SEAP erra ao divulgar aumento do consumo de pescado

Recentemente foi distribuída para a imprensa uma nota da assessoria de imprensa da SEAP contendo, entre outras coisas, o seguinte “…o consumo interno do Brasil também está crescendo, e já beira os 8,2 quilos por habitante ao ano, segundo análises recebidas pela Secretaria. Em 2002, antes de o governo criar uma estrutura para incentivar o setor, este consumo era de 6,8 quilos por habitante ao ano.” Na tentativa de verificar a veracidade do que foi afirmado, a Panorama da Aqüicultura efetuou os cálculos utilizando os dados do Ibama e do IBGE para o ano de 2003, por serem esses os dados reconhecidos como oficiais.

Tomando-se por base o total de pescados que foi produzido em 2003 (pesca marítima + pesca continental + aqüicultura + importação) o Ibama soma 1.142.786 toneladas. Deste total devemos subtrair 113.722 toneladas, referente ao que foi exportado (e subtrairíamos ainda mais, se soubéssemos o volume que foi destinado ao consumo não humano – farinhas, etc). O total disponibilizado para o consumo da população brasileira em 2003 foi, segundo o Ibama, 1.029.064 toneladas.

Essas 1.029.064 toneladas (1.029.064 .000 kg) foram então divididas entre os 180.160.285 brasileiros que, segundo o IBGE, existiam em 31 de dezembro de 2003. Sendo assim, teremos, para 2003, um consumo per capita de 5,71 kg.

Se considerarmos também que é bastante provável que os números relacionados a produção de pescados tenham se mantido em 2004 e 2005 muito próximos ao que foi verificado em 2003 pelo Ibama, visto que não tem havido fatos novos na pesca ou na aqüicultura que nos faça admitir aumentos significativos de produção, e se considerarmos também que a população do Brasil chegará ao término deste ano de 2005 com 185 milhões de habitantes (fonte IBGE), provavelmente teremos um consumo per capita no final de 2005 ainda menor, isto é, próximo a 5,56 kg per capita.

Se em 2002 o consumo era de 6,8 kg per capita, tudo indica que consumo caiu nos anos de 2003 até hoje, desde que a SEAP iniciou seu trabalho voltado para a aqüicultura e a pesca.