Prodeagro: novos recursos para a aqüicultura

Segundo informa a Agência Brasil, já estão disponíveis no Banco do Brasil os R$ 65 milhões, destinados aos créditos do Prodeagro – Programa de Desenvolvimento do Agronegócio. O dinheiro que deverá ser aplicado até o dia 30 de junho de 2004, com limite de R$ 150 mil por produtor a juros de 8,75% ao ano, beneficiará principalmente os setores de aqüicultura, além da avicultura e floricultura. Na área de aqüicultura o programa visa o incremento da produtividade, melhoria dos padrões de qualidade de seus produtos, aumento das vendas nos mercados externo e interno com o conseqüente crescimento nos níveis de emprego e renda das regiões assistidas.

O Prodeagro é uma parceria entre a SEAP – Secretaria Especial de Aqüicultura e Pesca e o Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa) e substitui o Procamol (Programa de Apoio ao Desenvolvimento de Produção de Tilápias, Camarões e Moluscos) do extinto Departamento de Pesca e Aqüicultura do Mapa.

O programa, que tem prazo de resgate de até cinco anos com dois de carência, funciona em parceria com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. As operações estão sujeitas às normas gerais do crédito rural e o produtor poderá fazer amortizações semestrais ou anuais, de acordo com seus fluxos de caixa.

Com a verba obtida através do Prodeagro, os aqüicultores poderão comprar máquinas, equipamentos, redes e materiais para a construção de viveiros de cultivo de peixes, camarões e moluscos, além de custear serviços de topografia, terraplenagem e instalações de estruturas de apoio. O Programa pode atender o aqüicultor, mesmo que ele já esteja comprometido com outras linhas de crédito.

Para participar do Prodeagro é preciso elaborar um projeto técnico do empreendimento e dar entrada diretamente na agência bancária encarregada do financiamento. Será possível a concessão de mais de um empréstimo para o mesmo tomador, quando for comprovada a capacidade de pagamento e se a soma dos valores das duas parcelas dos financiamentos não ultrapassar o limite de R$ 150 mil.

Segundo informa o Banco do Brasil, mais de R$ 3,4 bilhões já estão disponíveis em suas agências.