Real Provoca Preços Irreais nos Pescados e Assusta Comerciantes:

A Associação Brasileira de Proprietários de Restaurantes, fez reunião para discutir, o que fazer com os altos preços de peixes e frutos do mar. O motivo da reunião é a preocupação que invade os restaurantes, que em época de real não querem repassar aos clientes os aumentos alarmantes que vem tendo as postas de badejo, linguado ou camarões. Diante de preços tão abusivos como o quilo do camarão VG, que em julho custava R$ 11,00 e em outubro R$ 28,00, ou do linguado, que em setembro custava R$ 6,50 e em outubro R$ 13,00, os restaurantes tomaram uma decisão radical: retiraram do cardápio alguns pratos com frutos do mar e aconselham aos fregueses a troca do peixe por outros pratos de frango ou carne.

Segundo a Sunab, em julho o preço médio do badejo era de R$ 9,88 e oito dias depois, subiu para R$ 16,92. Como não há congelamento de preços a Sunab alega que não tem como enfrentar esse abuso. Diante disso, a solução encontrada pelos donos de restaurantes é o boicote aos fornecedores e a procura por produtos importados. Importadoras responsáveis por 80% dos peixes e frutos do mar que estão chegando a cidade via Chile, estão vendendo o quilo do salmão a R$ 10,00 e o bacalhau a R$ 13,00. Indagados pelo porque dos altos preços, os peixeiros alegam todo o tipo de desculpas. Alguns dizem que o mar anda batido, outros que os barcos não tem boas condições e há ainda aqueles que culpam os caminhões frigoríficos responsáveis pelo transporte.