Unioeste e InPAA apresentam projeto de melhoramento genético da tilápia

13/04/2018

"Lucio de Marchi conversa com o professor José Dilson (Foto: Carlos Rodrigues)"
“Lucio de Marchi conversa com o professor José Dilson (Foto: Carlos Rodrigues)”

O professor do curso de Engenharia de Pesca, da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), Campus de Toledo, Altevir Signor e o diretor do Instituto de Pesquisa e Aquicultura Ambiental (InPAA) José Dilson Oliveira, estiveram na manhã desta quinta-feira, 12, no gabinete do prefeito Lucio de Marchi, para apresentar um projeto de melhoramento genético da tilápia.

O estado do Paraná é o maior produtor de peixes do Brasil, com uma produção de aproximadamente 112 mil toneladas mês, destas 80 toneladas são criadas no oeste paranaense, superando o segundo estado no ranking de produção.

O processo de melhoramento genético consiste no cruzamento de indivíduos, pegando matrizes de tilápia, que não tenham endogamia tendo condições de manter um grau de parentesco baixo formando sujeitos melhorados geneticamente.

Para o professor da Unioeste, Altevir Signor, o melhoramento genético trará um grande avanço para a região. “A concretização do projeto fará com que a região se torne referência também nesse processo. Isso trará grandes benefícios como a elevação do peso dos peixes, melhor rendimento e desempenho na produção, redução do tempo de cultivo, nutrição mais adequada, melhor preparo das indústrias para atender as necessidades do mercado e uma maior segurança no processo de cultivo evitando doenças trazidas de outras regiões” comentou.

Conforme o professor Altevir Signor, os alunos do curso de Engenharia de Pesca da Unioeste só têm a ganhar com a efetivação dessa iniciativa. “Os alunos vão ganhar muito com a consolidação desse projeto, primeiramente em estrutura, segundo criando formas de fazer com que esses alunos tenham algo a mais para pensar e incluir em sua vida profissional, mas fundamentalmente formar recursos humanos capacitados para atender o crescimento que a atividade vem tendo”.

O diretor do InPAA, José Dilson Oliveira, destaca a importância do projeto para o instituto. “O InPAA é uma extensão da Unioeste e no espaço do instituto, o curso de Engenharia de Pesca desenvolve vários projetos, não só no âmbito da graduação, mas também no mestrado e doutorado. Então isso tudo se somará as atividades de pesquisa já existentes no local” destacou.

Próximos Passos

O projeto de melhoramento genético surgiu em 2016, através do programa Oeste em Desenvolvimento. Os próximos passos para que a iniciativa saia do papel é a efetivação das parcerias. A Itaipu Binacional deverá ser a ‘mãe’ da proposta designando os aportes financeiros para compra dos equipamentos e construção da estação de melhoramento genético. O Governo do Estado também deverá ser parceiro cedendo alguns recursos. A Prefeitura poderá ceder um espaço no futuro para o aumento da área onde o projeto será instalado. A unidade de melhoramento genético deve ser implantada na sede do InPAA.

Fonte: Jornal do Oeste

https://www.jornaldooeste.com.br/noticia/unioeste-e-inpaa-apresentam-projeto-de-melhoramento-genetico-da-tilapia