Reinaugurado o Aquário Água Branca

Espécies da piscicultura brasileira são a principal atração

Por:
Nilton Eduardo Torres Rojas
Pesquisador Científico – Instituto de Pesca
[email protected]


Você conhece algum aquário para visitação pública no Brasil? Sabe citar três ou quatro aquários no Brasil? Em caso afirmativo, eles estariam conseguindo representar o país que possui as maiores bacias hidrográficas e a maior biodiversidade de organismos aquáticos do planeta? Como a grande maioria das pessoas nem sabe da existência deste tipo de lazer em sua cidade ou estado, o Instituto de Pesca de São Paulo está comemorando a reabertura do “Aquário Água Branca”, depois de uma reforma que durou 10 meses.

O Instituto de Pesca (www.pesca.sp.gov.br) localizado dentro do Parque Fernando Costa, uma importante área de lazer da cidade de São Paulo, possui além das instalações destinadas à realização de suas pesquisas, alguns espaços privilegiados para o desenvolvimento de atividades educacionais e culturais. Um desses espaços é o Aquário Água Branca, o único aquário de visitação pública do Município de São Paulo, o mais antigo do Estado e o segundo mais antigo do Brasil, cujo prédio construído na década de 30, é hoje, um bem tombado pelo patrimônio histórico por sua funcionalidade, beleza e arrojo arquitetônico.

Por sua importância, foram investidos na reforma do “Prédio Histórico do Aquário Água Branca”, R$ 40 mil vindos do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPq, e mais R$ 30 mil vindos de recursos orçamentários do próprio Instituto de Pesca.

O Aquário teve sua área de exposição ampliada para exibir espécies de peixes de alto valor econômico para o agronegócio da aqüicultura e da pesca continentais. Estão em seus 30 aquários curimbatás, piracanjubas, piraputangas, tilápias, carpas (ornamentais, cabeça grande, capim e comum), matrinxãs, dourados, lambaris, piavas de três pintas, piaparas, peixes ornamentais, pirarucus, bagre africano e americano, pintados, cacharas, pacus, tambaquis, cascudos, traíras, piauçus, mandis, camarões e rãs.

Aberto para visitação até a década de 70, o Aquário Água Branca foi fechado, assim permanecendo por, aproximadamente, 25 anos. Em 1998, porém, o Instituto de Pesca conseguiu devolver o Aquário à população, sendo crescente o número de visitantes.

Prédio do Aquário Água Branca com sua estrutura original recuperada. (Foto: Fillipe Alves)
Prédio do Aquário Água Branca com sua estrutura original recuperada. (Foto: Fillipe Alves)

As melhorias no prédio, propiciarão uma ampliação no atendimento ao público e a implantação de novos projetos educativos e exposições. A meta inicial é atender, diariamente, duas escolas com 160 alunos, além de um público visitante de 5.000 pessoas semanalmente, totalizando 250.000 pessoas por ano.

Número de visitantes ao Aquário Água Branca
Número de visitantes ao Aquário Água Branca.
Entrada do Aquário Água Branca.
Entrada do Aquário Água Branca.
Corredor com os aquários. (Foto: Fillipe C. Marcassi Alves)
Corredor com os aquários. (Foto: Fillipe C. Marcassi Alves)

Saiba mais:

O Aquário foi reaberto ao público no dia 16 de outubro, no Parque Fernando Costa, também chamado Parque da Água Branca, e está localizado na zona oeste de São Paulo, metrô Barra Funda. O endereço é Avenida Francisco Matarazzo, 455, telefone: (11) 3871-7530. Funciona diariamente, das 9 às 17 horas. O ingresso custa R$ 2,00, isentando-se do pagamento as crianças até cinco anos, adultos maiores de 65 anos e escolas públicas.

O Parque da Água Branca foi criado em 1905, numa época de forte desenvolvimento da agropecuária paulista, destinando-se exclusivamente a abrigar órgãos de pesquisa agropecuária e associações de criadores, assim como à realização de leilões e exposições de animais. Hoje, tornou-se um grande parque público com características tanto urbanas – abrigando grupos de teatro, dança, convivência da terceira idade, etc., quanto rurais – mantendo alguns animais criados em fazendas e uma vegetação composta por inúmeras espécies.

Na década de 30 foi construído o prédio que abrigou o Museu de Caça e Pesca, atualmente o Aquário Água Branca. O estilo normando de sua edificação surpreende, ainda hoje, os arquitetos modernos por seu arrojo, beleza e funcionalidade.

O Instituto de Pesca é uma instituição de pesquisa científica e tecnológica que desenvolve projetos nas áreas de aqüicultura e pesca, com ênfase na obtenção de novos conhecimentos sobre estratégias e tecnologias destinadas à melhoria do agronegócio do pescado e da qualidade ambiental. Dispõe de espaços privilegiados, como o “Espaço Pesca e Aqüicultura”, que abriga o Aquário, e o Museu de Pesca situado na cidade de Santos, para o desenvolvimento de atividades culturais e educacionais direcionadas à popularização de conhecimentos científicos e tecnológicos.

Curiosidades do Aquário:

• O pirarucu, exposto no aquário foi salvo de uma churrasqueira e estava em depressão durante o período de reforma por não haver visitantes para brincar com ele;

• O piau teve um divisor de ar atravessado entre a boca e a brânquia;

• Alguns pintados já comeram termômetros dos pesquisadores;

• Os pacus estão mantidos no aquário por mais de 10 anos.