Surubim ganha publicação de especialistas mineiros

Popularmente é conhecido como pintado, osurubim Pseudoplatystoma coruscans, é considerado um peixe de sabor delicioso, de carne branca, firme e quase sem espinhas, tendo seu corpo revestido de uma pele espessa e coberto por placas ósseas.

Sua importância ecológica pode ser evidenciada pelo fato dele ser o segundo maior peixe predador da bacia do Paraná e o primeiro da bacia do São Francisco, onde é a espécie que atinge o maior porte entre os peixes, podendo alcançar mais de 100 quilos. De hábito alimentar exclusivamente carnívoro, principalmente piscívoro, é um dos peixes preferidos nos restaurantes pelo seu paladar e pela textura macia de sua carne.

Apesar de existirem mais de 2.700 espécies de peixes catalogados no país, poucas representam valor econômico que justifique a sua utilização em piscicultura comercial. Na América do Sul, os bagres do gênero Pseudoplatystoma estão entre as espécies mais representativas na produção pesqueira de águas interiores. No Brasil, constata-se que o surubim é a espécie de água doce de maior importância econômica e de demanda não apenas pelos consumidores como também pelos aqüicultores em potencial.

O crescente interesse por alimentos saudáveis tem feito do surubim uma espécie cada vez mais procurada, e por isso vem alcançando muito bom preço de comercialização. A qualidade de sua carne e o seu alto valor comercial tem despertado a atenção sobre o seu potencial para o cultivo.

Os rendimentos de carcaça e filé são 71,3% e 48,3% respectivamente e, apesar da crença popular de que o surubim possui cabeça volumosa, ela representa apenas 15,9% do seu peso total, sendo similar a de outros peixes criados comercialmente. Esse peixe que desperta grande interesse tanto por seu sabor quanto por sua beleza ou ganhos comerciais, gerou a publicação “Surubim” da coleção Meio Ambiente, um esforço da Superintendência do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis – IBAMA em Minas Gerais, com o objetivo de reunir diversos trabalhos científicos sobre a espécie.

Os trabalhos organizados por Mario Olindo Tallarico de Miranda abordam aspectos inerentes à biologia, pesca, fiscalização e aqüicultura comercial, além de uma coletânea bibliográfica sobre o gênero Pseudoplatystoma. São 156 páginas que editam ao todo nove trabalhos ilustrados com fotos, gráficos e tabelas.

Os interessados na publicação podem entrar em contato com a Superintendência do IBAMA em Minas Gerais na Av. do Contorno, 8121 – Belo Horizonte – MG, tel: (031) 291-6588 3 (031) 335-9955.