atrair no evento expositores da América Latina e de multinacionais, como já ocorre em programações  realizadas no sul do Brasil. 

Gestores públicos e organizadores do evento internacional

“O ex-ministro Gregolin tem uma experiência extraordinária em eventos internacionais e já promove, há algum tempo, eventos semelhantes no Paraná e em Santa Catarina. Ele propôs para a Amazônia um encontro para discutirmos e trazer convidados para conversar e conhecer melhor o potencial extraordinário que nós temos no Pará”, disse Giovanni Queiroz.

Leia também: Plano de produção e dimensionamentos essenciais de um SRA

Ele ressaltou que o território paraense tem o maior volume de água doce do mundo, além de importante litoral marítimo. Um evento da magnitude do IFC, destacou Giovanni Queiroz, trará empresas, cientistas e pesquisadores do mundo inteiro para discutir com o segmento local assuntos de interesse do Pará. “Até para atrair empreendedores que possam vir a nos ajudar a produzir o pescado no sistema da aquicultura”, enfatizou o secretário.

Destaque – De acordo com Altemir Gregolin, o evento proposto para três dias abrangerá um congresso internacional envolvendo todos os países da região amazônica, e uma feira de tecnologias em negócios. “Nós queremos pensar grande e em longo prazo, desenvolver efetivamente essa alternativa de produção de alimento, de matéria prima de uma proteína saudável, preservando a floresta e dando sustentabilidade pra essa região”, adiantou.

Ele ressaltou que o IFC Brasil será um grande evento internacional na área de pescado, que terá o desenvolvimento da cadeia produtiva de pesca e aquicultura na Amazônia como ponto central. “A ideia é desenvolver essa atividade na Amazônia, que tem a maior reserva de água doce do mundo”, reiterou Altemir Gregolin.

Leia também: Trocas de Água e Densidade de Estocagem: O que as pesquisas nos mostram como viável no BFT?

Pela Sedap também estiveram presentes o diretor de Pesca, Orlado Lobato; o coordenador de Pesca, Salomão Guimarães, e o coordenador de Aquicultura, Alan Pragana.

Por: Rose Barbosa (SEDAP)