Vitamina C melhora desempenho na aqüicultura

Os seres vivos necessitam de vitamina C para que as reações bioquímicas, essenciais à vida, se processem nas células, o que há muito está comprovado por estudos e pesquisas científicas em laboratórios e no campo. Além disso, ela é indispensável para o fortalecimento da membrana celular, tomando os tecidos mais resistentes ao ataque de vírus e bactérias.

De acordo com Giuseppe Miglionico, técnico e pesquisador da Qualitech Nutrimentos S.A., recentes experimentos comprovaram que na piscicultura níveis inadequados de vitamina C causam nos animais queda na resistência a infecções, além de anormalidades físicas e deformidades do esqueleto, como a escoliose.

Está comprovado também que a utilização da vitamina C em cultivos intensivos – altas densidades de estocagem e altos níveis de nitrito – reduz a mortalidade e aumenta a saúde dos peixes. Além disso, camarões com deficiência de vitamina C costumam ter muda incompleta, reparo deficiente das lesões e é comum altas taxas de mortalidade.

O ácido ascórbico é fundamental na formação dos tecidos e na calcificação, além de ser essencial na transformação dos aminoácidos lisina e prolina em hidroxilisina e hidroxiprolina, importantes na formação do colágeno, principal proteína na formação do tecido conjuntivo.

VITAMINA C. POR QUÊ?

Originariamente todos os seres vivos deviam possuir a capacidade de sintetizar a vitamina C no organismo. Com a evolução natural das espécies, apenas alguns desses seres guardaram na memória genética a capacidade de realizar esta síntese, enquanto outros, possivelmente pela facilidade de encontrarem na natureza alimentos que a contêm, foram perdendo tal capacidade, chegando mesmo a não mais produzi-Ia pela falta de estímulo aos órgãos responsáveis pela função, como é o caso do homem, do cão dálmata e do porquinho da índia.

Os peixes e crustáceos sintetizam parte da vitamina C que necessitam e buscam nas algas, no plâncton e na flora presente nos mares, rios, lagos e lagoas a complementação desta vitamina necessária às funções biológicas. Entretanto, quando esses animais são cultivados, isto é, confinados em ambiente artificial e restrito, ficam dependentes de suplementação alimentar – rações – que contenham ácido ascórbico em quantidade suficiente para atender às suas necessidades biológicas no crescimento em cativeiro.

Para que não ocorram perdas da vitamina C através do uso inadequado, o pesquisador Giuseppe Miglionico adverte que ela é altamente solúvel na água, mesmo quando incorporada às rações. Para esta finalidade específica, já existe no mercado brasileiro o produto envolvido em película impermeável que só se desfaz no aparelho digestivo dos animais, apresentando excelentes resultados em testes realizados em larviculturas e viveiros de engorda de peixes e camarões.

À primeira vista, pode parecer que a suplementação com rações que contenham vitamina C oneram os custos de produção. Na realidade, este tipo de suplementação, quando fornecido adequadamente, proporciona ao criador possibilidades de aumento na densidade de estocagem com menos riscos, animais de boa saúde e mais desenvolvidos para o abate – maior peso, e carne rígida com aspecto mais ajustado à exigência dos consumidores, o que significa melhor preço no momento da comercialização.

Miglionico possui variada literatura a respeito e se dispõe a fornecê-la aos interessados, bastando entrar em contato pelo telefone (011) 578-9399/578-9155.