Tailândia e Equador lideram a produção mundial de Camarões marinhos em 1996

A produção mundial de camarões marinhos em 1996 foi estimada por Bob Rosenberry, na sua publicação Shrimp News International, em 693.000 toneladas. Na prática, o volume de camarões cultivados no mundo em 1996 foi 2,5% menor do que em 1995, em decorrência das epidemias, principalmente as ocasionadas por vírus, que ocorreram em praticamente todo os países ao redor do mundo.

A estimativa de produção das fazendas localizadas nos países ocidentais foi de 172.300 toneladas, ou 25% da produção mundial, com um aumento de 12% sobre o ano anterior.

A pesar da Síndrome de Taura parece estar no Ocidente. O Equador, também o segundo produtor mundial de camarões marinhos cultivados, encabeçou em 1996 o ranking dos países ocidentais com uma produção de 120.000 toneladas, seguido do México, Peru, Honduras e Nicarágua, com produções de 12.000, 10.000, 5.000 e 3.000 toneladas, respectivamente. Os países orientais produziram 75% da produção mundial, ou 520.000 toneladas, com uma queda de 7% em relação a 1995 devido, principalmente, ao White Spot Virus (vírus do ponto branco).A Tailândia mais uma vez foi o país líder na produção mundial com um produção de 160.000 toneladas, seguida da Indonésia, China e Índia que produziram 90.000, 80.000 e 70.000 toneladas, respectivamente.Sua presença está confirmada em todos países asiáticos, com exceção das Filipinas

O White Spot Virus foi a mais séria doença que atingiu os países asiáticos durante o ano. Mais letal que a Síndrome de Taura, pode matar até 90% da população de camarões cultivados no viveiro.

. A conseqüência imediata do declínio da produção foi o decréscimo das importações, aumentando bastante a demanda, principalmente nos EUA, cujo mercado, pela primeira vez na história recente, pagou pelos camarões mais que o mercado japonês.