Trabalhos sobre cultivo de camarões em Rio Grande – RS garantem dois prêmios à jovens cientistas

Dois trabalhos da área de aquicultura, executados na Estação Marinha de Aquacultura da Fundação Universidade do Rio Grande foram selecionados dentre 94 trabalhos submetidos ao XV Prêmio Jovem Cientista do CNPq, GERDAU e Fundação Roberto Marinho, o qual no ano de 1998 teve como tema: “Oceanos: Fonte de Alimentos”.

O trabalho intitulado “Produção do Camarão Marinho Penaeus paulensis no Sul do Brasil: Cultivo em Estruturas Alternativas”, de autoria de Wilson Wasielesky Junior, do Laboratório de Maricultura – Depto. Oceanografia, foi classificado em segundo lugar na categoria graduados, tendo o mesmo como principal objetivo o desenvolvimento de um “pacote tecnológico” para o cultivo do camarão rosa Penaeus paulensis em cercados e gaiolas no estuário da Lagoa dos Patos, RS.

O trabalho teve como estrutura básica uma introdução na qual são apresentadas as características da pesca na região, os fatores favoráveis ao cultivo e aspectos biológicos da espécie no ambiente e em laboratório. A parte principal do trabalho apresentou os resultados de uma série de testes realizados no ambiente e em laboratório, nos quais foram estimadas as densidades ideais de cultivo, taxas de arraçoamento em diferentes idades, comparação entre os crescimentos em gaiolas e cercados, efeitos da luminosidade no crescimento e análise comparativa do uso de ração e alimentos naturais. Foram realizados testes com diferentes tipos de estruturas, para determinar o sistema de cultivo ideal para diferentes áreas do estuário da Lagoa dos Patos. Foram ainda realizados testes para avaliar os efeitos da salinidade e temperatura sobre o crescimento e sobrevivência do camarão rosa.

O trabalho intitulado “Cultivo experimental do camarão rosa Penaeus paulensis em cercado na ilha da Torotama”, elaborado pela acadêmica do curso de Oceanologia da FURG Maria Luiza Camargo Pinto Ferraz foi classificado em segundo lugar do XV Prêmio Jovem Cientista categoria estudante. O trabalho trata da interação entre a comunidade de pescadores artesanais da Ilha da Torotama (RS), o cultivo e a legislação vigente.